Caso Ferreira Costa expõe necessidade de Pacto pelo bom senso e empregos

Se há um caso emblemático na politica estadual dos últimos dias este diz respeito ao cenário envolvendo a empresa Ferreira Costa interessada em implantar uma unidade em João Pessoa mas impedida pela burocracia.

A atitude do governador Ricardo Coutinho de chamar o prefeito Luciano Cartaxo para tomada de decisão comum visando superar possiveis obstáculos chama a atenção porque reflete posicionamento adequado e indispensável porque não se pode recusar empregos em fase de crise.

É certo que pode até servir de aproveitamento politico por parte de quem semeia tempestade, entretanto, a forma de reação do governador precisa ser encarada acima das picuinhas politicas e com alto nivel de bom senso entre as autoridades envolvidas.

O ato de convidar o prefeito merece tratamento à altura convergindo para uma solução definitiva.

Tudo em nome do emprego e, repito, bom senso pela construção de oportunidades para sobrevivência de muitos.


Carlos Roberto Alves de Oliveira: símbolo da ascensão intelectual da Midia e Cultura

A Energisa, grande aliada da cultura paraibana, permitiu-se a ser o abrigo estrutural  para lançamento no próximo dia 12, às 19 horas, da biografia em Quadrinhos do mais importante expert em marketing e business da Midia oriundo da Paraiba enveredando na vida pelo Instituto de Pesquisas e, no fim de sua vida, no mundo editorial de livros - em especial de Histórias em Quadrinhos.

A data de agora simboliza o septuagésimo sexto ano se vida física tivesse, portanto, cumpre a agenda sentimental da Familia e amigos, que tinham em Carlos Roberto a figura da genialidade humana, empresarial, como principal referência de Paraibano de origem humilde transformado em Icone da Midia, Marketing e Mercado editorial.

A FORMAÇÃO RELIGIOSA E NEGÓCIOS

Carlos Roberto deveu sua história vitoriosa aos estudos no Seminário da Igreja Católica, onde sedimentou a formação intelectual densa, poliglota e de tino comercial CAMPEÃO para poucos.

Na prática, ele foi o primeiro e mais importante Profissional de Imprensa consolidado como empresário de negócios de Midia expandindo seu raio de atuação no eixo Rio - São Paulo onde era muito respeitado. Foi ainda quem soube tratar de negocios em dólar. Não era à tôa que colecionava moedas de todo o Mundo.

MARKETING POLITICO

Este foi o cenário que o fez dono da bola na Paraiba nos governos Braga e Burity, bem como em campanhas nacionais e internacionais ganhando muito prestigio e dinheiro.

Carlos foi quem introduziu as pesquisas no Estado e se especializou como empresário capaz de merecer Coluna sobre os institutos de pesquisa em revistas como ISTOÉ e NORDESTE.

Mesmo sem ser estatistico marcou a história como primeiro empreendedor da área na Paraiba.

MUITA CULTURA

Carrinho, como Martinho Moreira Franco e Gonzaga Rodrigues chamavam-no carinhosamente, era homem culto, conhecedor das civilizações, em especial da Politica. Acordava, comia e dormia Politica.

Amigo de intelectuais, ele adora estar enfronhado nos ambientes cults formulando e discutindo teses. Foi, sem dúvidas, o maior e mais expressivo intelectual oriundo de Cruz das Armas, bairro que o fez ser um bom jogador de meio de campo de futebol.

CUMPLICIDADES, LAMENTOS E ALEGRIA

Responsável pela nova fase do mercado de livros na Paraiba com a introdução da versão de História em Quadrinhos de biografia de famosos.

Carlos nasceu para inovar e ser também um grande instrutor de viagens e turismo.

Durante os últimos 10 anos foi meu mais importante parceiro e aliado sobre coisas do Brasil, do Nordeste, da Midia e de Politica - sempre alinhados nos lamentos e alegrias. Reciprocamente.

Ele não se conformava porque na sua aldeia, a Paraiba, não era reverenciado à altura do que acontecia fora dela.

Mas era um homem feliz e muito apegado à sua familia.

Eis então a sintese do Pai do Marketing Politico da Paraiba e pioneiro nos negocios da Midia. Era seu fã.

Agora é só ir ao lançamento.


Trump desequilibra Negociação de Paz e trama em favor da Indústria Armamentista

Tudo que já foi dito a favor ou contra a medida do presidente americano Donald Trump ao anunciar a mudança da Embaixada dos EUA para Jerusalém após considerá-la a Capital de Israel, e não mais Tel Aviv como se dava até antes do anúncio, é fator importante de se levar muito em conta pela ampliação imensa da tensão no Oriente Médio, entretanto, já não é mais possivel encobrir de forma objetiva que tudo também está a serviço prioritariamente da Indústria Bélica, a partir da terra de Tio Sam.

