Notícias

Maternidade Frei Damião explica perfil de atendimentos e oferta de serviços

Objetivo de contribuir para a organização do fluxo de pacientes

Gestantes de alto risco, com intercorrências clínicas ou em situação de abortamento, puérperas com irregularidades relacionadas à gravidez e mulheres vítimas de violência sexual. Esse é o perfil de atendimentos da Maternidade Frei Damião, voltada especialmente para casos de urgência e emergência.

O médico pediatra e diretor técnico da maternidade, Bruno Leandro, é quem esclarece o perfil de atendimento na unidade de saúde, com o objetivo de contribuir para a organização do fluxo de pacientes, que são ali atendidos diariamente e assegurar uma melhor assistência para as mulheres e os bebês.

“O serviço é de acesso universal e depende apenas do encaminhamento e regulação prévia da Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF), sendo atendidas preferencialmente as mulheres das regiões pactuadas. Porém é importante destacar que a gestante que der entrada na unidade de saúde em trabalho de parto ou com alguma intercorrência será acolhida, independente do local de onde venha. Por este motivo a unidade acaba sendo referência para os 223 municípios do estado”, afirmou Bruno Leandro.

O médico ainda acrescentou que são admitidas na Maternidade Frei Damião gestantes e recém-nascidos graves que necessitem de tratamento em terapia intensiva. “Para ter acesso à assistência, a mulher deve se encaixar no perfil de atendimento da maternidade e apresentar documentos pessoais, a exemplo do RG e cartões da gestante e do Sistema Único de Saúde”, ressaltou.

Para que a gestante receba toda a assistência necessária, o plantão da Maternidade Frei Damião conta com obstetras, neonatologistas, anestesiologistas, enfermeiras, técnicas de enfermagem, assistentes sociais, psicólogas, fisioterapeutas, fonoaudiólogas, nutricionistas e pessoal de apoio (acolhimento).

Em caso de urgência e emergência, a gestante é atendida normalmente e avaliada. Sendo necessária a transferência, a mulher é referenciada para a unidade de saúde pactuada. Se a transferência não for possível, a gestante é atendida até a resolução ou estabilidade clínica.

O diretor técnico orienta sobre o fluxo em casos de gestação de alto risco e destaca que toda mulher deve ter o seu primeiro atendimento, preferencialmente ainda no primeiro trimestre da gravidez, na unidade básica de saúde e que em caso de identificação do alto risco, em qualquer momento da gestação, a equipe da atenção básica, de acordo com a pactuação, encaminha para a unidade de saúde mais próxima, com uma ficha de referência e os primeiros exames realizados. “Durante a consulta na maternidade, é preenchida a ficha de contra-referência, com informação a ser devolvida para a UBSF. É importante frisar que o acompanhamento da gestante de alto-risco não é exclusivo da maternidade”, informou.

Locais pactuados - Em João Pessoa, os locais pactuados para atendimento na Maternidade Frei Damião são os bairros de Cruz das Armas, Oitizeiro, Bairro das Indústrias, Distrito Industrial, Bairro dos Novais, Costa e Silva, Gauchinha, Funcionários I, Jardim Planalto, Jardim Veneza e Vieira Diniz.

Além disso, estão pactuados os municípios das 2ª, 12ª e 14ª gerências regionais de saúde, entre eles Araruna, Bananeiras, Belém de Caiçara, Borborema, Mulungu, Piloezinho, Pirpirituba, Serraria e Tacima, Salgado de São Félix, Mogeiro, Itabaiana, Caldas Brandão, Baía da Traição, Curral de Cima, Mamanguape e Pedro Régis.

Balanço - A Maternidade Frei Damião realiza uma média de 1.500 atendimentos, além de 300 partos mensalmente. Do total de partos, 60% é normal (humanizado) e 40% cesárea.

Estrutura- A Maternidade Frei Damião conta com 63 leitos, entre eles 36 obstétricos, distribuídos em nove enfermarias, seis de Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (Utin), cinco de Unidade de Cuidados Intermediários Convencional (UCINCo), quatro de Unidade de Cuidados Intermediários Canguru (Ucinca) e seis de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI materna).

Da Redação


notícias relacionadas