Portugal e Holanda fazem duelo inédito com gosto de vingança - WSCOM

menu

Mais Esporte

25/06/2006


Portugal e Holanda fazem duelo

O técnico Luiz Felipe Scolari afirmou que o jogo é o “mais importante” de sua “era” como treinador de Portugal e que acredita que a partida pode ser decidida na prorrogação ou nos pênaltis. Leia mais

Portugal e Holanda nunca se enfrentaram na história das Copas, mas as equipes disputam neste domingo uma vaga nas quartas-de-final do Mundial da Alemanha em partida recheada de rivalidade e polêmica. Na partida em Nuremberg, às 16h de Brasília, a nova geração holandesa quer vingar seu país da derrota na semifinal da Eurocopa-2004, quando, jogando em casa, a seleção portuguesa treinada por Scolari bateu a Holanda por 2 a 1.

Para a equipe do brasileiro Luiz Felipe Scolari, o bis sobre a Holanda pode significar não só o cumprimento da meta de ficar entre os oito melhores da Copa, mas também uma série de recordes históricos. A seleção pode igualar a marca de quatro vitórias seguidas obtida pela geração de Eusébio há 40 anos, que venceu as três partidas da 1ª fase e as quartas-de-final, só caindo na semifinal diante da Inglaterra, para depois ficar com o 3º lugar do Mundial de 1966 – o Brasil, com dez vitórias seguidas entre 2002 e 2006, é o recordista absoluto.

Além disso, a equipe lusa pode ampliar sua série inédita de 17 jogos invictos, que perdura desde fevereiro de 2005. O treinador brasileiro, por sua vez, pode ampliar seus recordes de dez vitórias consecutivas em jogos da Copa e de 30 triunfos pela seleção.

Após a Holanda ficar de fora da Copa de 2002, a geração holandesa comandada pelos veteranos Van Nistelrooy e Van der Sar e pelos jovens Robben e Van Persie busca superar as marcas obtidas pelas últimas gerações da seleção do país.

A última participação da Holanda, em 1998, é um objetivo ainda distante, com o 4º lugar conquistado pela equipe de Davids, Bergkamp, Kluivert e dos irmãos De Boer, que caiu contra o Brasil na semifinal, nos pênaltis. Mas o 7º lugar de 1994, em que o time de Koeman, Rijkaard, Overmars e Bergkamp perdeu para o Brasil nas quartas; e o 14º lugar obtido nas oitavas-de-final pela seleção de Van Basten e Gullit em 1990 já são referências ao alcance do time na Alemanha.

A vitória sobre Portugal neste domingo em Nuremberg teria também um sabor de revanche da eliminação na semifinal da Euro-2004, na qual os portugueses ficariam depois com o vice-campeonato ao perder a final para a Grécia. A queda na competição foi compartilhada por vários jogadores da atual seleção, como Van der Sar, Van Nistelrooy, Van Bronckhorst, Cocu e Robben, que jogaram a partida como titulares.

O jogo foi também o último em uma competição de peso para uma série de jogadores importantes da Holanda, como Reiziger, Stam, Seedorf, Davids e Overmars. Após a queda na competição, Marco Van Basten assumiu o comando dos “laranjas” e agora vai em busca da vaga nas quartas-de-final da Copa que ele não conseguiu atingir como jogador.

NISTELROOY, A DÚVIDA

Descontente com o rendimento de Van Nistelrooy, o técnico Van Basten ameaça deixar o atacante do Manchester United no banco para a entrada de Kuyt. Durante a semana, Nistelrooy treinou entre os reservas. Leia mais

A Holanda chegou às oitavas após vencer Sérvia e Montenegro (por 1 a 0) e Costa do Marfim (2 a 1) e empatar por 0 a 0 com a Argentina, em jogo disputado tendo as duas equipes já classificadas.

Já os portugueses venceram seus três jogos, batendo Angola por 1 a 0 na estréia, o Irã por 2 a 0 na 2ª rodada e o México por 2 a 1 na última rodada, ficando com a liderança do grupo com 100% dos pontos conquistados.

Com a classificação assegurada depois das duas vitórias iniciais, Scolari optou por poupar os titulares Nuno Valente, Costinha, Deco, Cristiano Ronaldo e Pauleta no confronto com o México, que estavam pendurados com um cartão amarelo.

