Premiê iraquiano anuncia libertação de 2,5 mil presos - WSCOM

menu

Internacional

06/06/2006


Premiê iraquiano anuncia libertação de

O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, disse que ordenou a libertação de 2,5 mil presos contra os quais não há provas incriminatórias.

Maliki definiu a sua decisão como um gesto de reconciliação nacional, mas disse que partidários do ex-presidente Saddam Hussein não seriam beneficiados.

“Aqueles que serão libertados não são seguidores de Saddam Hussein ou terroristas ou qualquer pessoa que tenha sangue nas mãos”, disse o premiê em uma entrevista coletiva.

Maliki disse ainda esperar que os libertados não interfiram de forma violenta no processo político, em aparente referência à minoria sunita que mantém boa parte da insurgência contra o seu governo.

Por outro lado, correspondentes da BBC dizem que a medida é uma tentativa de Maliki de estender a mão aos sunitas, que dizem ser perseguidos pelo governo liderado por xiitas.

Maliki sempre defendeu que as suas prioridades são ampliar a participação de todos os iraquianos no processo político e melhorar a segurança do país.

No entanto, desde que assumiu o posto, há mais de duas semanas, ele não conseguiu preencher os Ministérios da Defesa e do Interior, considerados essenciais para a segurança, por causa de desentendimentos entre grupos políticos.

O próprio premiê disse nesta terça-feira que não foi possível apresentar no Parlamento candidatos para os postos no domingo porque não havia quórum para uma votação.

Segundo a agência de notícias Reuters, membros do governo iraquiano disseram que rivais de Maliki dentro do seu próprio partido, a Aliança Xiita, bloquearam a votação.

Notícias relacionadas