'Quadrado' emperra, mas Brasil consegue recorde de vitórias - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

13/06/2006


'Quadrado' emperra, mas Brasil consegue

O”quadrado mágico” não funcionou como se esperava, mas o Brasil estabeleceu o recorde de vitórias consecutivas em Copas do Mundo (oito, somadas as sete de 2002) com a ajuda de uma tática “antiga”: o avanço dos laterais foi fundamental para a vitória de 1 a 0 sobre a Croácia, nesta terça-feira em Berlim, na estréia da seleção no Grupo F.

Além das descidas de Roberto Carlos e, principalmente, de Cafu (que deu início à jogada do gol de Kaká aos 43min do 1º tempo), outro responsável pelo resultado foi o goleiro Dida, com defesas difíceis em chutes potentes durante a pressão dos croatas no 2º tempo.

As descidas de Cafu e Roberto Carlos, que teoricamente não seriam mais tão necessárias com tantos talentos à frente, se tornaram a opção para furar o bloqueio croata. Mas Parreira já parecia prever que iria precisar deles ao liberá-los para descer simultaneamente no amistoso contra a Nova Zelândia, no último dia 4.

“Tivemos dificuldades em imprimir o nosso ritmo”, declarou o técnico carlos Alberto Parreira, ainda no intervalo, à TV Globo.

A Croácia se trancou atrás com uma marcação forte que dificultava a troca de passes do “quadrado”. Para piorar, Adriano e Ronaldo se conformaram em ficar inoperantes.

Com a inoperância da dupla de ataque, a opção favorita da seleção foi arriscar chutes de longe. Kaká foi quem mais tentou, fazendo o gol e, no 2º tempo, levando perigo em um chute cruzado.

Ronaldo saiu vaiado pela torcida aos 24min do 2º tempo. Pesado, lento, ele praticamente só fez uma boa jogada: aos 10min do 2º tempo, Kaká rolou para Ronaldo chutar de fora da área, para longe do gol.

O substituto de Ronaldo foi Robinho, que já buscou agilizar o ataque. Em sua primeira jogada, colocou Adriano na cara do goleiro. Mas Adriano, meio displicente, conseguiu

Os laterais Cafu e Roberto desceram e arriscaram contra o gol de Pletikosa no 1º tempo – um de Roberto Carlos de longe que Pletikosa espalmou para fora, outro cruzado de Cafu de dentro da área.

De uma descida de Cafu num corredor deixado pela Croácia saiu o passe para Kaká fazer o primeiro gol aos 43min do 1º tempo, fintando dois marcadores antes de chutar forte. Para ajudar Kaká, seu marcador principal Niko Kovac saíra de campo contundido pouco antes.

Aos 16min do 2º, Cafu criou outra grande oportunidade: desceu livre novamente e fez um cruzamento preciso para Ronaldinho cabecear forte e obrigar Pletikosa a uma defesa de reflexo.

Ronaldinho tentou abrir espaços, mas era quase sempre marcado em cima por dois adversários (quando não quatro, como numa jogada depois de um escanteio em que ele tentou lançar Kaká com um toque de calcanhar).

Kaká teve mais sucesso em achar brechas com fintas curtas como a do gol que marcou no 1º tempo.

O problema foi na retaguarda. Desde o início, a Croácia concentrou seus ataques pela esquerda, forçando sobre o setor de Cafu. A defesa brasileira oferecia muito espaço, mas a Croácia não teve uma chance de perigo real.

BRASIL EM 2º NO GRUPO

Com a vitória pelo placar mínimo, o Brasil largou em 2º lugar no Grupo F, com 3 pontos mas um saldo de gols inferior ao da Austrália, que venceu o Japão por 3 a 1 na segunda-feira. Se essas já fossem posições finais, o Brasil pegaria a República Tcheca (1ª do Grupo F) nas oitavas-de-final, enquanto à Austrália caberia enfrentar a Itália (2ª do E).

No 2º tempo, os croatas partiram para o sufoco contra uma defesa brasileira afobada. Na primeira tentativa, Lúcio foi facilmente superado por Prso, que chutou cruzado para grande defesa de Dida.

Dida faria, pelo menos, mais três intervenções decisivas. A cada entrada croata na área brasileira, a defesa da seleção parecia reagir mais na base do susto que seguindo um plano montado.

Mesmo com um “quadrado mágico” alternativo (com Robinho), o Brasil não melhorou de rendimento na etapa final. O próximo teste do Brasil (com ou sem quadrados, mágicos ou nem tanto) será no domingo, dia 18, em Munique contra a Austrália, atual líder do Grupo F (leia box ao lado). A Croácia terá o Japão pela frente também no domingo, em Nuremberg.

Notícias relacionadas