Tragédia de Camará completa dois anos; Governo diz que recuperação de Alagoa Gra - WSCOM

menu

Economia & Negócios

19/06/2006


Tragédia de Camará completa dois

A tragédia na cidade de Alagoa Grande, com o rompimento da barragem Camará, completou dois anos no último final de semana. Cinco pessoas morreram e quase três mil ficaram desabrigados. Segundo informações do Governo do Estado, a recuperação do município custou quase R$ 12 milhões, com aquisição de casas para desabrigados, construção de ponte e outras ações.

Na construção do conjunto habitacional em Alagoa Grande foi investido o montante de R$ 3.919.920. As casas já estão praticamente prontas faltando apenas a conclusão das instalações elétricas, hidráulicas e a pavimentação das ruas.

Em áreas de assentamentos rurais, o Governo construiu mais nove casas, investindo R$ 63.889,92. Investiu mais R$ 1.190.855,11 na recuperação e manutenção de casas semi-destruídas e ainda realizou obras de iluminação pública nos conjuntos habitacionais em Canafístula e Zumbi, com gasto de R$ 114.166.

A recuperação de áreas e ruas inundadas e a entrega de vinte títulos de quitação de casas próprias foram outros benefícios. Outras 31 casas em várias ruas da cidade serão entregues a famílias vítimas da tragédia. As casas estão localizadas nas ruas José Joaquim do Vale, Ernesto Cavalcanti, Antônio Benvindo, Vidal de Negreiros, Macário de Castro, Mariano Rodrigues, Rua Nova, Itília Pereira e Quatro de Outubro.

Nesta quarta-feira, 21, o Governo do Estado fará o pagamento a famílias atingidas pelo rompimento da barragem. Serão pagos R$ 386 mil que se somarão aos quase R$ 400 mil pagos nas duas últimas semanas. O pagamento acontecerá no Centro de Treinamento em Alagoa Grande.

Além de Alagoa Grande, famílias de Areia, Alagoa Nova, Mulungu e Guarabira também foram indenizadas. Equipes da Secretaria da Receita Estadual fizeram levantamento nas localidades destruídas pela barragem.

O pagamento de indenizações começou logo depois da tragédia, sendo esta uma das primeiras assistências às famílias, que se somaram à distribuição de cestas básicas, água mineral e abrigo para aquelas famílias que perderam imóveis, móveis e eletrodomésticos. As assistências atingiram moradores das zonas urbana e rural.

Notícias relacionadas