Governador entrega primeira etapa do Sistema Adutor do Congo - WSCOM

menu

Paraíba

19/06/2006


Governador entrega primeira etapa do

Nesta quarta-feira, 21, estarão sendo entregues as obras da primeira etapa do Sistema Adutor do Congo que vai beneficiar cerca de 75 mil pessoas, distribuídas em quatro municípios – Congo, São João do Cariri, Sumé, Monteiro e Serra Branca e ainda do distrito de Santa Luzia do Cariri.

O sistema, que será operado pela Cagepa, terá uma extensão de 325 quilômetros, com investimento para sua construção, nas duas etapas, na ordem de R$ 41.620.000,00, sendo R$ 27.500.000,00 para a primeira etapa. Os recursos utilizados fazem parte do ProÁgua, com 60 por cento do Banco Mundial, 20% do governo federal e 20% do Governo do Estado.

A inauguração vai acontecer depois de testes feitos a partir da captação da água, que aconteceu desde o Açude Cordeiro, no município do Congo até a primeira estação de bombeamento.Os testes foram realizados com o objetivo de verificar se existia algum tipo de vazamento e também ter conhecimento do funcionamento das bombas e demais mecanismo do sistema.

A água que vai beneficiar a população de municípios do Cariri Ocidental nasce no Açude Cordeiro, que tem capacidade para acumular 45 milhões de metros cúbicos de água. Na barragem, está instalado o sistema de captação da água com capacidade para 137 litros de água por segundo.

Cinco bombas integram o sistema, sendo que duas fazem parte da 1ª etapa, outras duas a 2ª etapa e uma quinta fica como reserva. Segundo o engenheiro Airton Bezerra, a água captada na barragem é bombeada até a primeira estação de bombeamento, localizada a 14 km da captação e depois a água segue para a 2ª estação, onde é tratada e distribuída para os reservatórios de Serra Branca e São João do Cariri. Uma terceira estação está localizada em Monteiro.

Sete chafarizes também integram o sistema Adutor do Congo. Com uma vazão de aproximadamente 5 mil litros da água eles estão localizados nos sítios Salão, Picoito, Várzea Nova e Cantinho, no município de Serra Branca; Pitombeira e Oiti, em Sumé, e ainda sítio do Meio, em Monteiro.

Os chafarizes têm como objetivo abastecer as comunidades rurais com água tratada e de boa qualidade. Eles estão em pontos estratégicos para atender a todos os moradores das comunidades e uma pessoa será indicada para se responsabilizar pelo seu funcionamento e manutenção.

A adutora está dividida em três trechos, sendo um ramal no Congo, outro em São João do Cariri, e o terceiro, em Monteiro, formados por estações de tratamento. A obra também é composta de treze Tanques de Amortecimento Unilateral (TAU) que têm a função de contribuir com o volume d’água auxiliando a tubulação em eventual pane no bombeamento.

Empregos para a região

Dentro das prioridades do Governo do Estado que visam o emprego de mão-de-obra de cada localidade, a empresa encarregada da construção da adutora adotou o mesmo critério e noventa por cento dos funcionários que trabalharam são do Cariri e parte do material utilizado na obra também é da região.

O fornecimento de água através da Adutora do Cariri estará a cargo da Cagepa, a operacionalização de todo o sistema, inclusive. Segundo levantamento feito no município de Monteiro, a população consome em torno de 1.200.000 de metros de água por ano.

Notícias relacionadas