Cruzeiro vence em Fortaleza e pula para a liderança provisória - WSCOM

menu

Mais Esporte

04/06/2006


Cruzeiro vence em Fortaleza e

O Cruzeiro soube aproveitar a fragilidade do seu adversário e venceu o Fortaleza, por 2 a 0, neste sábado, no Castelão, resultado que combinado com a derrota do Fluminense para o Internacional, por 3 a 2, o colocou de volta à liderança do Brasileirão, com 21 pontos.

Este foi o segundo triunfo celeste como visitante e fez a Raposa cumprir a sua meta de terminar com vitória essa etapa da competição, que será interrompida para a disputa da Copa do Mundo.

O Fortaleza, por sua vez, continua fazendo campanha ruim no Brasileiro, com dificuldades para se impor até mesmo como mandante.

Depois de ceder o empate ao Vasco, na rodada do meio de semana, o Tricolor tropeçou em seu segundo jogo consecutivo diante da sua torcida.

A conseqüência é que ficou nos 10 pontos, em 10 jogos (aproveitamento de 33,33%) e pode terminar a rodada na zona de rebaixamento, se for ultrapassado por Vasco, Corinthians e Botafogo, que enfrentam Santa Cruz, Flamengo e Santos.

Para o Cruzeiro, que obteve 70% dos 30 pontos até agora disputados, terminar a 10ª rodada na liderança do Brasileirão, terá que torcer para que o São Paulo não passe de um empate, contra o Juventude, neste domingo, em Caxias do Sul.

O Tricolor paulista começou o sábado na primeira colocação, com 19 pontos e se derrotar o time gaúcho passará a somar 22, mantendo seu posto, durante o período de recesso do Campeonato Nacional.

Independente do resultado do São Paulo, no entanto, o Cruzeiro deixou o gramado do Castelão satisfeito por ter cumprido com a sua obrigação.

“Dependemos do resultado do São Paulo para saber se ficaremos na liderança, mas o mais importante foi a vitória para garantir um lugar entre os primeiros colocados”, comentou o zagueiro Edu Dracena.

Sem Martinez, que segue em recuperação de uma fratura na mão esquerda, e sem Luizão e Leandro, contundidos, o Cruzeiro voltou ao 4-4-2 contra o Fortaleza, com Thiago Heleno na zaga, Júlio César na lateral esquerda e Sandro no meio-campo. As mudanças, motivadas por ausências forçadas, não prejudicaram o rendimento celeste. No Fortaleza, ao contrário, a ausência do veterano Galeano, suspenso, afetou o desempenho do time comandado por Márcio Bittencourt.

Os jogadores do Cruzeiro estarão de folga a partir deste domingo, reapresentando-se ao técnico Paulo César Gusmão, somente no dia 12 de junho, quando começará a fase de preparação visando a retomada do Brasileiro.

Para a Raposa, isso acontecerá em 12 de julho, contra o Corinthians, no Mineirão. Já o Fortaleza, que utilizará o recesso para tentar tornar a equipe mais competitiva, volta a jogar no mesmo dia, mas como visitante, enfrentando o Atlético-PR, em Curitiba.

O jogo

Os 45 minutos iniciais comprovaram a existência de uma grande diferença técnica entre Cruzeiro e Fortaleza.

Mesmo sem fazer uma exibição muito inspirada, o time mineiro controlou a partida, desde o início, construindo uma vitória parcial, por 2 x 0, sem muitas dificuldades. Tocando a bola e esperando o momento certo para atacar, a Raposa imprimiu o seu ritmo. Atraía o Tricolor cearense para o seu campo e utilizava os contra-ataques em velocidade.

Aos 3min, o meia Wagner, artilheiro do Brasileiro com oito gols, finalizou a gol pela primeira vez, mas errou o alvo. O camisa 10 celeste era o jogador mais acionado em sua equipe, não recebendo uma marcação tão forte, como ocorreu nos dois últimos jogos contra Internacional e Atlético-PR. O Fortaleza, por sua vez, não conseguia criar nada. A situação para os donos da casa complicou, aos 9min, quando Mazinho Lima deixou o gramado contundido.