Na partida diante da Holanda, os cinco devem voltar, fazendo com que Portugal entre em campo no domingo com praticamente a mesma equipe que venceu a semifinal da Euro-2004. A única diferença entre aquele e o provável time de domingo é a presença do zagueiro Fernando Meira na vaga de Jorge Andrade, que lesionou o joelho direito em março e não pôde ser convocado.

Maniche foi titular na partida de 2004, e marcou o 2º gol de Portugal no início do 2º tempo, quando placar apontava 1 a 0 para os lusos. Cheio de confiança após ter marcado o gol inicial da vitória sobre o México na última quarta-feira, Maniche disse nessa sexta ter “absoluta certeza de que vamos ganhar da Holanda”.

O jovem atacante holandês Robben por sua vez, adotou discurso buscando afastar o fantasma de 2004. Robben, do Chelsea, disse que “vai ser um jogo diferente” e que ele apenas quer “ser útil à equipe e dar tudo que tenho”.

Descontente com o rendimento de Van Nistelrooy, o técnico Van Basten ameaça deixar o atacante do Manchester United no banco para a entrada de Kuyt. Durante a semana, Nistelrooy treinou entre os reservas e Kuyt já disse que sua expectativa é ser “o carrasco” dos portugueses na Copa.

Recordistas

Outro recorde pode ser quebrado no jogo: o goleiro Van der Sar, titular do Manchester United, somará 113 jogos, ultrapassando Frank de Boer, com 112. O arqueiro já participou de três Eurocopas – 1996, 2000 e 2004 – e dois Mundiais – 1998 e 2006.

DIANTEIRA PORTUGUESA

O confronto entre Portugal e Holanda deste domingo, válido pelas oitavas-de-final da Copa da Alemanha, possui um histórico recente. A primeira partida aconteceu somente em 1990, pelas eliminatórias da Eurocopa de 1992. Foi vencido pelos portugueses, que contabilizam cinco vitórias, três empates e somente uma derrota frente à Holanda. Leia mais

O arqueiro holandês terá à sua frente outro atleta com bagagem ainda maior, o meia português Luís Figo, que desfruta de grande vantagem em seus confrontos contra a Holanda. Com 123 partidas pela seleção lusa, Figo disputou oito dos nove confrontos entre Portugal e Holanda realizados até hoje. Saiu vitorioso em quatro, empatou três e perdeu apenas um, justamente sua 1ª partida oficial pelo selecionado luso, em 1991. Antes de Figo, os times disputaram um confronto, vencido por Portugal.

Caso Van Bommel não perca sua vaga de titular para Van der Vaart, travará um interessante duelo com Maniche, que, como ele, tem importância tanto na marcação quanto na ações ofensivas da sua seleção.

A partida também pode ser palco de confrontos entre os atacante Van Nistelrooy e Cristiano Ronaldo, que jogam juntos no Manchester United, e entre Robben e o zagueiro Ricardo Carvalho, ambos do Chelsea.

Por isso que a melhor avaliação do jogo foi dada por Felipão, treinador português: “as duas equipes são muito parecidas, não há vantagem para ninguém”, disse Scolari. Para ele, dificilmente, o vencedor da partida ganhará por uma diferença de mais de um gol e “tudo pode mesmo ser decidido na prorrogação ou nos pênaltis”.

PORTUGAL X HOLANDA

Data:25/06/06, domingo

Local: Franken-Stadion, em Nuremberg (Alemanha)

Horário: 16h (de Brasília)

Árbitro: Valentin Ivanov (RUS)

Assistentes: Nikolay Golubev (RUS) e Evgueni Volnin (RUS)

Prováveis escalações:

Portugal:

Ricardo; Miguel, Fernando Meira, Ricardo Carvalho, Nuno Valente; Costinha, Maniche, Deco, Figo, Cristiano Ronaldo; Pauleta.

Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Holanda:

Van der Sar; Boulahrouz, Ooijer, Mathijsen, Van Bronckhorst; Van Bommel (Van der Vaart), Sneijder, Cocu e Van Persie; Van Nistelrooy (Kuyt) e Robben.

Técnico: Marco Van Basten.

Notícias relacionadas