Brasil x França: 'Agora nos vamos à forra', diz Zagallo - WSCOM

menu

Mais Esporte

30/06/2006


Brasil x França: 'Agora nos

Até o falastrão e provocador Roberto Carlos aderiu ao discurso da seleção brasileira de que o jogo deste sábado contra a França, às 21H00 locais (16H00 de Brasília), no Frankfurt Stadium, pelas quartas-de-final da Copa do Mundo, não é uma revanche da final de 1998 (3-0), mas Zagallo, na época técnico e agora coordenador-técnico, não se conteve e disse que o Brasil vai à forra, ainda mais com Ronaldo e Zidane em campo.

Zagallo mostrou nestes últimos dias na Alemanha resquícios da língua afiada que exibia na Copa da França, quando, após as partidas da Seleção, fazia uma contagem regressiva dos jogos que faltavam para o Brasil ser campeão e dizia de forma agressiva a famosa frase: “vocês vão ter de me engolir”.

Oito anos depois, de fala mansa, sinal dos quase 75 anos de idade (em 9 de agosto), o coordenador técnico da equipe de Carlos Alberto Parreira mostrou o otimismo de sempre, brincou com Zidane, disse que Ronaldo fará a diferença e exibiu um certo desejo de revanche contra os franceses.

“É uma pergunta que tem uma lógica, se perdemos naquela vez, e agora? Agora nós vamos à forra! Temos um Ronaldo inteiro e sem problemas. Ele fará a diferença. E torço para que seja o último jogo de Zidane nesta Copa”, disse Zagallo, referindo-se às até hoje mal explicadas convulsões de Ronaldo antes da final da Copa da França e ao anúncio de Zidane de que vai se aposentar após o Mundial da Alemanha.

E com Ronaldo e Zidane em campo, é praticamente impossível não tratar o jogo deste sábado como uma revanche, por mais que os jogadores da seleção brasileira adotem o discurso contrário. Os dois foram os grandes personagens da final disputada há oito anos do Stade de France, na qual assombraram o mundo.

Ronaldo entrou em campo zonzo, pálido e apático. Todos se perguntavam o que havia acontecido com aquele rapaz de 21 anos que encantava o mundo com suas jogadas espetaculares no Barcelona e na Seleção. Zidane, por sua vez, deixou o Stade France consagrado. Com dois gols e belas jogadas na decisão, havia sido catapultado do mundo dos craques para a galeria de superestrelas.

Além de Ronaldo e Zidane, outros dez jogadores que participaram da Copa de 1998 estão hoje na Copa de 2006: Cafu, Roberto Carlos, Dida, Émerson e Zé Roberto, pelo Brasil, e Barthez, Viera, Henry, Trezeguet e Thuram, pela França.E, assim como em 1998, o Brasil entrará em campo como favorito. No entanto, a equipe de Parreira fez apenas uma exibição convincente nesta Copa do Mundo em quatro jogos disputados, contra o Japão (4-1), com um time cheio de reservas.

Contra a França, Parreira pretende escalar novamente a equipe que iniciou os jogos contra Croácia, Austrália e Gana. Mas para isso depende da liberação pelo departamento médico de Kaká e Émerson, que sentem dores no joelho direito. Caso não possam jogar, serão substituídos por Juninho e Gilberto Silva, respectivamente.

O treinador quer que o time mantenha mais a posse de bola, troque mais passes no meio-campo, em vez de partir para o ataque em todas as ocasiões, como é a característica de Kaká e Ronaldinho. O raciocínio de Parreira é lógico: enquanto o Brasil estiver com a bola, não será ameaçado pelo França. Contra Gana, aconteceu justamente o contrário. Foram os africanos que tiveram mais posse de bola durante a partida (52 a 48%) e criaram muitas chances de gol, apesar do placar final de 3-0 para o Brasil.

Já a França vem crescendo na competição depois de passar sufoco para se classificar na primeira fase num grupo teoricamente fácil, que continha Suíça, Coréia do Sul e Togo, Melhor ainda para os franceses: Zidane, de 34 anos, mostrou contra a Espanha, na vitória de virada por 3-1, que está em boa forma. O craque, porém, não treinou na quinta-feira por causa de dores musculares, apesar de estar confirmado na partida deste sábado.

Além de Zidane, os atacantes Ribery e Henry prometem dar trabalho à defesa brasileira. Ribery é uma jovem promessa do Olympique de Marselha, enquanto Henry, apesar de nunca ter brilhado numa Copa do Mundo, já mostrou no Arsenal todo o seu variado repertório de jogadas.

Brasil e França já se enfrentaram três vezes em Copas do Mundo. Na primeira delas deu Brasil, 5-2, na semifinal da Copa da Suécia, em 1958, na qual a seleção brasileira terminaria campeã. As outras duas são de péssima lembrança para os brasileiros. Em 1986, no México, vitória da França nos pênaltis nas quartas-de-final, após empate de 1-1 no tempo normal, no qual Zico perdeu um pênalti. Já em 1998…O vencedor de Brasil e França vai encarar nas semifinais o ganhador do confronto entre Inglaterra e Portugal de Felipão, que se enfrentam neste sábado, às 17H00 locais (12H00 de Brasília), em Gelsenkirchen.

Equipes prováveis:Brasil: Dida – Cafu, Lúcio, Juan e Roberto Carlos – Émerson (Gilberto Silva), Zé Roberto, Kaká (Juninho) e Ronaldinho – Adriano e Ronaldo. T. Carlos Alberto Parreira.França: Barthez, Sagnol, Thuram, Gallas e Abidal – Makelele, Viera, Maloud e Zidane – Ribery e Henry.

Notícias relacionadas