Notícias

Hugo Motta comenta aprovação do PL que regulamenta a profissão de tecnólogo

Aprovação do Projeto de Lei nº 2.245/2007 é um grande passo para uma maior valorização desses profissionais, diz o deputado.

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou a proposta que regulamenta o exercício da profissão de tecnólogo. O texto já havia sido aprovado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Educação. Como ele tramita de forma conclusiva, será enviado ao Senado, a menos que haja recurso para análise pelo plenário da Câmara.

Para o deputado Hugo Motta, a aprovação do Projeto de Lei nº 2.245/2007 é um grande passo para uma maior valorização desses profissionais. "Estivemos empenhados, mobilizando a categoria e discutindo a importância da profissão para a sociedade. Já havíamos conversado com os alunos de Tecnólogo em Segurança do Trabalho em Patos, onde os mesmos expuseram a importância do reconhecimento da profissão e, de imediato, começamos a mobilizar em prol da categoria", disse.

Hugo Motta ressaltou a importância da existência do curso de Tecnólogo em Segurança do Trabalho em Patos. “A cidade de Patos é privilegiada por ter uma instituição federal como o IFPB oferecendo o curso de tecnólogo do trabalho, uma profissão essencial nos dias de hoje, já que leva segurança para os trabalhadores no ambiente de trabalho. Por isso, não podemos deixar de apoiar e lutar por esse projeto”, afirmou Hugo Motta.

No início de junho de 2012, o parlamentar declarou apoio ao Projeto de Lei que regulamenta a profissão de Tecnólogo. Em conversa com a deputada federal Fátima Bezerra (PT-RN), relatora do PL , a pauta foi agilidade na inserção do projeto na pauta de votação.

Qualificação

Reginaldo Lopes, autor do PL, acredita que a proposta deverá estimular a qualificação dos profissionais no País. “O Brasil vive um apagão de mão de obra. A maior parte dos países desenvolvidos tem até 60% de seus estudantes em cursos técnicos profissionalizantes. Com a regulamentação, damos cidadania a milhões de brasileiros que investiram tempo em cursos de tecnologia e não tiveram suas profissões reconhecidas”, argumentou.

Pela proposta, entre as atividades dos tecnólogos estão:

- análise dados técnicos, desenvolver estudos, orientar e analisar projetos; - supervisão e fiscalização dos serviços técnicos dentro das suas áreas de competência contempladas no Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia do MEC; - - consultoria, assessoria, auditoria e perícias; - - ensino, pesquisa, análise, experimentação e ensaio; - - condução de equipes de instalação, montagem, operação, reparo e manutenção de equipamentos.

De acordo com o PL 2245/07, os tecnólogos deverão solicitar o registro nas ordens ou nos conselhos de fiscalização profissional de acordo com a sua área de atuação.
 


notícias relacionadas