Mesmo com má atuação, Parreira confirma Ronaldo contra a Austrália - WSCOM

menu

Mais Esporte

14/06/2006


Mesmo com má atuação, Parreira

O técnico Carlos Alberto Parreira reconheceu que Ronaldo não fez uma grande atuação na vitória por 1 a 0 da seleção brasileira sobre a Croácia, na estréia da Copa do Mundo da Alemanha, mas confirmou a presença do atacante no time titular para o duelo contra a Austrália, domingo, às 13h (horário de Brasília), pela segunda rodada do grupo F.

“Vai começar o Ronaldo, está escalado. Ele precisa ganhar ritmo e, se não jogar, não vai conseguir isso”, afirmou o treinador, em entrevista coletiva após a partida.

Parreira disse que a atuação discreta do atacante já era esperada. “O Ronaldo estava sem jogar há dois meses no Real Madrid. É natural que ele esteja um pouco pesado e sinta o ritmo de uma fase inicial de jogos em Copa do Mundo.”

Com Ronaldo no time titular na próxima partida, Parreira espera fazer com que Ronaldo vá chegando ao seu melhor. “Aos pouquinhos, ele vai entrar em forma. É o que a gente espera, é o que a gente quer e é o que vai acontecer.”

Na partida de estréia do Brasil na Copa, Ronaldo atuou por 69 minutos e foi substituído por Robinho. Enquanto ficou em campo, o “Fenômeno” pouco se movimentou e recebeu 14 bolas, menos que o ex-jogador do Santos, que foi acionado em 16 oportunidades.

“O Robinho entrou bem, com liberdade para atacar pela esquerda e pela direita e, quando a seleção não estava com a bola, ajudou na marcação”, elogiou Parreira.

O técnico elogiou o desempenho de Ronaldinho Gaúcho, que também ficou longe do brilho que apresenta no Barcelona. “Eu discordo”, disse, ao ser questionado se o meia-atacante tinha jogado abaixo da expectativa. “Ele jogou bem, procurou o jogo e foi muito bem marcado, mas, mesmo assim, conseguiu fazer jogadas belíssimas. O Ronaldinho é um jogador muito visado. Dentro da dificuldade, ele jogou com alegria.”

A saída de Ronaldo foi a única alteração de Parreira em todo o jogo. “A hora mais difícil para um treinador mexer no time é quando está ganhando por 1 a 0. Eu poderia colocar mais um jogador no meio, mas preferi manter nossa característica ofensiva. Mantive os titulares até onde foi possível, pois precisamos conseguir ritmo para o próximo jogo.”

Para o jogo contra a Austrália, Parreira projeta um melhor desempenho do Brasil. “Vamos encontrar um time que vem de uma boa partida contra o Japão. É uma equipe muito forte fisicamente e não podemos sair na briga, temos de colocar a bola no chão. Agora, o jogo passou a ser decisivo: quem ganhar, está praticamente classificado. O vencedor está nas oitavas, e esse é nosso objetivo inicial.”

Notícias relacionadas