Portugal enfrenta o Irã para quebrar tabu de 40 anos - WSCOM

menu

Economia & Negócios

17/06/2006


Portugal enfrenta o Irã para

Contra o Irã, Portugal tem a chance de garantir uma vaga às oitavas-de-final depois de 40 anos sem passar da primeira fase em Copas. Contra Portugal, o Irã tem que jogar tudo o que sabe para conseguir sua primeira e salvadora vitória no inédito confronto deste sábado entre as seleções, em Frankfurt.

No último jogo do grupo D, Angola e México ficaram no empate, e Portugal pode assumir a liderança do grupo se conseguir mais 3 pontos.

O time de Luiz Felipe Scolari sofreu para obter uma vitória sobre Angola em sua estréia. Logo aos 4min, Pauleta abriu o placar e a seleção começou a Copa empolgada, com jogadas velozes.

Mas logo a equipe relaxou, não conseguiu criar muitas jogadas de ataque, e a partida terminou em 1 a 0. A imprensa lusa não se convenceu, mas Scolari respondeu às críticas admitindo que a equipe precisa melhorar sua atuação.

“Sabemos que precisamos melhorar se queremos ir além no torneio, declarou o técnico, que levou o Brasil ao pentacampeonato em 2002. “Mas os três primeiros pontos estão guardados”, afirmou.

Mantendo a baixa expectativa, o técnico foi objetivo quando questionado sobre a expectativa para o jogo contra o Irã: “O importante é ganhar, nem que seja por meio a zero”, afirmou. Para Scolari, o jogo será o mais difícil dos três da 1ª fase do grupo D.

Após levar Portugal à final da Eurocopa, o técnico Scolari tem como meta levar a seleção às quartas-de-final do Mundial. Este ano, o brasileiro já bateu um recorde de oito vitórias consecutivas.

No sábado, Portugal estará com seu elenco titular completo, com a volta do luso-brasileiro Deco.

Portugal com força máxima

Recuperado de lesão muscular, o meia do Barcelona deve organizar a equipe e torna-la mais eficaz ofensivamente, reforçando o meio-campo ao lado de Luis Figo, que deve jogar mais à frente. Ao lado de Pauleta, Cristiano Ronaldo também está confirmado no ataque do time português.

“Esta é a última oportunidade para o Irã vencer”, lembrou Figo. “Temos que pensar que a vitória vale a nossa classificação. Será uma final para as duas equipes.”

Os iranianos enfrentam Portugal desfalcados de alguns de seus principais jogadores. A grande preocupação do técnico do time, o croata Branko Ivankovic são os desfalques. O zagueiro Sattar Zare ficará no banco após romper ligamentos do joelho direito. O meia Ferydoon Zandi deve ser poupado com sintomar de febre e um forte resfriado.

O experiente capitão Ali Daei, artilheiro da seleção e crucial para o time, era dúvida com dores nas costas, e só foi confirmado pelo técnico na sexta-feira. Daei foi acusado pelos colegas de não se empenhar em campo.

Os veteranos Mehdi Mahdavikia e o atacante Vahid Hashemian treinaram bem nos últimos dias e devem começar entre os titulares. O goleiro Ebrahim Mirzapour, considerado o principal culpado pela derrota, também está confirmado.

O atacante Ali Karimi, que também começa jogando contra Portugal, foi centro de uma discussão entre os jogadores. Durante o treino, Karimi fez uma entrada dura no meia Mehrzad Madanchi. Karimi foi agarrado pela camisa e o episódio fechou o tempo na seleção iraniana. Além disso, o jogador também não está totalmente recuperado de uma cirurgia no tornozelo direito.

Se vencer, o Irã não apenas afasta o perigo da desclassificação, mas anota sua segunda vitória em uma Copa do mundo. O único resultado positivo da seleção foi em um confronto contra os Estados Unidos na Copa de 1998, quando venceu por 2 a 1.

Política em campo

A presença do Irã na Alemanha foi freqüentemente ofuscada pela política, o que Ivankovic repetidamente tentou evitar, mas falhou.

Políticos alemães chegaram a afirmar que torciam para Portugal, para eliminar a possibilidade de os iranianos se classificarem para as oitavas-de-final da Copa do Mundo, evitando, assim, um mal-estar diplomático a Berlim.

Uma possível visita do presidente iraniano Mahmud Ahmadinejad causaria alvoroço no Mundial e o comitê organizador teme que a presença do chefe de Estado no país acabe em alguma tentativa de atentado terrorista, principalmente depois do líder iraniano ter negado a existência do Holocausto.

No entanto, o governo da Alemanha não pode recusar sua entrada no país, por se tratar de um chefe de Estado e também porque se comprometeu com a FIFA a autorizar a entrada de todas as delegações dos países que participam do Mundial.

No jogo contra o México, domingo passado em Nuremberg, Ahmadinejad foi representado por um de seus vice-presidentes. Durante a partida, uma manifestação na cidade reuniu cerca de mil pessoas que protestaram contra o regime islâmico.

PORTUGAL x IRÃ

Data: 17/06/06

Local: Frankfurt (ALE)

Arbitro: Eric Poulat (FRA)

Auxiliares: Lionel Dagorne e Vincent Texier (FRA)

Portugal:

Ricardo, Miguel, Fernando Meira, Ricardo Carvalho, Nuno Valente; Costinha, Petit, Deco, Figo; Cristiano Ronaldo e Pauleta

Técnico: Luiz Felipe Scolari

Irã:

Mirzapour, Kaabi, Golmohammadi, Rezaei, Nosrati; Mahdavikia, Nekounam, Teymoorian, Karimi; Daei e Hashemian

Técnico: Branko Ivankovic

Notícias relacionadas