Luiz Couto defende Lula e diz que ex-presidente recebe "o pior dos castigos" - WSCOM

menu

Política

08/02/2018


Couto diz que Lula recebe o pior castigo

PRONUNCIAMENTO 

Em pronunciamento realizado nesta quarta-feira, 7, o deputado federal Luiz Couto (PT-PB) defendeu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) da tentativa de linchamento público que teve seu novo capítulo com a condenação a ele imposta pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) a uma pena de 12 anos e um mês de prisão e multa. Para Couto, há diversos setores envolvidos no processo de desqualificação do petista, temendo o retorno dele à presidência da República.

Couto citou que um dos algozes de Lula é a Globo: "Sempre que fala do ex-Presidente mais querido do Brasil, apequena sua história, acusa-o indevidamente e persegue como se fosse o pior dos seres humanos. A Globo tem medo de uma nova candidatura de Lula, pois ela não preza pela democracia popular e, sim, pela ditadura das elites".

Outro perseguidor do ex-presidente é o Governo Federal, segundo Couto. "Já não bastasse o golpe contra a Presidenta Dilma Rousseff, o Governo Federal articula na surdina para que Lula não seja candidato em 2018. São diversas reuniões escondidas com figurões do Judiciário. É como se fossem os fofoqueiros de plantão aumentando o assunto sem provas concretas. Parte do Judiciário que julgou o ex-Presidente Lula considerou fofocas em vez de provas".

Em sua explanação, ele acrescentou a elite neoliberal no rol dos inimigos do petista. "Eles têm medo que Lula catalise novamente os descontentamentos que não deixaram de existir com o fim da ditadura. A questão social continua a arder no País porque voltou a existir a desigualdade social. Os processos eleitorais parecem permitir que as elites tradicionais fiquem no controle da vida política brasileira e que o povo continue excluído das decisões governamentais".

Finalmente, o parlamentar disse que todos os golpistas e representantes de direita têm medo de Lula. "Tratam, a todo tempo, de criar o pânico sobre a possibilidade de uma nova vitória de Lula, com ataque especulativo, com a transformação do chamado risco Brasil de direita para risco Lula de esquerda, mas, além do alarme, eles usam o Judiciário para inventar condenação sem que haja provas ou menos,como fez o TRF 4 ao negar que a defesa de Lula se manifestasse no tribunal".

Para Couto, esses são traços típicos de regimes de exceção que tornam as perseguições aos líderes populares, pelo que representam de defesa dos programas antineoliberais, de extensão dos direitos sociais e políticos a todos, de soberania nacional, de crescimento econômico e de expansão do mercado interno de consumo de massas.

"Eles não toleram Lula e querem impedir uma nova ordem social que fez sucesso nas classes de baixa renda. Só que o povo pobre, que foi o maior beneficiado na era Lula, não permitirá uma eleição sem Lula. Pois, se quiserem derrotar o melhor candidato à Presidência deste País, vão às urnas… É essa a disputa", disse Luiz Couto.

Ele concluiu seu pronunciamento dizendo que no dia 24 de janeiro houve um processo "de inventa crime". "Toda decisão foi tomada em nome da moral das grandes mídias e do clamor sociopata da fraude processual ou mesmo do medo de se erguer um país afundado nas profundas torpezas inconstitucionais", resumiu o deputado paraibano.


 

Notícias relacionadas