Notícias

Veneziano diz que posse de Cássio no Senado não muda a conjuntura em CG

No entanto, o prefeito reconheceu a força política do grupo Cunha Lima dentro da Rainha da Borborema

A ascensão do ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) ao Senado Federal promete modificar a conjuntura política do Estado durante as eleições municipais de 2012. No entanto, para o prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), a posse do tucano não mudará em nada a atual realidade política na Rainha da Borborema.

Sem desmerecer a força política que o grupo Cunha Lima tem entre os eleitores de Campina Grande, Veneziano preferiu comparar as ações administrativas de seu governo com o trabalho desempenhado durante 20 anos pelas gestões anteriores.

“O fato de ele ter sido empossado recentemente, em absolutamente nada modificará a densidade eleitoral do grupo. É um grupo que se apresenta com substanciais números para concorrer, mas normalmente nós temos a consciência do que fizemos, principalmente quando posto em comparação com aquilo que o grupo representado pelo ex-governador durante 20 anos não fez”, disse o prefeito.

Segundo o prefeito a força da chapa encabeçada pelo PMDB em 2012 estará nas ações. “Nós temos para colaborar com essa candidatura o trabalho realizado. Não personalizamos na política a nossa administração, o que fazemos é apresentar ao cidadão campinense para que ele avalie e aprecie e apresente o julgamento final sobre aquilo que em sete anos já está posto em Campina Grande em relação ao que em 20 anos não foi feito. Então a marca administrativa, as ações de governo é que falam por si, não sou eu nem o meu grupo”, comentou.

Candidatura própria

Apesar de partidos aliados já ter cogitado nomes para a disputa eleitoral em Campina Grande, a exemplo dos deputados estaduais Guilherme Almeida (PSC) e Daniella Ribeiro (PP), o PMDB deverá apresentar candidatura própria. Segundo Veneziano, o nome só deverá ser confirmado no início de 2012.

“O PMDB terá a sua candidatura, mas esse candidato só será apresentado no início do próximo ano. Mas, isso não impede que outros partidos que estejam em composição administrativa conosco possa também apresentar os seus nomes, a exemplo do PSC, do PT, do PP. Nós estamos sabendo, enfim, como dar consistência ao discurso e engrossando a rede apoios, mas afirmo que o PMDB terá o seu nome sim”, concluiu.


notícias relacionadas