Notícias

Prefeito de Maceió prepara duelo com governador Renan Filho

Rui Palmeira reúne base com Collor, Biu, Quintella, Téo e Lessa

Créditos: MARCO ANTÔNIO/SECOM MACEIÓ

Reeleito com mais de 60% dos votos sobre o grupo político do presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL), o prefeito de Maceió Rui Palmeira (PSDB) continua fugindo da confirmação de sua natural predisposição para disputar o mandato de governador em 2018. Foi o que o prefeito da capital fez logo após chegar à cerimônia de posse, no fim da tarde do último domingo (1º). Mas a formação de seu novo governo reúne lideranças políticas capazes de dar competitividade à sua candidatura ao Governo de Alagoas.

Após ser cumprimentado pelo senador Benedito de Lira (PP), entusiasta de sua candidatura a governador de Alagoas, o prefeito foi questionado se a formação de seu secretariado teria sido feita com base na preparação de uma base política para voltar a duelar com os Calheiros em 2018, disputando contra a reeleição do governador Renan Filho (PMDB).

A resposta de Rui Palmeira foi furtiva, quando o Diário do Poder lembrou ao prefeito que o senador Biu de Lira defendeu sua candidatura a governador, neste momento considerado de fortalecimento político.

“O Biu é muito entusiasmado, é muito animado. Mas a gente deixa 2018 para 2018, não é? [risos]”, respondeu Rui Palmeira.

A quem lhe pergunta sobre o boato de que poderia se aliar a Renan Filho, como candidato a senador, para apoiar a reeleição do governador, Rui Palmeira resume: "É maluquice! Não tem respaldo nenhum. Políticamente, cada um está de um lado. Não tem por quê eu me aliar a eles. Institucionalmente, se [Renan Filho] tiver alguma ação para Maceió e acharem necessário me ouvir, me consultar, a gente está à disposição".

Rui foi reeleito no 2º turno derrotando o campeão de votos em Maceió e deputado federal Cícero Almeida, o Ciço (PMDB). Ex-prefeito do PMDB, Ciço era tido como imbatível, com o apoio dos Calheiros. O maceioense discordou e impôs um vexame para o recordista de votos e seus padrinhos da família Calheiros.

BASE REFORÇADA

Com menos de dois anos para consolidar as chances eleitorais, diante de uma anunciada luta contra a crise econômica que já lhe impôs entraves ao seu primeiro mandato, Rui Palmeira atraiu aliados importantes para tentar superar as dificuldades, em parceria com as forças políticas alagoanas, conforme a seguinte distribuição:

- Senador Benedito de Lira (PP), com as pastas de Assistência Social e de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente;

- Ministro dos Transportes Maurício Quintella (PR), com as pastas da Iluminação Pública e Infraestrutura;

- Deputado federal e coordenador da bancada alagoana do Congresso, Ronaldo Lessa (PDT), com as pastas do Trabalho e do Esporte.

- Senador Fenando Collor (PTC), com a Secretaria Municipal de Segurança e Ordem Pública.

Sem falar em lideranças políticas como o ex-presidente da Câmara dos Deputados e ex-vice-governador José Thomaz Nonô (DEM), que é gestor da Saúde; e do ex-governador e ex-senador Teotonio Vilela Filho, que preside o PSDB de Rui Palmeira em Alagoas.

A Rui Palmeira, cabe apenas não decepcionar os eleitores que renovaram as esperanças de que faça um bom governo. O que não é missão das mais fáceis.

Diário do Poder


notícias relacionadas