menu

Notícias

21/07/2019


Afinal, a Bancada Federal paraibana/nordestina vai se omitir ou se posicionar sobre agressão de Bolsonaro?

Afinal, a Bancada Federal paraibana/nordestina vai se omitir ou se posicionar sobre agressão de Bolsonaro ?

A dados do fim-de-semana o silêncio foi a circunstância mais realista exposta pelo conjunto dos deputados federais e senadores paraibanos, de sorte no conjunto do Nordeste, diante das agressões expostas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, contra os governadores do Maranhão, Flávio Dino, e da Paraíba, João Azevedo, ferindo principios federativos e republicanos.

Independentemente de fatores politicos e ideológicos, o fato é que o presidente agiu de forma absurda ao projetar até tratamento discricionário ao Maranhão e à Paraíba publicamente daí exigir-se reação dos representantes da sociedade e do Estado porque o silêncio depõe contra eles.

QUAL A POSIÇÃO DOS 15

No Senado, até o domingo findo só Veneziano Vital se posiconou contra a postura discricionária do presidente. José Maranhão e Daniela Ribeiro nada disseram até agora.

Na Câmara Federal, o deputado Frei Anastácio se manifestou contrário, mas não há nada de exposição por Aguinaldo Ribeiro, Gervásio Maia, Wilson Santiago, Edna Henriques, Wellinton Roberto, Efraim Filho, Ruy Carneiro, Pedro Cunha Lima, Damião Feliciano e Hugo Mota.

A favor de Bolsonaro só o deputado Julian Lemos se posicionou a favor do presidente por vinculos ideológicos.

SINTESE

Independe de questões político-ideológicas. Quando não se defende a autonomia e soberania de uma sociedade em detrimento de conchavos menores é sinal de que se faz importante reavaliar o papel de cada representante. Jogam contra a própria sociedade.

Em sintese, os parlamentares precisam se posicionar.

ASSEMBLÉIAS AGEM

O conjunto dos presidentes de Assembléia Legislativa mostrou posição solidária aos governadores nordestinos.

O presidente da Assembléia Legislativa, Adriano Galdino, criticou Bolsonaro.