menu

Futebol

01/08/2019


Ábila marca, Boca Juniors vence o Athletico-PR e vai às quartas da Libertadores

Abila comemora gol do Boca Juniors Getty Images

Depois de vencer na Arena da Baixada por 1 a 0, o Boca Juniors voltou a triunfar diante do Athletico Paranaense na Bombonera nesta quarta-feira, dessa vez por 2 a 0.

Com este resultado, o Boca avança na Copa Libertadores com 3 a 0 no placar agregado das oitavas de final.00

Ramo Ábila fez o primeiro gol da vitória do Boca aos 12 minutos do segundo tempo, com um belo chute. Já nos acréscimos, Salvio ampliou.

A partida teve a presença de Daniele De Rossi, recém-contratado pela equipe, e Dario Benedetto, ex-Boca e atual Olympique de Marselha, nos camarotes da Bombonera.

Com este resultado, o Boca Juniors avança às quartas de final e enfrenta a LDU de Quito na próxima fase.

O jogo

Já no pontapé inicial, os argentinos chegaram na área athleticana, mas Ábila não conseguiu o domínio antes do arremate. O Athletico-PR parecia nervoso, errando na saída de bola. Aos três minutos, Zárate recebeu na cara do gol e Wellington apareceu para travar e salvar. O árbitro, entretanto, marcou impedimento na jogada. Nikão tentou responder para acalmar, com um chute de longe, por cima da meta.

O clima começou a esquentar, com entradas mais fortes dos jogadores do Boca. O árbitro não economizava nos cartões. Aos 11 minutos, Capaldo pegou bonito na bola na entrada da área e Santos praticou a defesa, cedendo o escanteio. O Rubro-Negro seguia com dificuldade para sair do campo de defesa. Aos 15 minutos, ótimo lançamento para Ábila, que serviu para Nandez que, sem goleiro, chutou em cima de Márcio Azevedo, que salvou em um lance inacreditável.

Nandez aproveitou sobra de bola, aos 17 minutos, e chutou no cantinho para defesa de Santos. Mais uma vez a equipe xeneize chegou no ataque, aos 21 minutos, e MacAllister chutou cruzado, direto pela linha de fundo. A disputa ficou um pouco mais equilibrada, com os brasileiros saindo mais para o jogo. Confusão total na área athleticana, aos 35 minutos, após cobrança de escanteio, a bola passou duas vezes por cima da linha antes de ser afastada. Aos 42 minutos, Zárate cobrou falta, Ábila chegou desviando e mandou para fora. O Boca abusava na arte de perder gols. Aos 44 minutos, MacAllister, de cabeça, parou em Santos.

Para a etapa final, as equipes retornaram com as mesmas formações. Cirino saiu errado aos cinco minutos, e entrou para Ábila arrematar por cima da meta. O jogo voltou mais truncado, com muita disputa de bola entre as intermediárias. Até que, aos 12 minutos, lançamento para Abila, que ganhou da defesa e mandou um petardo para afundar a rede e abrir o placar.

O Athletico-PR tentou responder logo na saída de bola, com Marco Rúben, que recebeu em velocidade e bateu cruzado para defesa de Andrada. Zárate entrou com facilidade no meio da defesa brasileira e chutou rasteiro, aos 17 minutos, para defesa de Santos. Bruno Nazário cobrou falta fechada, aos 20 minutos, mas Léo Pereira não conseguiu o desvio em cheiro. O Athletico-PR trabalhava a bola, mas o relógio jogava contra.

Tabela argentina dentro da área, aos 32 minutos, e a bola sobrou para MacAllister bater cruzado e ganhar escanteio. O técnico Tiago Nunes colocou o Athletico todo no ataque, sem laterais de origem e cinco atacantes em campo. Salvio entrou bem na partida e segurava o Boca no ataque. Desorganizado, o time brasileiro sequer conseguia finalizar de longe e viu o sonho da conquista da Libertadores ser mais uma vez adiado. Ainda deu tempo para, noas acréscimos, o estreante Sálvio deixar sua marca.


ESPN