O Fortaleza só chegou à primeira vez no ataque, aos 14min, quando Rinaldo apareceu livre na frente de Fábio, mas bateu fraco e facilitou a defesa do goleiro cruzeirense. No minuto seguinte, o Cruzeiro fez o seu primeiro gol. O lateral-direito cruzou na medida para o zagueiro Thiago Heleno, que cabeceou. O goleiro Albérico defendeu parcialmente e, no rebote, o jovem defensor usou os pés para colocar a bola na rede e fazer o seu primeiro gol no time principal da Raposa.

O gol não alterou o ritmo da partida. O Cruzeiro tocava a bola e esperava o Fortaleza atacar, deixando espaços para as manobras ofensivas de seus jogadores. Além disso, embora o time cearense ficasse mais tempo com a posse de bola, pouco ameaçava o gol mineiro. Susto grande mesmo, aconteceu aos 33min, quando Rinaldo, pela direita cruzou e o veterano Maurílio desperdiçou a chance duas vezes.

Na primeira, ele errou o chute. Conseguiu bater na outra, mas Fábio fez uma grande defesa. Dois minutos depois, o time celeste perdeu o meia Wagner, que deixou o campo com uma torção no tornozelo esquerdo. Foi substituído por Francismar, que puxou rápido contra-ataque, aos 36min, que acabou no segundo gol celeste, marcado por Gil. O Fortaleza ainda chegou uma vez com perigo e teve um gol bem anulado, marcado por Rinaldo, que estava impedido.

Os dois times voltaram com as formações que terminaram a etapa inicial, já que cada equipe perdeu um jogador por contusão: Mazinho Lima (Fortaleza) e Wagner (Cruzeiro). O cenário da partida, no entanto, não se alterou. O Cruzeiro tocada a bola, administrava sua vantagem e atraía o Tricolor cearense, para depois tentar os contra-ataques, mas sem muito ímpeto.

O Fortaleza tentava ser mais ofensivo. Tanto que o técnico Márcio Bittencourt tirou o lateral-esquerdo Patrick, ex-jogador da Raposa, e colocou o atacante Finazzi. A mudança não produziu muito efeito prático. O time da casa continuou com maior tempo de posse de bola, mas pouco ameaçou o goleiro Fábio, a não ser em algumas jogadas de bola parada.

Com o passar do tempo, o Fortaleza, bastante vaiado pela sua torcida, tentava aumentar sua pressão, mas faltava competência na criação de jogadas e também na finalização. O Cruzeiro, por sua vez, se fechava mais, recuando de vez e também com a entrada do volante Diogo no lugar do meia Sandro. Paulo César Gusmão tentou colocar velocidade no contra-ataque, ao escalar Carlinhos Bala na vaga de Élber.

FORTALEZA 0 X 2 CRUZEIRO

Fortaleza

Albérico; Ivan, Alan, Gláuber e Patrick (Finazzi); Chicão, Dude, Gladstone e Mazinho Lima (Robson) (Eusébio); Rinaldo e Maurílio.

Técnico: Márcio Bittencourt

Cruzeiro

Fábio; Michel, Edu Dracena, Thiago Heleno e Júlio César; Jonilson, Sandro, (Diogo) Leandro Bomfim e Wagner (Francismar); Gil e Élber (Carlinhos Bala)

Técnico: Paulo César Gusmão

Data: 3/6/2006 (sábado)

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza

Público: 12.229 pagantes

Renda: R$ 107.090

Árbitro: Paulo César Oliveira (SP)

Cartões amarelos: Thiago Heleno, Francismar (Cruzeiro); Gladstone, Dude (Fortaleza)

Gols: Thiago Heleno, aos 15min e Gil, aos 36min do primeiro tempo;

Notícias relacionadas