WSCOM Online

Login no site Esqueci minha senha O que é Vozmice?
Busca no site

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Aliquam dapibus leo quis nisl. In lectus. Vivamus consectetuer pede in nisl. Mauris cursus pretium mauris. Suspendisse condimentum mi ac tellus. Pellentesque habitant morbi tristique senectus et netus et malesuada fames ac turpis egestas. Donec sed enim. Ut vel ipsum. Cras consequat velit et justo. Donec mollis, mi at tincidunt vehicula, nisl mi luctus risus, quis scelerisque arcu nibh ac nisi. Sed risus. Curabitur urna. Aliquam vitae nisl. Quisque imperdiet semper justo. Pellentesque nonummy pretium tellus.

Menu de navegação

/ Notícias / Paraíba

9/11/10 - 4:31 PM


SOS Mata Atlântica traz projeto itinerante a João Pessoa


Palestras, oficinas, jogos educativos e outras atrações estão na programação.

A partir de amanhã (10/11), a cidade de João Pessoa receberá o projeto “A Mata Atlântica é aqui – exposição itinerante do cidadão atuante”, da Fundação SOS Mata Atlântica. Até domingo (14/11), um caminhão totalmente adaptado pela ONG e sua equipe de educadores ambientais, estarão no Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica) para promover a conscientização ambiental por meio de diversas atrações. Entre elas estão: palestras, oficinas, monitoramento da qualidade da água do Rio Sanhauá, jogos educativos, exibições de vídeos, exposições, maquete interativa, entre outras.

Além disso, será lançado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM), durante a visita do projeto na cidade, o Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica de João Pessoa, documento elaborado com o apoio da Fundação SOS Mata Atlântica que apresenta ações com o objetivo de proteger o Bioma. O horário de funcionamento do projeto é das 11h às 16h no primeiro dia e das 10h às 16h nos demais. A iniciativa tem o patrocínio de Bradesco Cartões, Natura e Volkswagen Caminhões & Ônibus e apoio local da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM), Associação Guajiru, Associação Paraibana dos Amigos da Natureza (APAN) e da Sociedade de Proteção Animal Amigo Bicho (APAAB).

O caminhão já passou por mais de 60 cidades em 16 estados brasileiros com o objetivo de levar educação e conscientização ambiental para os lugares onde ocorre a Mata Atlântica. A Fundação SOS Mata Atlântica compensará as emissões de gases do caminhão por meio de plantios realizados pelo Programa Florestas do Futuro, da própria ONG. O projeto itinerante, agora em seu segundo ciclo anual, visita as regiões Nordeste, Centro-oeste e Sudeste do Brasil. Neste roteiro, o projeto já visitou, além do estado da Paraíba, o Distrito Federal, Goiás, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco e o Rio Grande do Norte. Depois da visita a João Pessoa, o caminhão seguirá para o estado do Ceará.

A visita à capital paraibana serve para mostrar à população que apesar da cobertura original da Mata Atlântica na cidade ter sido reduzida de 100% para apenas 4%, a população ainda pode evitar que o desmatamento continue a ocorrer. A coordenadora do projeto, Camila Plaça, comenta a importância da mudança no comportamento da população: “Hoje, restam apenas 7% de toda Mata Atlântica original brasileira, por isso, não podemos deixar para agir depois, pode acabar sendo tarde demais. As pessoas precisam conhecer como e porque devemos contribuir para a redução do desmatamento. Além disso, a população deve ter a consciência de que uma pequena ação pode fazer a diferença na vida de muitas outras pessoas”. Camila ainda destaca que as pessoas também devem cobrar das autoridades locais uma fiscalização mais rígida e a criação de mais projetos contínuos e efetivos em prol da conservação ambiental.

A equipe de educadores ambientais da ONG pretende reforçar que a conservação do meio ambiente contribui não só para a qualidade de vida, como também para a economia local. A água tratada de forma correta exige menor quantidade de produtos químicos para filtrá-la. O lixo eliminado de forma adequada facilita a reciclagem e possibilita menor extração de matéria prima da natureza. A diminuição de áreas preservadas pode agravar catástrofes naturais como deslizamentos de terra e alagamentos, principalmente em territórios próximos às áreas urbanas, além de poder causar danos à população local. “Por isso, a ideia de levar educação ambiental às várias áreas do território brasileiro é tão importante. O desmatamento não ocorre apenas em metrópoles”, destaca Anderson Palmeira, biólogo e educador ambiental do projeto. “Diferente do que muitos pensam, o cidadão tem também o dever de cuidar do ambiente onde vive. Jogar o lixo no local adequado, economizar água e energia elétrica, tomar cuidado ao mexer com fogo, e, desta forma, contribuir com a cidade e com o planeta. Se não fizer sua parte, não adianta reclamar das autoridades”, completa.

