Notícias

Temer acusa Veneziano de desmoralizá-lo e releva oposição de Ricardo

Presidente concedeu entrevista ao programa Correio Debate, nesta segunda-feira

 O presidente Michel Temer (PMDB) concedeu entrevista, na tarde desta segunda-feira (21), ao programa Correio Debate, da rádio Correio Fm. Temer comentou temas relevantes ao Estado da Paraíba, como a conclusão do Eixo Norte da Transposição do Rio São Francisco, e a relação com o governador Ricardo Coutinho (PSB).

Temer afirmou, ao jornalista Nilvan Ferreira, que espera concluir o Eixo Norte muito antes do final do seu mandato. Ele ainda comentou que não reivindica a paternidade de obra, apesar de ter sido o seu Governo a concluí-la.

“Nós estamos trabalhando muito nisso. No Eixo Leste o meu governo colocou R$ 700 milhões para construir, e foi emocionante aquele momento em Monteiro as águas fluindo, o que aumentou sensivelmente o fluxo no Rio Paraíba, algo extraordinário. Vamos concluir [o Eixo Norte] muito antes do fim do nosso governo”, disse.

O presidente chamou a sua relação com o governador Ricardo Coutinho de 'republicana', e disse que o foco do seu trabalho é o povo da Paraíba, apesar da oposição feita pelo governador.

“A relação é institucional, sei que o governador não me apoia politicamente. Mais que o governador, o que interessa é o povo da Paraíba, você não pode prejudicar a população de um estado por conta de um governador. É uma relação de um caráter republicano”, comentou.

Michel ainda comentou a situação envolvendo o deputado federal Veneziano Vital (PMDB), que foi punido pelo partido após votar contra o presidente na Câmara Federal, em parecer que livrou Temer da denúncia por corrupção passiva, que seguiria ao Superior Tribunal Federal.

“É uma reação natural para dar força ao esquema partidário. Todos tem que acompanhar porque o partido fechou questão, quem não acompanhou o partido não faz sentido não sofrer nenhuma espécie de advertência e de punição partidária. Se não você desmoraliza a questão partidária, e foi uma coisa grave, porque tratava-se de desalojar o presidente e sobre o fundamento de uma suspeição. Votando pela denúncia, ele está desmoralizando a figura do presidente”, concluiu. 

Da Redação


notícias relacionadas