Notícias

Câmara de Campina Grande propõe o uso racional da água de Boqueirão pela populaç

Câmara defende que a Cagepa e outros órgãos do Governo realizem ampla campanha

Vereador propõe estudo para uso da água de Boqueirão (assessoria)
A Câmara Municipal de Campina Grande está defendendo que a Cagepa e outros órgãos do Governo realizem uma ampla campanha de divulgação, conscientizando a população para o uso responsável da água, principalmente no Compartimento da Borborema, servida pelo produto do Açude de Boqueirão.

O Poder Legislativo aprovou por unanimidade requerimento do vereador Nelson Gomes, presidente da Câmara, a respeito da questão.

Ele propôs que a Casa solicite à direção da Cagepa - a estadual e a de Campina Grande -, no sentido de que realizem campanhas de conscientização do uso da água, principalmente com relação ao produto depositado no Açude de Boqueirão, que abastece Campina Grande e uma vasta região.

Disse que o momento é preocupante com relação à falta de chuvas no Nordeste, e se faz necessário que a CAGEPA desenvolva esforços alertando para que a população use com sabedoria a água que é um produto escasso.

Conforme levantamento da AESA, o Açude Epitácio Pessoa, neste dia 14/05/2012, está com 328.891.729, de sua capacidade máxima de 411.686.287. Ou seja, 79,9 por cento.

A água é um recurso natural muito precioso que vem cada vez mais sendo estudada nas últimas décadas. O uso racional da água e o combate ao seu desperdício são hoje uma preocupação mundial. Alguns estudos de instituições internacionais estimam que até 2025 um terço da população mundial experimentará efeitos extremos de escassez de água. Com a preocupação e agravamento de falta de água, as pessoas devem assumir uma nova forma de pensar e agir, mudando seus hábitos e desenvolvendo formas de economizar água.

A O esgotamento do recurso “água” é uma realidade e o uso racional deve ser considerado uma prioridade ambiental e social. Em se tratando do contexto mundial, Oriente Médio, Norte da África, Ásia Central e África Subsaariana são os que mais sofrem com a escassez. Falando de Brasil, o consumo nos últimos anos dobrou, e a expectativa é que dobre novamente, estimulada pelo consumismo. A disponibilidade de água per capta já é três vezes menor do que 1950.

Várias formas de conscientização sobre o uso racional da água foram implantados, tanto a titulo federal, estadual e municipal, mas a realidade está bem distante do que se almeja em relação ao cotidiano de cada pessoa.

Deve-se buscar a cada dia a conscientização para que com isso possamos obter resultados positivos contra o desperdício de água doce. Conscientizar pessoas para:

Fechar bem as torneiras, tomar banhos mais curtos, não gaste água lavando carros e calçadas, reutilizar água para diversas utilidades, não jogar/poluir fontes de água (rios, lagos, etc.).


notícias relacionadas