Ministro admite atraso nas obras do Eixo Norte e diz que Ministério atua para não suspender contrato - WSCOM

menu

21/03/2018


Ministro admite atraso nas obras do Eixo Norte e diz que Ministério atua para não suspender contrato

“Estamos trabalhando para não mais ter uma ruptura de contrato o que necessitaria de uma nova licitação, desmobilização de canteiro, verificação de remanescentes de contrato, nova mobilização e isso comprometeria o cronograma de forma muito mais grave"

O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho refutou hoje (20), durante debate promovido pela Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) do Senado Federal, as informações que as obras do Eixo Norte estão paradas, reconheceu que o Consórcio Emsa – Siton, habilitado para concluir os trabalhos restantes das obras do Eixo Norte da Transposição, não tem cumprido com os prazos acordados, mas reiterou que o Ministério está atento a isso, cobrando sistematicamente celeridade e preferindo manter o contrato atual estudando, inclusive, se faz uma agregação ou fusão para permitir um reforço a fim de viabilizar que a obra tenha sua plena funcionalidade  mais breve possível.

“Estamos trabalhando para não mais ter uma ruptura de contrato o que necessitaria de uma nova licitação, desmobilização de canteiro, verificação de remanescentes de contrato, nova mobilização e isso comprometeria o cronograma de forma muito mais grave. Eu aposto na tese que nós temos que fazer a gestão presencial do Ministério, avançar nas cobranças, assegurar que não haja qualquer dificuldade de liquidação das faturas e exigir mais celeridade da empresa para que a obra seja concluída”, destacou o ministro. Segundo ele, dois mil homens estão atuando nas obras do Eixo Norte. Ainda de acordo com o ministro, a estação de bombeamento número 3 estará concluída e em plena funcionalidade até o final de abril, as águas chegarão ao reservatório de Jati, no Ceará, até o final de junho deste ano, e a partir daí ao Caminho das Águas, inicialmente, ao estado da Paraíba e, posteriormente, em Pernambuco.

Um dos participantes do debate, o deputado estadual Jeová Campos, avaliou como muito positivo e esclarecedor o evento realizado nesta terça-feira. “Primeiro precisamos reconhecer o empenho, competência e sinceridade do ministro que em nenhum momento deixou de reconhecer as dificuldades do consórcio em cumprir os prazos, o cronograma da obra está realmente muito atrasado, uma vez que as águas só chegarão a Jati no final de junho e assim seguir a captação do cinturão das águas em direção a Fortaleza e também a liberação das águas para várias barragens que serão cheias, mas a avaliação que eu faço é que foi um importante encontro, o ministro tem demonstrado dedicação ao tema das águas, conhece o projeto a fundo e com riqueza de detalhes, mas lamentavelmente existiu mais essa pedra no meio do caminho que foi esse consórcio que está demonstrado incapacidade econômica para realizar a obra”, destacou Jeová.

Ainda segundo o parlamentar paraibano, o mais importante do debate foi constatar que os obstáculos estão sendo superados. “Provavelmente, pelas informações aqui colhidas, lá pelo mês de outubro teremos a chegada das águas da transposição na barragem de Morros/Boa Vista, ou seja, mais uns cinco meses para frente do que estava, inicialmente, previsto, mas, o importante é que as águas chegarão à Paraíba e ao Rio Grande do Norte”, disse Jeová, agradecendo o convite da senadora Fátima Bezerra, presidente da CDR, para participar do debate. “Essa temática tem uma sintonia muito grande com o nosso mandato, que tem na luta para que as águas da Transposição cheguem e, efetivamente, melhorem a qualidade devida dos nordestinos uma de suas principais defesas”, finalizou Jeová.

Notícias relacionadas