São muitos os efeitos advindos da decisão de tirar Jerusalém da condição exclusiva da Capital dos Povos da Palestina, historicamente sempre assim tratando o espaço geográfico sagrado, entretanto, nada além da supremacia de Israel - País mais seguro do Mundo exatamente pelos conflitos desde 1967, é mais do que visivel atestar em torno do altissimo nivel de investimentos armamentistas que passam a ser obrigados à aquisição pelo aguçamento da crise fortalecendo e favorecendo os Países mais ricos em detrimentos dos demais no Oriente Médio.

A rigor, como ficou bastante claro durante a campanha presidencial americana, Donal Trump sempre representou a
camada social dos EUA com posicionamento ideológico de extrema direita, onde nesse segmento estão os multimilionários
do Petróleo e, sobretudo, da indústria armamentista, principal base do PIB americano.

É certo que o desequilibrio adotado por Trump fará os EUA perderem a condição de neutralidade diante do histórico conflito
no Oriente Médio, logo trará mais dificuldades à ONU no processo de negociação de paz que não se efetivará tão cedo
diante deste novo contexto, entretanto, a partir de agora quem passa a lucrar rios de dinheiro com o sangue a jorrar no
Oriente Médico é exatamente o segmento de armas sempre precisando desovar seus poderosos investimentos.

Donald Trump é o "garoto propaganda" da indústria de guerras e mortes em série. 


Maranhão enfrenta o declínio da Bancada Federal como problema na disputa de 2018

Não precisa ser Cientista Politico para entender que o PMDB velho de guerra enfrenta na Paraiba um processo delicado e ruim na estratégia de futuro próximo, sobretudo para candidatura do senador José Maranhão ao Governo a partir de sua Bancada Federal.

É que, pelas contas e projeções de hoje, somente o deputado federal Hugo Mota deva continuar no partido e assim torna mais dificil a manutenção de força do partido na representação federal.

Para ser objetivo: com a saida de Veneziano Vital e André Amaral e, ainda, a provável mudança de partido de Manoel Júnior vai ser muito dificil repetir a façanha da última eleição. E isto afeta a candidatura de Maranhão.

Este é o resumo da Ópera do problema anunciado com impacto real na campanha do senador em 2018.

Vai ter que suar muito para ter uma Bancada forte na Câmara Federal.


O efeito popular da Reforma da Previdência faz deputados mais receosos e assim reagem contra

Embora o Governo Temer jogue pesado impondo até expulsão dos dissidentes na questão da Reforma Previdenciária, mesmo assim a repercussão negativa do processo tem feito os parlamentares, inclusive da Paraíba, a gerarem posicionamento contrário à reforma.

Deputados federais como Veneziano Vital e Wellington Roberto, por exemplo, mesmo tendo o PMDB e PR fechando questão ameaçando até de expulsão, eles estão decididos a enfrentar o castigo em nome da convivência com o eleitorado.

Esta situação deixa o líder do Governo na Câmara sem margem de manobra para reverter os votos porque a decisão fechada dos parlamentares é imexível, não volta atrás e assim o quadro fragiliza o Governo.

Na bancada da Paraíba há outros casos, como de Pedro Cunha Lima e Benjamim Maranhão também contrários, da mesma forma Luiz Couto e Damião Feliciano.

A síntese da Paraíba é cenário plausível a provar que dificilmente a Reforma passará.
 


40 anos depois, ex-Líderes Estudantis da UFPB lembram lutas pela Democracia e festejam reencontro

Um fato "sui generis" se registra nesta sexta-feira, 8, em João Pessoa reunindo profissionais, executivos e empresários de diversas áreas do conhecimento e negócios: todos eles e elas se reencontram 40 anos depois para comemorar o fato de terem contribuído fortemente como então membros do Movimento Estudantil Universitário liderado pela UFPB construíndo a luta pela Redemocratizacão do País.

As novas gerações diante de uma avalanche de dados, intolerâncias contra a Esquerda e contra-informações aos movimentos progressistas não dimensionam a importante contribuição dada pela Geração Universitária na UFPB dos anos 1977 em diante à retomada Democracia no Brasil.

OLHARES DIFERENTES POR UM RESULTADO COMUM

Se reparar direito, as dezenas de pessoas presentes ao Encontro no restaurante de Percival Henrique, no Bessa, traduzem um caleidoscópio ideológico intenso representando visões e encaminhamentos à Esquerda por caminhos diferentes na busca comum pela Redemocratizacão e diversas conquistas sociais.

A rigor, embora o maior inimigo fosse o Governo Militar e seus aliados civis conservadores, o Movimento Estudantil no DEC da UFPB conviveu com muitas divergências e confrontos pesados entre as várias tendências ideológicas e partidos de Esquerda.

