Após "queima de gordura", Parreira confirma quadrado para reta final - WSCOM

menu

Mais Esporte

25/06/2006


Após "queima de gordura", Parreira

Depois do mistério em relação à formação da equipe, o técnico Carlos Alberto Parreira, pela primeira vez após a goleada por 4 a 1 sobre o Japão, disse textualmente que nada será alterado para a “verdadeira Copa do Mundo”. Ou seja, a seleção brasileira terá o seu “quadrado mágico” mantido na partida contra Gana, terça-feira, às 12h (horário de Brasília), pelas oitavas-de-final.

Após o duelo contra os japoneses, Parreira deu a entender que a formação tática seria a mesma, mas deixou um certo mistério sobre isso. Neste sábado, o suspense foi desfeito. “Eu acho que você chega a um ponto em que até pode mudar [a formação tática], mas não deve. Acho que tem de ser mantida. Com outros cuidados, evidentemente, mas deve ser mantida.”

Parreira disse que a “tática” contra o Japão, de tornar pública a escalação uma hora antes do jogo e com a entrada de cinco reservas, foi feita para aquela partida especificamente. “Foi uma estratégia para aquele jogo. Eu achei correta, deu certo, funcionou, mas poderia não ter dado”, afirmou o treinador, que deixou em aberto repetir a mesma atitude contra Gana. “Eu não tenho nenhuma preocupação em dar o time um mês antes. Agora, chegou o momento de segurar alguma coisa. Todos as seleções fazem isso e o mundo não acaba. Não sei, talvez essa estratégia seja mantida.”

O técnico acredita que, por se tratar de um mata-mata, o jogo contra Gana “tem características especiais e distintas em relação aos outros”, mas a escalação brasileira não depende do time ganense. “O Brasil não é escalado em função do adversário. Temos preocupações e cuidados, sim, mas nunca vamos mudar em função do adversário. Eles quem têm de mudar em função do Brasil.”

Para o treinador, a primeira fase eliminou os mais fracos e, a partir do mata-mata é que a competição realmente começa. “A triagem foi feita, as gorduras foram eliminadas e agora começa a verdadeira Copa do Mundo. O jogo mais importante para nós é o próximo. Se não passar por ele, não tem mais Copa. A nossa final é agora, nas oitavas”

Se a formação foi confirmada, a escalação permanece um mistério. A tendência é de que seja repetido o mesmo time da estréia da Copa, mas alguns reservas, principalmente Robinho, que saiu do treino com uma pequena contusão muscular, pintam como favoritos a “roubar” alguma vaga entre os titulares.

Sobre Adriano, que deixou a equipe contra o Japão e pode seguir no banco nas oitavas, Parreira descarta abatimento pela possível reserva. “Não senti ele abatido, ele treinou bem na parte física e técnica. Não há razão para nenhum jogador se sentir abatido.”

Notícias relacionadas