Notícias

Debate discute acesso à saúde e cidadania de travestis e transexuais na PB

Evento acontece segunda-feira (16), às 9h30, no auditório do Complexo Hospitalar Clementino Fraga, no bairro de Jaguaribe, na Capital

Uma roda de conversa promovida pelo Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, vai discutir o acesso à saúde e cidadania de travestis, mulheres transexuais e homens transexuais, nesta segunda-feira (16), às 9h30, no auditório do Complexo Hospitalar Clementino Fraga, no bairro de Jaguaribe, na Capital.

A atividade é uma parceria com a Comissão Organizadora do III Seminário Internacional Desfazendo Gênero, que acontece em João Pessoa e Campina Grande, e com o Complexo Hospitalar Clementino Fraga.

Os palestrantes convidados são a travesti Amara Moira, doutoranda em Crítica Literária pela Unicamp, colunista do Mídia Ninja e escritora.

O doutor em Saúde Coletiva pelo IMS/UERJ, Guilherme Silva de Almeida, também participa da conversa. Guilherme é atualmente professor adjunto da Faculdade de Serviço Social da UERJ. Tem experiência técnica na área de Saúde Coletiva, Assistência Social e Direitos Humanos. Ele tem estudos e ações extensionistas voltados especialmente a temas relacionados à Diversidade Sexual e de Gênero, Política de Saúde e Relações de Trabalho.

Além dele, a economista Viviane Vergueiro, mestra em Cultura e Sociedade pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação/UFBA, estará presente. Ela é ativista transfeminista e integrante do Grupo Cultura e Sexualidade (CuS – UFBA).

Na UFPB - Durante à tarde, às 15h, os palestrantes participam de debate na UFPB, no auditório do Centro de Ciências Sociais Aplicadas, com o tema (Re)conhecendo a cidadania LGBT na produção de conhecimentos. Neste evento, a realização é em parceria com ADUFPB e UFPB com parceria de Núcleos de Pesquisa e Extensão da UFPB.

Os eventos são gratuitos e oferecidos para profissionais, gestores, estagiários, usuários do Ambulatório Travestis e Transexuais e do Espaço LGBT, entre outras pessoas, além de professores, alunos e bolsistas de cursos de humanas e saúde. 

Da Redação (Com Assessoria)


notícias relacionadas