Notícias

Criança morre no hospital de Bayeux; COREN denuncia sucateamento e fala em inter

Criança morreu aos poucos após passar mais de dez horas em atendimento, segundo o Coren

Criança morreu no hospital de Bayeux (Foto: Ariofox / Bayeux em Foco)
O caos que se instalou na Saúde do município de Bayeux, administrado por três médicos (prefeito, vice e secretário), fez mais uma vítima na noite deste sábado (13). Desta vez, uma criança morreu aos poucos após passar mais de dez horas em atendimento na unidade hospitalar que, segundo o Coren, está sucateada.

Segundo Ronaldo Miguel, presidente do COREN/PB (Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba) , a menor DSS, residente na Rua Projetada 180 A, em Várzea Nova, deu entrada às 12h no Hospital municipal de Bayeux com quadro de parada respiratória, o que obrigou a equipe a entubar (ventilar) a paciente, mas o procedimento "simples" acabou se tornando um transtorno que levou à criança à morte pelo fato de o ventilador mecânico, que deveria estar funcionando, simplesmente está quebrado e sem previsão de reparo, o que obrigou os enfermeiros a manterem a criança respirando por métodos manuais há mais de dez horas.

Ronaldo denunciou que o hospital não possui equipamentos mínimos para o atendimento de urgência e revelou que pela falta de estruturar deverá interditar a ala em que a criança foi atendida.

Esse não é o primeiro caso em que um paciente vem a óbito no hospital de Bayeux por falta de médicos, equipamentos e negligência. Os relatos dos funcionários são apavorantes quanto aos absurdos praticados pela atual administração municipal.

Enquanto uma criança morria lentamente no hospital de Bayeux por falta de equipamento, no mesmo horário o prefeito Expedito Pereira (PSB) e uma tropa de assessores se esbaldavam com bebidas e comidas em uma festa realizada no Rotary Clube.


notícias relacionadas