Promotoria pede pena de morte para Saddam Hussein - WSCOM

menu

Internacional

19/06/2006


Promotoria pede pena de morte

O promotor-chefe do processo que acusa Saddam Hussein de crimes contra a humanidade, Jaafar al -Mussawi, pediu que o ex-presidente do Iraque seja condenado à morte por enforcamento.

Jaafar al -Mussawi também pediu que outros dois réus – o meio-irmão de Saddam Barzan al-Tikriti e o ex-vice-presidente Taha Yassin Ramadan – recebam a pena capital.

Saddam Hussein e sete ex-integrantes de seu governo são acusados de envolvimento no massacre de 148 xiitas no vilarejo de Dujail, em 1982.

A argumentação da acusação no processo que julga Saddam Hussein por crimes contra a humanidade, que já dura oito meses, foi concluída nesta segunda-feira.

Os últimos argumentos da defesa devem ser apresentados no dia 10 de julho. Depois disso, o painel de cinco juízes deve apresentar as sentenças contra os oito réus.

A ação contra o vilarejo de Dujail teria sido em represália a um tentativa frustrada de assassinar Saddam Hussein.

Um dos avogados da acusação, cujo nome não foi revelado por motivo de segurança, disse nesta segunda-feira que os réus conduziram um ataque “sistemático” e de “grande escala” a Dujail.

“Eles aprisionaram homens, mulheres e crianças, que foram submetidos a tortura física e mental, incluindo o uso de choques elétricos”, disse o advogado.

Segundo ele, o suposto atentado contra Saddam Hussein não passou de uma “fabricação” com objetivos políticos.

A defesa, por sua vez, argumenta que a operação em Dujail foi uma resposta necessária à conspiração para assassinar Saddam Hussein e que algumas das 148 pessoas que teriam sido mortas estão, na verdade, vivas.

O julgamento de Saddam Hussein e dos sete réus já foi alvo de críticas de alguns especialistas em direito que alegam que o tempo de preparação dado à defesa foi menor do que o dado à acusação.

O processo também foi marcado pelo assassinato de dois advogados de defesa e pela renúncia de juiz-chefe em janeiro de 2006.

Notícias relacionadas