Atividades  - Algumas atrações promovidas pela equipe do projeto na cidade têm horário marcado, como a solenidade de abertura, realizada no primeiro dia (10/11), às 11h. Ainda nesta data, das 11h30 às 13h, acontecerão pequenas palestras sobre a defesa da Mata Atlântica em João Pessoa, em parceria com a Associação Paraibana dos Amigos da Natureza (APAN) e a coleta de água para análise de qualidade do Rio Sanhauá, que acontece às 16h. No segundo dia, às 11h, os visitantes poderão participar da palestra “A Mata Atlântica é aqui em João Pessoa”, realizada pela equipe do projeto itinerante e que aborda temas como desmatamento, educação ambiental, preservação, hábitos sustentáveis e outros assuntos relacionados à Mata Atlântica local.

No mesmo dia, a partir das 14h, as exibições de filmes do CineMata tomam conta dos horários livres. Na sexta-feira (12/11), a partir das 14h, acontecerão pequenas palestras sobre o Projeto Tartarugas Urbanas, em parceria com a ONG Guajiru. No final de semana, ocorrerão as oficinas de desenho de animais da Mata Atlântica, no sábado a partir das 11h, e, às 14h30, a roda de conversa “Silvestre não é Pet”, em parceria com a APAAB; já no domingo, as oficinas de brinquedos feitos com garrafas PET, com início também às 11h.

Além destas, durante todos os outros horários, o projeto conta com mais atrações que são realizadas variando apenas de acordo com o interesse dos grupos que o visitam. Uma delas é a roda das sensações, que mexe com os sentidos dos participantes, colocando-os, de olhos vendados, em uma roda e os expondo aos sons, cheiros e texturas característicos do Bioma; a mini biblioteca para consultas com livros para crianças e adultos sobre as mais importantes questões ambientais da atualidade. O público também poderá conhecer a maquete dinâmica e interativa, que fica exposta durante todo o horário de funcionamento e mostra as diferenças entre dois territórios: um protegido pela Mata Atlântica e outro com uma área desmatada. Fazendo chover de verdade em cima da maquete, os educadores ambientais do projeto mostram também a importância das matas ciliares, a maneira como os lençóis freáticos são formados, como podem ser causados os deslizamentos de terra e as inundações, além de salientar como os rios assoreados interferem no cotidiano das cidades.

Qualquer pessoa pode participar de qualquer atividade, inclusive o projeto conta com uma estrutura própria para receber deficientes físicos, com um elevador específico localizado na parte de trás do caminhão. Escolas e grupos interessados podem realizar visitas monitoradas ao projeto. Além disso, quem tiver interesse em se tornar um voluntário também pode participar. Em caso de dúvidas, agendamento de visitas monitoradas ou inscrição para participação voluntária, é preciso entrar em contato pelo email itinerante@sosma.org.br ou pelo telefone (11) 3055-7886. Mais informações pelo site www.sosma.org.br.

Monitoramento da qualidade da água - A Fundação SOS Mata Atlântica sempre seleciona um rio, córrego ou lago em cada uma das cidades por onde o projeto passa e realiza a coleta de água usando um kit de monitoramento. Desenvolvido pelo programa Rede das Águas da própria ONG, o kit possibilita uma análise que engloba 14 parâmetros físico-químicos, como transparência da água, lixo, odor, oxigênio dissolvido, demanda bioquímica de oxigênio, entre outros. Na cidade de João Pessoa, a coleta será feita no Rio Sanhauá, sempre no ponto mais próximo e acessível do local onde o projeto estará estacionado. Após uma análise detalhada, os resultados serão divulgados no final da estadia do projeto na cidade. “Os resultados das análises servem para mostrar à sociedade a real situação do território onde vivem. A população pode e deve ajudar na conservação das águas, gerando menos lixo e separando corretamente os gerados, optando por produtos de limpeza que não agridam os rios e, também, cobrando e apontando erros para as autoridades locais”, explica Patrícia Ferreti, bióloga e educadora ambiental do projeto.

Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica de João Pessoa - Na sexta-feira (12/11), terceiro dia de evento, às 09h, haverá a solenidade para o lançamento do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica de João Pessoa, uma iniciativa da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM) em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica. O documento tem o objetivo de apresentar a implantação de iniciativas em busca da preservação da Mata Atlântica restante na cidade. Ele consolida a Lei da Mata Atlântica, importante lei federal sancionada em dezembro de 2006, após 14 anos de tramitação, que já conquista importantes resultados na preservação do bioma. Com esse Plano a cidade irá alinhar as suas ações com a legislação federal. “O Plano Municipal de Conservação e Recuperação da João Pessoa será crucial para a preservação da Mata Atlântica na cidade. Isso precisa ser implantado em todos os municípios com Mata Atlântica no Brasil. Ver o poder público de João Pessoa comprometido com essas questões é um fator muito importante para a preservação da Mata Atlântica”, afirma Mario Mantovani, diretor de Políticas Públicas da SOS Mata Atlântica.

