Corpo de doméstica filipina encontrado em congelador no Kuwait é repatriado - WSCOM

menu

Policial

16/02/2018


Corpo de doméstica filipina encontrado em congelador no Kuwait é repatriado

Os restos mortais de Joanna Demafelis, de 29 anos, viajarão amanhã para sua terra natal

O corpo de uma empregada doméstica das Filipinas encontrada em um congelador no Kuwait chegou nesta sexta-feira (16) a Manila, no meio de uma forte polêmica em torno deste caso que esticou as relações diplomáticas entre os dois países. A informação é da EFE.

Os restos mortais de Joanna Demafelis, de 29 anos, viajarão amanhã para sua terra natal, a cerca de 400 quilômetros ao sul da capital, disse à Agência Efe a porta-voz do Departamento de Assuntos Exteriores filipino, Charmaine Aviquivil.

O corpo de Demafelis foi encontrado na semana passada no congelador da casa onde trabalhava como doméstica para um casal formado por um libanês e uma síria, que estão foragidos e estão sendo procurados pelas autoridades kuwatiano.

O corpo apresentava sinais de violência – costelas quebradas e hemorragias internas – e após a autópsia os legistas determinaram que tinha sofrido torturas e abusos sexuais.

Proteção

“A morte da mulher será um ponto de partida para que todas as agências governamentais sejam mais agressivas na hora de proteger nossos trabalhadores no exterior”, declarou hoje o chanceler filipino, Alan Peter Cayetano, que foi ao aeroporto receber os restos mortais. Ele também afirmou que as autoridades kuwatianas prometeram fazer “todo o possível” para achar os suspeitos e levá-los à Justiça.

Acredita-se que os patrões de Demafelis abandonaram a casa e o país em novembro de 2016, por isso que o corpo teria permanecido no congelador por mais de um ano. Cerca de 250 mil filipinos, a maioria deles empregadas domésticas, trabalham no Kuwait, onde nos últimos anos tem sido reportados frequentes casos de abusos e maus tratos para este grupo por parte dos empregadores.

Após a descoberta do corpo de Demafelis, o presidente filipino, Rodrigo Duterte, acusou os kuwatianos de “carecer de valores”, culpou seu Governo de permitir os abusos às empregadas domésticas e proibiu a ida de mais trabalhadores para este país.

A declaração criou uma atrito diplomático entre ambos os países, já que o Governo do Kuwait enviou como resposta uma mensagem de protesto.

Este caso também acelerou o regresso de milhares de filipinos no Kuwait que sofrem algum tipo de problema ou estejam com o visto para expirar, para quem o Governo custeou o voo de volta.

Fonte: Agência Brasil

Notícias relacionadas