Se reparar bem, cabia de tudo, do legado do MR-8, o Partidão, a famosa Albânia (PC do B), a turma Libelu, Causa Operária , Brizolistas até a chegada do PT nos anos 80 com forte influência de acadêmicos, estudantes e a base dos trabalhadores - este era o extrato ideológico de então.

No DCE e nas demais lutas era impossível partidos conservadores de Centro e Direita ter espaço no Movimento. ZERO de chances como se vê hoje.

DEMOCRACIA SEMPRE

As novas gerações brincam com fogo ao optarem por líderes de ultra direita, a exemplo de Bolsonaro. É inadmissível ver gente Brizolista do passado defendendo gente dessa espécie.

Os ex-Líderes Estudantis se reencontram para comprovar que valeu à pena tanto compromisso pelas liberdades democráticas e tantas conquistas sociais.

É este saldo de muita importância política que transforma o Encontro desta sexta-feira em Marco e Referência das lutas provando à lá Max Weber que a saída está dentro da Política nunca fora dela.

Essa Geração é Símbolo muito qualificado.

Valeu! 


Antonio Mariz: cada vez mais o Perfil Político Exemplar se faz indispensável existir

O renomado advogado Johnson Abrantes, marizista de Carteirinha, foi quem acordou no 5 de dezembro lembrando o fato de que, se vivo estivesse, o ex-governador e ex-senador Antonio Marques da Silva Mariz comemoraria 80 anos ao lado da esposa Mabel Dantas Mariz. Nestes tempos de baixo conceito da Politica pelos desvios dos Politicos, o filho de Dona Noemi faz muita falta.

A lembrança chega em boa hora porque as novas gerações não dimensionam a importância de Mariz como Politico Exemplar nos diversos niveis, desde a ética, reputação, representatividade e competência como Homem Público

Mariz foi o parlamentar paraibano que, na Constituinte de 1988, conquistou nota 10 pelo DIAP em face da conduta singular em comparação a todo o Congresso Nacional.

SOUSA COMO GRANDE REFERÊNCIA

Na sua primeira atuação como gestor público no Executivo como prefeito de Sousa, no inicio dos anos 60, ele revolucionou ao apresentar um Plano de Governo cumprindo as promessas de campanha e fazendo Prestação de Contas mensal fixando o Balancete no prédio da Prefeitura e em programa de rádio.

Mariz estabeleceu Carteira Assinada e Salario Minimo para todos.

NO GOVERNO, UM PROJETO REFORMISTA

A primeira ação de Mariz, muito antes de se ter obrigação de Transparência, foi mandar publicar todo mês nos jornais da Paraiba as Contas do Governo.

Antes produziu com Equipe de intelectuais um Programa de Desenvolvimento Sustentável para o Estado voltado na direção de criar novas vocações econômicas mas antes matando a fome dos famintos da Paraiba.

Já como senador e muito antes de Lula, Mariz já defendia programa social voltado a resolver a fome de minorias espalhadas nas cidades.

Ele tinha visão estratégica, como fez em menos de 9 meses ter construido o Canal da Redenção levando água de Coremas para as Várzeas de Sousa - área com solo muito melhor do que Petrolina e que até hoje não mereceu o mesmo tratamento que Mariz reservava aos agricultores e produtores rurais da região.

Na prática, sem sorte a Paraiba não conviveu na inteireza com projeto Reformista e impactante de Mariz.

Enfim, como relator do Impeachment de Collor Mariz foi politico correto e solidario com seus pares, a exemplo do seu amigo , senador Humberto Lucena, lutando contra a perseguição da Grande Midia caçando o lider do PMDB mas que a luta de Mariz o fez anistiado.

Mariz recusou proposta de Lúcia Braga antes do primeiro turno da eleicão de 1990 exigindo que ele sumisse do segundo turno e, de imediato, o irmão de José Mariz se levantou da reunião porque não admitia traição a Ronaldo Cunha Lima.

Este era Antonio Marques da Silva Mariz, poliglota e intelectual que bancou o filme "Pais de São Saruê".

Faz muita falta.

EM TEMPO: tive a Honra de ser seu Secretário de Comunicação.


A radicalidade (ilegal?) do TJ contra Governo RC e o maior temor: quem vai atenuar a crise?

A revelação pelo Secretário de Comunicação, Luis Torres, de que o Tribunal de Justiça do Estado sequestrou R$ 30 milhões, mesmo com a existência de medida do STF impedindo tal movimento, para pagar precatórios é o mais claro atestado de que o Judiciário resolveu retaliar o Executivo atribuindo a ele a aprovação pela Assembléia Legislativa do Orçamento de 2018 sem adicionais pretendidos pelo TJ.