Sobre o projeto itinerante: O projeto “A Mata Atlântica é aqui – exposição itinerante do cidadão atuante”, da Fundação SOS Mata Atlântica, está em seu segundo ciclo anual. Até maio de 2011, visitará as regiões Nordeste, Centro-oeste e Sudeste do Brasil, passando pelos estados: Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí. O primeiro ciclo anual do projeto itinerante teve início em maio de 2009 e durou até maio deste ano. Nesse período, a equipe pôde visitar 45 cidades brasileiras localizadas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, levando informações sobre conservação ambiental e sobre a Mata Atlântica para oito estados: São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Minas Gerais. Cerca de 170 mil pessoas puderam participar das atividades realizadas e trocar experiências com a população de outras regiões. Além disso, 40 corpos d’água foram monitorados pelo projeto, que percorreu mais de 11 mil quilômetros rodados e contou com apoio de 140 instituições ao longo da viagem. Quem tiver interesse em acompanhar as visitas do projeto em cada cidade por onde passa, deve acessar www.sosma.org.br/blog.

Sobre a Fundação SOS Mata Atlântica - Criada em 1986, a Fundação SOS Mata Atlântica é uma entidade privada sem fins lucrativos, que tem como missão promover a conservação da diversidade biológica e cultural do Bioma Mata Atlântica e ecossistemas sob sua influência, estimulando ações para o desenvolvimento sustentável, bem como promover a educação e o conhecimento sobre a Mata Atlântica, mobilizando, capacitando e estimulando o exercício da cidadania socioambiental. A entidade desenvolve projetos de conservação ambiental, produção de dados, mapeamento e monitoramento da cobertura florestal do Bioma, campanhas, estratégias de ação na área de políticas públicas, programas de educação ambiental e restauração florestal, voluntariado, desenvolvimento sustentável e proteção e manejo de ecossistemas.

Sobre o Bioma Mata Atlântica - Dentro do território brasileiro existem seis diferentes Biomas: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Pampas, Pantanal e a Mata Atlântica. O Bioma Mata Atlântica está presente em 17 estados e abriga mais de 61% da população. Atualmente, mais de 90% da floresta original foi desmatada, restando apenas 7,91% de remanescentes do Bioma. É um ponto importante para conservação mundial, ou seja, um Hotspot, uma das áreas mais ricas em biodiversidade e mais ameaçadas do planeta e também decretada Reserva da Biosfera pela Unesco e Patrimônio Nacional, na Constituição Federal de 1988. Das 633 espécies de animais ameaçadas de extinção de todos os Biomas do Brasil, 383 ocorrem na Mata Atlântica.

PROGRAMAÇÃO

Realização: Fundação SOS Mata Atlântica.
Patrocinadores: Bradesco Cartões, Natura e Volkswagen Caminhões & Ônibus.
Cidade: João Pessoa (PB) – Data: de 10 a 14 de novembro de 2010.
Local: Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica) – Rua Gouveia Nóbrega, s/n. (a entrada no parque será gratuita no período).
Informações: www.sosma.org.br / itinerante@sosma.org.br Telefone: (11) 3055.7886
Apoio local: Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM), Associação Guajiru, Associação Paraibana dos Amigos da Natureza (APAN) e Sociedade de Proteção Animal Amigo Bicho (APAAB).

Atividades que podem ser realizadas a qualquer momento: CineMata, mini biblioteca para consultas, roda das sensações, jogo da cidadania, jogo da memória, maquete dinâmica, oficinas de desenhos, pintura de máscaras de animais da Mata Atlântica e outros jogos educativos.

10 de novembro (qua) – Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica)
Atividades abertas ao público durante todo o tempo - das 11h às 16h
11h – Solenidade de Abertura.
11h30 às 13h – Mini palestras: Defesa da Mata Atlântica em João Pessoa, em parceria com a APAN
16h - Coleta de água Rio Sanhauá para análise.

11 de novembro (qui) – Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica)
Atividades abertas ao público durante todo o tempo - das 10h às 16h
11h – Palestra: A Mata Atlântica é aqui em João Pessoa.
14h – CineMata: Exibição de vídeos com temas socioambientais.

12 de novembro (sex) – Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica)
Atividades abertas ao público durante todo o tempo - das 09h às 16h
09h – Solenidade de lançamento do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica de João Pessoa, em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SEMAM.
14h às 16h – Mini-palestras sobre o Projeto Tartarugas Urbanas, em parceria com a ONG Guajiru.

13 de novembro (sáb) – Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica)
Atividades abertas ao público durante todo o tempo - das 10h às 16h
11h – Oficina de desenho de animais da Mata Atlântica.
14h30 – Roda de conversa: Silvestre não é Pet, em parceria com a APAAB.

14 de novembro (dom) – Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica)
Atividades abertas ao público durante todo o tempo - das 10h às 16h
11h – Oficina de brinquedos feitos com garrafas PET.
16h – Encerramento das atividades.

Mais informações e/ou imagens para a imprensa:
Lead Comunicação e Sustentabilidade
Fábio Ruocco – tel.: (11) 3168-1412 r21 / (11) 8449-9935 – fabio@lead.com.br
Luiz Soares – tel.: (11) 3168-1412 r18 / (11) 8752-4637 – luiz@lead.com.br

da Redação
WSCOM Online







Revista Nordeste

Veja nesta edição: Quanto custa e quem financia as campanhas.


Veja no Portal NORDESTE:

Busca no site


© Todos os direitos reservados - Grupo WSCOM de Comunicação - www.wscom.com.br

Produzido por Construir Sites