Renato Braz, Cláudio Nucci e Dona Júlia estão no Seis e Meia desta quarta - WSCOM

menu

Entretenimento

07/06/2006


Renato Braz, Cláudio Nucci e

A virtuose de Renato Braz e a bela poesia de Cláudio Nucci brindam o pessoense na atração nacional do Projeto Seis e Meia, desta quarta-feira, 7, no MAG Shopping, em Manaíra. O som pop vem de Campina Grande com a banda Dona Julia, composta por jovens músicos de talento. O Seis e Meia tem o apoio da Prefeitura Municipal de João Pessoa e os ingressos já podem ser adquiridos na Europa Câmbio por R$ 14 (inteira) e R$ 7 (estudante).

Renato Braz já esteve em João Pessoa por três vezes e sempre encantou a platéia com uma bela voz, interpretando canções como Pagã (Chico César), Sorri (Charles Chaplin e versão de João de Barro), 7×7 (Guinga e Aldir Blanco), Cantiga de Sapo (Jackson do Pandeiro), Historia Antiga (Dori Caymmi e Paulo César Pinheiro), Chora Coração (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), Do Pilá (Jararaca) entre tantas.

A familiaridade com a música começou muito cedo e essa sensibilidade foi herdada dos pais, mas foi de Milton Nascimento que ele recebeu a maior influência. Em 1996, lançou o primeiro CD, que leva o seu nome. Dois anos após lançou “História Antiga”. No início de 2002, lançou o CD “Outro Quilombo” e conquistou o primeiro lugar no 5º Prêmio Visa Edição Vocal, gravando um novo disco – “Quixote” – pelo selo Eldorado. Para muitos artistas e críticos, o violão de Renato Braz é inconfundível, pois traduz a música brasileira de qualidade, através de um dedilhado suingado.

Cláudio Nucci, autor das canções Sapato Velho e Toada, sucessos na voz do grupo vocal Boca Livre, iniciou carreira solo em 1980. Neste show homenageia Dorival Caymmi, apresentando canções do seu último disco que batizou com o nome Ao Mestre, Com Carinho (gravadora MCD/Lua Discos). Também cantará sucessos antigos e músicas inéditas como Casa da Lua Cheia, Alegre Menina, Mar de Mineiro e outras.

Para esta homenagem a Caymmi, Nucci vai interpretar canções do compositor baiano, entre elas ‘Maracangalha’, ‘Sábado em Copacabana’, ‘O Dengo’, ‘Quem Vem pra Beira do Mar’, ‘Só Louco,Vatapá’. Esse paulista de nascimento e carioca por adoção foi também um dos criadores do Boca Livre que em 1979 se consagrou como o primeiro grupo a vender 100 mil cópias de um disco independente. Suas composições foram gravadas por Nana Caymmi, Emílio Santiago, César Camargo Mariano, Roupa Nova e Zizi Possi. Em 1985, lançou o LP “Pelo Sim, Pelo Não”, com Zé Renato, que teve duas músicas incluídas na trilha da novela “Roque Santeiro”, da TV Globo.

O pop da Paraíba – A banda campinense Dona Julia, surgiu do empenho de cinco jovens em mostrar, através de um trabalho autoral, que a Paraíba, a exemplo do forró, também exporta pop rock de qualidade. Composta por Katharine Nóbrega (voz e violão e assina a maioria das composições), Pedro Porto (contra-baixo), Arthur Vieira (bateria), Víctor Klaver (teclado) e Hildon Diego (guitarra e voz), a banda vem se preparando há um ano, compondo e ensaiando um repertório com mais de vinte músicas que refletem o estilo pop-rock romântico, com influências do blues, do funk, e do rock´n roll.

Eu só quero te encontrar e Noite (Katharine Nóbrega), Simples Cidade (Lela Callou), Hipocrisia (Tony Ely/Hildon Diego) e Sei não (Víctor Maia) são algumas das canções que o grupo mostrará neste show. A banda já se apresentou no Centro Universitário de Cultura e Arte, no 10º Festival de Artes de Areia/PB, na Calourada de Comunicação Social (UEPB), Encontro para a Nova Consciência/CG e outros ambientes.

Notícias relacionadas