França leva vantagem sobre Brasil em jogos decisivos - WSCOM

menu

Mais Esporte

28/06/2006


França leva vantagem sobre Brasil

Dunga consola Ronaldo na derrota da seleção na final de 98

Todos os encontros de Brasil e França em Copas foram decisivos. E os franceses se encontram em vantagem até o jogo de sábado pelas quartas-de-final: superou a seleção brasileira duas vezes (uma delas em final), enquanto o Brasil só teve sucesso na semifinal de 1958.

Os dois triunfos franceses foram traumáticos para a história da seleção brasileira.

Nas quartas-de-final de 1986, no México, o Brasil abriu o placar com Careca. Platini empatou ainda no 1º tempo. Na etapa final, Zico (que ainda se recuperava de um grave problema no joelho) entrou em campo e, minutos depois, cobrou um pênalti que foi defendido pelo goleiro Bats.

Na prorrogação, os dois times esgotados pelo sol forte em Guadalajara fizeram um jogo aberto na base da garra, mas não conseguiram gols.

Nos pênaltis, Sócrates e Platini perderam suas cobranças. Zico acertou a sua na série. Um dos pênaltis franceses bateu na trave, voltou nas costas do goleiro Carlos e entrou –o árbitro considerou o lance insólito como gol válido. Júlio César perdeu mais um pênalti para o Brasil e a França se classificou.

Em 1998, a dona da casa França foi para a final contra o então tetracampeão Brasil, que chegava como favorito. Mas, horas antes do jogo, Ronaldo teve uma misteriosa convulsão na concentração e foi para o hospital. Atendido e medicado, foi para o Stade de France e acabou escalado por Zagallo.

Ronaldo e todo o time brasileiro jogaram de forma apática e a França se aproveitou. Zidane fez dois gols de cabeça no 1º tempo e Petit completou no último minuto do 2º tempo. Placar final: 3 a 0, a derrota por maior diferença de gols já sofrida pelo Brasil em Copas.

Se os dois encontros decisivos mais recentes acabaram mal, o primeiro confirmou a ida do Brasil para a final na qual chegaria a seu primeiro título.

Na Copa de 1958, na Suécia, o Brasil chegou à semifinal com a melhor defesa e a França com o melhor ataque. Vavá abriu o placar e Just Fontaine, que seria o artilheiro da Copa com 13 gols, empatou. Mas a França não resistiu aos jovens e, até então, desconhecidos craques brasileiros.

Didi fez um belo gol de fora da área. Pelé, aos 17 anos, fez três gols no 2º tempo. Garrincha desequilibrou driblando a defesa francesa a todo momento. No total, 5 a 2 –placar que o Brasil repetiria na final contra a anfitriã Suécia.

Final olímpica

Além dos três duelos importantes em Copas do Mundo, Brasil e França fizeram uma decisão de medalha de ouro em 1984, nas Olimpíadas de Los Angeles.

Foi a primeira vez que o Brasil chegou a uma final olímpica, embalado por uma vitória sobre a Itália na semifinal. Mas a França venceu por 2 a 0 e subiu ao topo do pódio.

Notícias relacionadas