Entendamos: há algum tempo, o Judiciário adotou medida visando sequestrar R$ 33 milhões para pagamento de precatórios. O Governo recorreu ao STF e o ministro Ricardo Lewandowiski determinou a suspensão de qualquer captação dos recursos pelo TJ.

Mas, dias depois da aprovação da LOA, o Judiciário que já havia sequestrado R$ 3 milhões resolveu abarcar os outros R$ 30 milhões para, repito, pagamento de precatórios.

ALÉM DE TUDO

O grave de tudo está na medida, levando em conta a fala do Secretário, do TJ não respeitar ordem superior do STF partindo para um enfrentamento danoso às relações institucionais com grave repercussão.

Vai mais além porque intui crise de relacionamento destruindo canais de negociação com intuito pré-deliberado de fragilizar o Executivo não se sabe com que propósitos - até politicos externos, algo que depõe contra.

Nesta fase do processo, pior é inexistir quem possa conter a sanha existente porque agravar a crise só interessa à quem quer o caos de um Estado equilibrado financeiramente, distante da gravidade no Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Minas, etc.

A influência politica e partidária externa ao.TJ é muito danosa e precisa ser barrada. 


Como Lula, Temer, Alckmin/Serra e Bolsonaro devem influir na sucessão de Governo na Paraiba

Os novos números da Pesquisa DATAFOLHA em torno de Lula mostram dados em tese inacreditáveis diante do mais odiento massacre da Midia e dos Poderes contra um Lider politico de Esquerda já registrado no Pais durante os últimos três anos. Há uma reformulação de conceito da sociedade sobre a realidade brasileira ajustando posições, neste caso beneficiando o petista.

E, como isso vai repercutir na sucessão da Paraiba ?

Antes desta análise, observe-se que o mais importante, está na revelação de que nenhum dos algozes de Lula ligados ao Governo Temer, a partir do presidente Michel Temer, ou seja, Geraldo Alkmin, José Serra, FHC, João Doria simplesmente inexistem com perspectiva para 2018 na disputa presidencial.

A "novidade" chama-se Jair Bolsonaro.

COM0 REPERCUTIRÁ

Na Paraiba, o cenário nacional repercutirá com efeitos de Lula ou do candidato dele, caso seja impedido de ser candidato, em favor e atrelado ao candidato do governador Ricardo Coutinho, no caso João Azevedo. Este seria principal beneficiado.

Já o senador José Maranhão vai conviver com toda a repercussão possivel de seu atrelamento ao presidente Michel Temer e seu legado de graves problemas. Este é um dado com contornos negativos em torno do senador.

Luciano Cartaxo também conviverá com a aura politica do Governo Temer, mesmo em grau menor do que Maranhão, mas sua saida do PT para o campo de Centro Direita deve ter repercussão na sua pré-candidatura.

No caso de Bolsonaro, com os nomes hoje postos deve aproximar o eleitorado de Bolsonaro a Cartaxo pelo elemento da cara nova.

Este é o resumo da ópera.

  


Como Lula, Temer, Alckmin/Serra e Bolsonaro devem influir na sucessão de Governo na Paraiba

Os novos números da Pesquisa DATAFOLHA em torno de Lula mostram dados em tese inacreditáveis diante do mais odiento massacre da Midia e dos Poderes contra um Lider politico de Esquerda já registrado no Pais durante os últimos três anos. Há uma reformulação de conceito da sociedade sobre a realidade brasileira ajustando posições, neste caso beneficiando o petista.

E, como isso vai repercutir na sucessão da Paraiba ?

Antes desta análise, observe-se que o mais importante, está na revelação de que nenhum dos algozes de Lula ligados ao Governo Temer, a partir do presidente Michel Temer, ou seja, Geraldo Alkmin, José Serra, FHC, João Doria simplesmente inexistem com perspectiva para 2018 na disputa presidencial.

A "novidade" chama-se Jair Bolsonaro.

COM0 REPERCUTIRÁ

Na Paraiba, o cenário nacional repercutirá com efeitos de Lula ou do candidato dele, caso seja impedido de ser candidato, em favor e atrelado ao candidato do governador Ricardo Coutinho, no caso João Azevedo. Este seria principal beneficiado.

Já o senador José Maranhão vai conviver com toda a repercussão possivel de seu atrelamento ao presidente Michel Temer e seu legado de graves problemas. Este é um dado com contornos negativos em torno do senador.

Luciano Cartaxo também conviverá com a aura politica do Governo Temer, mesmo em grau menor do que Maranhão, mas sua saida do PT para o campo de Centro Direita deve ter repercussão na sua pré-candidatura.

No caso de Bolsonaro, com os nomes hoje postos deve aproximar o eleitorado de Bolsonaro a Cartaxo pelo elemento da cara nova.

Este é o resumo da ópera.