Em Cabul, Rice pede mais apoio à 'guerra ao terror' - WSCOM

menu

Internacional

28/06/2006


Em Cabul, Rice pede mais

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, chegou nesta quarta-feira a Cabul, no Afeganistão, para um encontro com o presidente afegão, Hamid Karzai.

O encontro, para reforçar o pedido de apoio à chamada “guerra ao terror”, ocorre em meio a uma crescente preocupação com a segurança no país.

O mês passado foi o mais sangrento no Afeganistão desde a invasão liderada pelos Estados Unidos, em 2001, que derrubou o grupo extremista Talebã do poder.

Ataques atribuídos ao Talebã e seus aliados vêm aumentando nos últimos meses. Na terça-feira, dois soldados britânicos foram mortos num confronto com supostos membros do Talebã.

No último ano, mais de 30 soldados estrangeiros foram mortos no Afeganistão, em sua maioria americanos.

‘Inimigos determinados’ – “O Afeganistão tem inimigos determinados, que são brutais, mas que não terão sucesso”, disse Rice em uma entrevista coletiva ao lado de Karzai.

“Tenho a mais completa confiança de que as instituições democráticas e o futuro democrático do Afeganistão estão ficando mais fortes a cada dia”, disse ela.

Karzai recentemente expôs publicamente suas divergências com Washington sobre os esforços das forças estrangeiras para controlar o Talebã e outros grupos insurgentes.

Na semana passada, ele disse que era inaceitável que nos confrontos recentes muitos afegãos tenham sido mortos e afirmou deplorar a morte de afegãos.

Karzai disse que o foco atual em caçar militantes não considera as raízes da violência.

Ele disse querer mais ênfase na ajuda à reconstrução da economia do país e ao fortalecimento das instituições.

Proposta polêmica – Também há divisões sobre a proposta de Karzai de armar afegãos em vilarejos remotos como forma de melhorar a segurança.

O correspondente da BBC em Washington Jonathan Beale diz que a proposta levantou questionamentos nos Estados Unidos sobre sua liderança.

As Nações Unidas também expressaram preocupações de que os esforços para combater a produção de ópio no país estão sendo prejudicadas pela persistente falta de controle.

Rice viajou a Cabul depois de uma visita ao Paquistão, na terça-feira, onde pediu ao presidente Pervez Musharraf que trabalhe mais próximo ao seu vizinho Afeganistão na luta contra os militantes do Talebã.

“O Paquistão é um amigo dos Estados Unidos e um forte combatente na guerra contra o terrorismo. O Afeganistão também é um amigo dos Estados Unidos e um forte combatente na guerra ao terror”, disse Rice, segundo a agência de notícias France Presse.

“Vamos enfatizar o que temos em comum”, disse ela.

O governo afegão com freqüência culpa o Paquistão pelo recente aumento dos ataques atribuídos ao Talebã.

Notícias relacionadas