Ação judicial contra Amadeu pode resultar em afastamento; Presidente se defende

Dois filiados da Federação Paraibana de Futebol (FPF) entraram com uma petição na 13ª Vara Cível da Capital solicitando que a entidade convoque uma assembleia geral e apresente as contas referentes ao ano de 2015. A ação pede, em caso de descumprimento da decisão, se favorável aos clubes reclamantes, até o afastamento do atual presidente, Amadeu Rodrigues.

Segundo a peça elaborada pela defesa dos clubes, Cruzeiro de Itaporanga e Liga Desportiva de Santa Rita, o prazo máximo para a efetivação das contas de 2015 terminou há quatro meses, entretanto, “não foi feita qualquer prestação de contas à despeito do exercício de 2015, e, além disso, os associados/filiados não estão tendo o devido acesso aos livros nem quaisquer documentos contábeis e fiscais da Federação”.

Amadeu Rodrigues, em contato com o WSCOM, disse que as contas foram apresentadas cumprindo todos os requisitos necessários e que a ação é fruto de uma manobra política de “quem quer ser presidente sem ter voto”.

“Está no site da CBF: [as contas de] 2014, 2015, 2016. Todos os pré requisitos que são necessários para aprovação da conta: edital de convocação publicado no jornal, parecer do conselho fiscal, auditor independente. Tá tudo dentro da normalidade. É questão política. Coisa de quem quer ser presidente sem ter voto [referindo-se a Nosman Barreiro]”, concluiu.

Nosman Barreiro é vice-presidente da FPF, ex-presidente do Cruzeiro de Itaporanga e ex-secretário de Cultura, Desporto, Turismo e Lazer de Santa Rita, na gestão de Netinho. Ele se encontra atualmente rompido politicamente com Amadeu.