WSCOM Online

Login no site Esqueci minha senha O que é Vozmice?
Busca no site

Menu de navegação

/ Notícias / Internacional

5/14/13 - 9:28 AM


Vídeo de rebelde sírio 'comendo coração de soldado' gera protestos


O vídeo não pode ter sua veracidade confirmada de forma independente.

 Um vídeo que parece mostrar um rebelde sírio comendo um pedaço do coração de um soldado morto foi duramente criticado.

O grupo americano de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch identificou o rebelde como Abu Sakkar, um conhecido insurgente da cidade de Homs. De acordo com a organização, o ato de Sakkar constitui um crime de guerra.

A principal coalizão de oposição síria informou que Sakkar será levado a julgamento.

O vídeo, que não pode ter sua veracidade confirmada de forma independente, parece mostrar o rebelde cortar o coração do soldado.

'Juro por Deus que vou comer seus corações e seus fígados, soldados de Bashar, o cão', afirma o homem no vídeo junto ao corpo do soldado, se referindo ao presidente sírio, Bashar al-Assad.

Líder rebelde

O Human Rights Watch (HRW) diz que Abu Sakkar é o líder do grupo chamado Brigada Independente Omar al-Farouq.

'A mutilação de corpos de inimigos é um crime de guerra. Mas, uma questão ainda mais séria, é o agravamento da retórica sectária e da violência (na Síria)', disse Peter Bouckaert, da HRW, à agência de notícias Reuters.

Segundo o grupo, não importa qual dos lados na Síria esteja envolvido em crimes de guerra, todos precisam saber que não existe impunidade e que serão levados à Justiça.

O HRW diz que Abu Sakkar já tinha sido filmado disparando foguetes contra áreas xiitas do Líbano e posando ao lado de corpos de combatentes do grupo militante libanês Hezbollah - que estão ajudando forças do governo sírio.

O vídeo mostrando Sakkar comendo o que parece ser um pedaço do coração de um soldado foi postado no domingo e é, segundo o correspondente da BBC em Beirute, Jim Muir, um dos mais chocantes já divulgados em mais de dois anos de guerra na Síria.

A ONU diz que 70 mil pessoas foram mortas desde o início da rebelião contra o governo de Bashar al-Assad em março de 2011.

Já o Observatório Sírio para Direitos Humanos, grupo com base na Grã-Bretanha, afirma que o número de mortos chega a um total de 80 mil.

Muitos sírios já fugiram do país e mais de um milhão de pessoas foram registradas como refugiados, segundo a ONU. Destes, pelo menos 300 mil estariam na Turquia.


R7







Prefeito e vice-prefeito de São Bento participam ...


Enviado por: Wallison Relre Alves Costa

Revista Nordeste

Veja nesta edição: A mudança na cultura da Páscoa.


Veja no Portal NORDESTE:

Busca no site


© Todos os direitos reservados - Grupo WSCOM de Comunicação - www.wscom.com.br

Produzido por Construir Sites