Cássio insiste no ‘chapão’ até dia 30; PPS não confirma nome de Júnior Evangelis - WSCOM

menu

Política

26/06/2006


Cássio insiste no ‘chapão’ até

O governador Cássio Cunha Lima (PSDB), em visita a convenção conjunta do PPS, PDT, PHS, PV, PSC, PRP e PRTB, informou que irá insistir na realização do ‘chapão’ para majoritária e proporcional até o último momento. “Porque ao invés de fazer seis deputados elegeríamos sete”, argumenta.

“Infelizmente esse argumento não está tendo acolhida em alguns setores. Paciência, o importante é que na chapa majoritária a coligação está preservada. Se vamos sair numa eleição proporcional com uma coligação única, duas ou três divididas, isso não altera o resultado do apoio à eleição majoritária”, acredita o governador.

A decisão só deve sair mesmo no dia 30, prazo limite para que os partidos encerrem suas convenções e entrem ou não no ‘chapão’.

No entanto, o que vem se configurando é realmente uma divisão entre os partidos em relação a proporcional, com o PP, PTB e PL optando uma coligação e PPS, PDT, PHS, PV, PSC, PRP e PRTB por outra, sem deixar de apoiar o governador na campanha a reeleição e a Cícero para o senado.

Já o PDT está numa situação mais delicada, porque o partido tem candidato a Presidência da República – Cristovam Buarque, e não pode dar um apoio formal. O presidente do partido, Chico Franca, já declarou que o partido irá apoiar Cássio informalmente.

2ª suplência – Sobre a 2ª suplência do ex-prefeito Cícero Lucena, anunciada a Júnior Evangelista (PPS) durante a convenção do PSDB e do PFL, já são vistas com dificuldades.

“Temos uma fato novo que é a posição do PPS, dado a necessidade das coligações do partido”, alega.

Bosco Carneiro, presidente do PPS, disse que a possibilidade da indicação está sendo analisada pelo setor jurídico do partido, porque a preferência é fazer uma coligação com PDT – cuja candidatura à Presidência pode inviabilizar a indicação de Evangelista para a suplência.

Notícias relacionadas