Situação e oposição ainda se desentendem sobre MP do reajuste e colocam em risco - WSCOM

menu

Política

18/06/2006


Situação e oposição ainda se

O vereador Luciano Cartaxo (PT), líder do Governo Municipal, informou ao Portal WSCOM Online que uma alteração na Medida Provisória (MP) do reajuste pode inviabilizar o pagamento do 13º salário, programado, segundo a Prefeitura, para ser feito no dia 21.

A oposição alega que alguns setores do funcionalismo municipal está saindo prejudicada e pleiteia que o prefeito Ricardo Coutinho estenda os benefícios repassadas à categoria do magistério.

“O prefeito está esperando a votação porque quer pagar 50% do 13ª até o dia 20 deste mês. Se estivéssemos votado a MP, o pagamento já teria sido viabilizado”, garante Cartaxo.

Segundo o vereador, se houver algum acréscimo nas despesas da Prefeitura o pagamento pode ficar inviabilizado. O petista disse que a idéia continuar pagando a folha aos funcionários dentro do mês trabalhado.

Para Cartaxo, a Câmara só tem duas sessões até o recesso, marcado para o dia 30 – contando apenas as duas quartas-feiras, 21 e 28. O líder da oposição, Tavinho Santos, discorda: ‘temos cinco sessões”.

“É importante a gente acabar com essa pendenga”, avisa Cartaxo. “Todo mundo já está consciente, além do mais tem a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Precisamos otimizar as sessões”, argumenta.

Oposição – A oposição pretende se reunir na segunda, 19, para tratar não só da MP mais também de toda votação do que estiver em pauta.

O líder da oposição disse que as outras matérias serão votadas com tranqüilidade. “A maior polêmica vai ser em cima da MP”, explica. A LDO tem cerca de 280 emendas que já foram incluídas pelo relator Benilton Lucena.

Santos não vê relação entre a votação da MP e o pagamento do 13º. “Tem nada a ver uma coisa com a outra”, rebate. “O poder legislativo é uma secretaria do executivo, é?”, ironiza. “Ele está querendo é fazer jogo de cena com o funcionalismo”, acusa.

Notícias relacionadas