Cardeal diz que Saddam não deveria ser executado - WSCOM

menu

Internacional

21/06/2006


Cardeal diz que Saddam não

Um importante cardeal da Igreja Católica afirmou, na quarta-feira, que o ex-ditador iraquiano Saddam Hussein não deveria ser executado porque a vida é algo sagrado.

“A vida humana é sempre inviolável”, afirmou o cardeal Paul Poupard, chefe do departamento do Vaticano para a cultura e o diálogo inter-religioso, à agência italiana de notícias Ansa em resposta a uma pergunta sobre Saddam.

“A vida é um dom e esse é um princípio universal, sem exceções,” afirmou o cardeal, segundo a Ansa, durante uma conferência em Roma.

“Todas as criaturas humanas, mesmo as mais pervertidas, foram criadas à imagem e semelhança do Senhor. Deus é o mestre da vida e da morte”, disse Poupard.

A Igreja Católica defende que os casos nos quais a pena de morte se justifica tornaram-se “raros, ou quase inexistentes”, nos tempos modernos.

Segundo o Vaticano, a pena capital só pode ser usada em situações muitos excepcionais, quando não há outra forma de proteger as vidas humanas de um “agressor injusto” que pode continuar a fazer-lhes mal.

Essa exceção não se aplicaria a Saddam, que está preso e que não é mais uma ameaça.

Os promotores que participam do julgamento do ex-ditador, no Iraque, pediram a condenação dele e de outros três co-réus à morte devido à prática de crimes contra a humanidade em meio a uma campanha de repressão contra xiitas em 1982. Centenas de pessoas foram mortas e torturadas pelas forças de Saddam.

Notícias relacionadas