‘O servidor ficou com um salário menor do que antes’, afirma Tavinho, rebatendo - WSCOM

menu

Política

04/06/2006


‘O servidor ficou com um

O líder da oposição, vereador Tavinho Santos (PTB), acusou a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) de ter, com o congelamento das gratificações, diminuído o salário dos servidores municipais. ‘O servidor ficou com um salário menor do que antes’, garante.

As acusações Santos vão de encontro ao que falou na quinta 1º o secretário de Articulação Política do Município, Francisco Barreto, e o presidente do Sindfisco, Roberval Leite. Barreto disse ao Portal WSCOM Online que as perdas dos servidores eram irrisórias.

As declarações de Barreto foram corroboradas pelo que disse Leite, pontuando que as perdas para cada funcionário do fisco em relação aos qüinqüênios não ultrapassavam R$ 20,00.

Santos disse que está visitando alguns órgãos do funcionalismo, ouvindo os servidores e, para ilustrar seu ponto de vista, disse que os servidores da Emlur tiveram a gratificação de insalubridade e a hora extra cortadas de seus contracheques.

“O que aconteceu é que a Prefeitura atendeu ao magistério, mas ficou de fora o pessoal de apoio”, explica, salientando que algumas classes não estão sendo ouvidas pelo Executivo e que elas não têm representação, por isso precisariam do apoio da Câmara.

Para Santos os servidores ficaram na mesma: “ele ( o prefeito Ricardo Coutinho) deu o aumento mais tirou as gratificações”.

Comissão – Os vereadores da oposição devem ir em comissão, juntamente com alguns servidores municipais, à Prefeitura para saber como será a política em relação ao reajuste. A comissão, que ainda não está formada, deve ter a presença dos vereadores Hervázio Bezerra (PSDB) e Severino Paiva (PT).

Santos disse ainda que a comissão vai pedir do prefeito que estipule datas para a conversa com as categorias, para dizer quando serão pagos qüinqüênios e gratificações. “Queremos que ele se comprometa e diga quando serão feitas as conversas”, conclui.

Notícias relacionadas