Aliado de Lula, presidente da Câmara critica o 'medo' do crescimento - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

24/06/2006


Aliado de Lula, presidente da

Um dia antes da convenção petista que confirmará o presidente Luiz Inácio Lula da Silva candidato à reeleição, o aliado Aldo Rebelo (PC do B), presidente da Câmara, fez coro ontem com setores do PT e criticou os juros altos, a alta carga tributária e o baixo crescimento econômico do país. Ele disse que o país tem “medo” de crescer.

Na sede da Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais), Aldo, no entanto, procurou amenizar a responsabilidade do atual governo e recorreu inclusive ao opositor José Serra (PSDB), ex-prefeito de São Paulo, ao dizer que esse entrave deve ser uma questão para toda a sociedade resolver –“governo, oposição, empresários, trabalhadores e imprensa”.

“O [ex] prefeito José Serra tem uma opinião também parecida sobre a questão dos juros, do câmbio. Também economistas do PSDB, do PMDB. Temos que reunir forças políticas, sociais e intelectuais para remover os obstáculos que impedem o país crescer a taxas mais elevadas”, disse Aldo, para quem o Brasil cresce “muito abaixo” das suas potencialidades.

O presidente da Câmara afirmou que o Brasil conteve a inflação, mas ficou “com medo de crescer”. “Há um certo complexo de que o Brasil não pode crescer a taxas mais elevadas. Precisamos acabar com isso. Remover o entulho doutrinário, ideológico, político que trava o crescimento do país.”

Apesar da crítica, Aldo disse que o PC do B “foi e continua sendo aliado leal do governo e do presidente Lula”, mas que sempre manifestará “suas posições com independência”.

Notícias relacionadas