Líder nega acusar Romero, mas diz que explosões cairão após prisão de assessor - WSCOM

menu

Política

09/02/2018


Líder nega ter acusado Romero

HERVÁZIO BEZERRA

 O líder do Governo na Assembleia Legislativa da Paraíba, Hervázio Bezerra (PSB), negou ter acusado o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), após a prisão de um servidor comissionado lotado no seu Gabinete, acusado de explosão de bancos na Paraíba.

 “Desafio quem prove que eu fiz qualquer acusação a Romero. Eu critiquei e continuo a criticar a postura, com esse problema que ele teria que encarar de frente, não ficar botando culpa no Governador”, declarou à Correio Fm.

 Ele ainda alfinetou o prefeito, e disse que, após a prisão do assessor, as explosões de bancos na Paraíba devem diminuir. Hervázio salientou que a opinião era um palpite que deveria ser “anotado”.

 “Uma bombinha dessa em Campina Grande, e Romero fica nervoso. Só sabe bater e quando levam uma palmadinha fica nervoso. Você tem que bater e aguentar. Que nós vamos ter uma diminuição dessas explosões de banco, anote o que estou dizendo”, disse.

Caso

 Quatro pessoas foram presas suspeitas de envolvimento com o ataque à Caixa Econômica Federal no Partage Shopping, em Campina Grande, durante uma operação integrada das polícias Federal, Rodoviária Federal e Civil, realizada na manhã desta quarta-feira (7). Um dos suspeitos Romário Gomes Silveira era lotado no gabinete do prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSDB).

 A ação recebeu o nome de Operação Aurora e até o início desta manhã havia cumprido sete mandados na cidade, sendo quatro de prisão e três de busca e apreensão, conforme as informações repassadas pelos policiais, que apreenderam com os suspeitos celulares, um carro e uma moto com restrição de roubo.

As pessoas presas foram encaminhadas para a sede da PF em Campina e em seguida levadas para a Central de Polícia da cidade, onde aconteceu uma coletiva de imprensa para dar mais detalhes sobre a operação.
 

Notícias relacionadas