‘O PT está em vigília’, avisa Frei Anastácio; reunião com Maranhão será às 16h - WSCOM

menu

Política

27/06/2006


‘O PT está em vigília’,

‘O PT está em vigília’, foi assim que o deputado estadual Frei Anastácio (PT) definiu o momento atual do partido, frente a aguardada decisão de quem será o vice do senador José Maranhão (PMDB). O partido fez reunião nesta terça, 27, do diretório estadual do partido para avaliar a situação e confirmou reunião agendada com o senador para as 16h, ainda sem local definido.

“O PT está reivindicando a vice governadoria na chapa do PMDB”, voltou a afirmar o deputado durante a reunião, que contou também com a presença do deputado estadual Rodrigo Soares e da sindicalista Giucélia Figueiredo.

O presidente não acredita em quebra de acordo com a Frente de Esquerda. “Não há nenhuma quebra, nós queremos juntos com a Frente sentar e dialogar quanto a vice-governadoria”, alega.

Entretanto, Anastácio reafirmou que se não sair o vice do PT será construída uma candidatura própria do partido. Sobre uma possível pressão do Governo Federal para que seja feita a aliança com o PMDB o deputado refutou: “O partido está em consonância com a direção nacional”.

O deputado acredita que o senador tem muito a ganhar com o PT na vice-governadoria. Anastácio lembrou a força da militância do PT.

“A candidatura de José Maranhão, eu ando neste Estado, tenho plena consciência de que está de vento e popa. Agora, o PT indo para a vice o senador vai ver o que são 22 mil filiados, 12 vice-prefeitos, 4 prefeitos, 72 vereadores, porque o PT não tem dinheiro, mas tem militância e tem garra”, aponta.

Anastácio considera natural a pressão exercida pelo partido. “Eleição política é disputa. Isso é normal numa campanha política, é normal, salutar e é bom. O que está em jogo é um projeto político para o desenvolvimento da Paraíba, trazendo emprego e renda, valorização dos funcionários públicos, aproximação dos movimentos sociais, a questão da saúde e da educação, isso é que está em jogo”, argumenta.

O presidente lembrou que 85% do PT aprovou a política partidária. “O partido está unificado como nunca”, conclui.

Lula e Maranhão – Contraditoriamente, o deputado disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva manterá o apoio ao senador José Maranhão caso o PT não firme a aliança.

“Claro que permanece o apoio”, disse e ironizou: “A alternativa do PMDB da Paraíba é votar em Lula”.

Caso se configure realmente o que disse o deputado, o Estado pode viver uma situação esdrúxula, com o presidente Lula participando de dois palanques ao Governo do Estado, um palanque do PMDB e outro do PT.

Notícias relacionadas