Cefet em crise: Rômulo questiona eleição, conselho se reúne nesta sexta e votaçã - WSCOM

menu

Educação

01/06/2006


Cefet em crise: Rômulo questiona

O candidato derrotado na última eleição para diretoria do Cefet-PB, Rômulo Gondim, vai encaminhar nos próximos dias ao Conselho Diretor da instituição um documento questionando as regras das eleições que levaram o candidato opositor a vitória. O Conselho se reunirá nesta sexta-feira às 9h para rediscutir os critérios para o cálculo dos votos. A comunidade da instituição teme que o resultado da eleição seja cancelado.

Gondim reclama que a nova diretoria foi eleita graças ao alunado, uma categoria considerada transitória, e que os servidores estariam insatisfeitos quanto a isso. “O que tenho a dizer é que estamos dentro do prazo limite para contestação e aguardando que o conselho diretor se manifeste”, afirma.

Já o candidato vitorioso, João Batista, alega que Gondim está querendo apenas tumultuar e que não cabe mais recurso neste caso. Além do mais, ele garante que os recursos deveriam ter sido impetrados até o último dia 24, mas apenas no dia 26 a oposição se pronunciou. Amanhã o nome de João Batista já será encaminhado para apreciação do MEC.

João Batista reforça que a esta altura não há possibilidade de que a eleição seja anulada. Ele descarta tanto a possibilidade de uma nova votação, como qualquer modificação nas regras que regem o processo eleitoral que possa suspender ou anular o resultado do último pleito.Questionamento dos critérios – A coordenadora da Comissão Eleitoral do Cefet, Zoraida Arruda, afirmou que os critérios para o cálculo dos votos foram definidos pelo conselho diretor do Cefet no dia 20 de abril, antes do primeiro turno das eleições.

“No dia seguinte, esse regulamento foi divulgado com todos os candidatos, não havendo nenhum questionamento, tanto é que a eleição em primeiro turno usou esse cálculo, sem reclamação posterior”, explicou.

Ela acrescentou que, no dia 24 de maio, após ser proclamado o resultado dos votos, o próprio candidato derrotado deu entrevista reconhecendo o processo como sendo o mais democrático, admitindo a derrota. Dois dias depois, transcorrido o prazo regimental para recurso, o professor Wohlfagon Costa, intitulando-se coordenador de campanha de Gondim, pediu que a comissão eleitoral considerasse os cálculos para o segundo turno.

“Não podíamos fazer diferente do primeiro turno. A comissão por unanimidade rejeitou, não só pela intempestividade, mas também pelo próprio conteúdo. A comissão fez apenas executar o que o conselho diretor aprovou”, acrescentou.

O impasse atual – Zoraida admite que a comunidade está temerosa que o resultado seja alterado e a eleição cancelada. “Essa é a grande incógnita: se o conselho vai mudar aquilo que ele mesmo aprovou. Se isso acontecer, essa escola vai virar palco de guerra. Até pessoas que apoiaram candidatura de Rômulo estão indignadas com essa nova realidade. A comunidade cefetiana não vai deixar que esse golpe aconteça aqui”, concluiu.

Notícias relacionadas