Itália bate Ucrânia e pega Alemanha por vaga na final - WSCOM

menu

Internacional

30/06/2006


Itália bate Ucrânia e pega

A Itália não teve grandes dificuldades para superar a Ucrânia, nesta sexta-feira, em Hamburgo, e garantir classificação à semifinal da Copa do Mundo. Com um futebol bastante superior ao do adversário, o time de Marcelo Lippi venceu por 3 a 0, gols de Gianluca Zambrotta e Luca Toni (2).

O triunfo colocou os italianos entre os quatro melhores do Mundial pela primeira vez desde 1994, quando foram vice-campeões. Agora eles terão pela frente a anfitriã Alemanha, que sobreviveu às quartas-de-final ao bater a Argentina na disputa por pênaltis.

Itália e Alemanha se enfrentaram quatro vezes na história das copas. A vantagem é da seleção azul, que levou a melhor na semifinal de 1970 e na decisão de 1982, empatando em outras duas ocasiões. A chance de revanche para os alemães está marcada para terça-feira, às 16h (de Brasília), em Dortmund.

No jogo desta sexta, os comandados de Marcelo Lippi abriram a contagem logo aos 6min, com Zambrotta, e deixaram cair o ritmo. Depois de um restante de primeiro tempo de poucas emoções e sustos após o intervalo, eles conseguiram definir a vitória com dois gols do centroavante Luca Toni.

O jogo – Foi a Itália quem mandou na partida desde o início. Logo aos 4min, Camoranesi avançou sem obstáculos pelo meio e bateu forte da meia-lua, assustando o goleiro Oleksandr Shovkovskiy.

Dois minutos depois, no entanto, o camisa um da Ucrânia vacilou e permitiu que sua rede fosse balançada. O gol saiu em chute de fora da área de Gianluca Zambrotta, defensável caso ele estivesse mais bem colocado.

Os italianos seguiram com o domínio das ações, mas pareciam satisfeitos com o 1 a 0. Do lado da Ucrânia, o técnico Oleg Blokhin desistiu da retranca inicial, trocando Sviderskiy por Vorobey.

Mesmo assim, a equipe do leste europeu pouco atacou até o intervalo. O único chute equilibrado a gol foi um tiro de longa distância de Tymoschuk. Ainda na etapa inicial, Blokhin foi obrigado a colocar Vladislav Vashchuk no lugar do contundido Rusol.

Após o intervalo, os ucranianos voltaram dispostos a buscar o empate. Aos 4min, a bola cruzou toda a área italiana após cruzamento da direita, e Gusin apareceu para cabecear no segundo pau. Buffon fez grande defesa e se chocou com a trave.

A melhor chance para o empate, no entanto, viria aos 12min, quando Gusev recebeu na área e bateu forte, obrigando excelente defesa de Buffon. Kalinichenko apareceu para o rebote e só não marcou porque Zambrotta salvou em cima da linha. O lance deveria ter sido parado no início, mas o assistente não viu o impedimento.

Como não aproveitou a chance, a Ucrânia foi castigada no minuto seguinte. No primeiro escanteio para a Itália no jogo, Totti cobrou curto e cruzou na seqüência para a área. Impedido, Cannavaro não conseguiu concluir, mas Toni se abaixou e cabeceou para a rede.

Pouco depois, o time amarelo voltou a assustar e acertou o travessão de Buffon em cabeçada de Gusin. A resposta italiana foi novamente fatal: aos 24min, Zambrotta fez excelente jogada pela esquerda e deixou Toni sem goleiro para marcar novamente.

Mesmo com a derrota certa, os ucranianos mantiveram a cabeça no lugar e não apelaram para a violência. A equipe chegou a criar problemas para o goleiro Buffon, mas não pôde evitar o revés por 3 a 0 para a Itália.

Notícias relacionadas