PMDB só define João Pessoa com base em 2018

A esta altura do campeonato, muita gente apressada intuiu com a decisão do deputado federal Manoel Junior de desistir da candidatura a prefeito e passar a apoiar Luciano Cartaxo, que isto significava o endosso e mesmo caminho do PMDB.

Ledo engano. A lógica e base do futuro partidário pemedebista passa pela eleição de 2018, onde o senador José Maranhão se apresenta como pré-candidato ainda faltando muito tempo.

Passa ainda pela reeleição do senador Raimundo Lira, uma outra opção pemedebista à reeleição e até ao Governo do Estado, também.

Mas, em princípio e prioridade, José Targino Maranhão é o nome por quem gravita as decisões e interesses maiores do PMDB.

COMO FICA ENTÃO

O Senador Presidente tem muito que faz restrições ao governador Ricardo Coutinho, mas ele sabe que não pode ignorar o fato do líder Socialista não poder mais ser candidato em 2018, por isso esta questão o faz refletir porque, na hipótese de apoio a Luciano, caso seja reeleito, passa a ser a tal Bola da vez atrapalhando seu desejo.

Trocando em miúdos, a decisão do PMDB por esse moído de Maranhão.


Manoel Jr deflagra Acordão contra Ricardo Coutinho

O esperado anúncio de desistência da candidatura do deputado federal Manoel Júnior à Prefeitura de João Pessoa, antecipada pelo Portal WSCOM e Blog, e a consequente pactuação de apoio à reeleição do prefeito Luciano Cartaxo é o mais expressivo elemento deflagrador de uma engrenagem envolvendo PMDB, PSDB e PSD formando uma grande Frente contra o governador Ricardo Coutinho.

Esta é a principal consequência do que acaba de ser anunciado aos quatro cantos, depois de várias reuniões entre os principais lideres do processo de Oposição ao Governo estadual, ou seja, José Maranhão, Cássio Cunha Lima, Manoel Junior e Ruy Carneiro – todos em sintonia e acordo com o prefeito da Capital.

Seguramente, será a mais forte aliança dos últimos tempos contra um só personagem, o atual governador do Estado.

EFEITOS E DESDOBRAMENTOS

O senador José Maranhão ainda não definiu a lista triplice que o PMDB vai levar a Luciano Cartaxo para sua escolha final.

Mas, como nos garantiu o Diretoriano poderoso do PMDB, Antonio Souza, a chance de aliança com a candidata Cida Ramos é Zero.

Outra Alta Fonte do PSDB nos garantiu logo cedo de manhã que o acordo em torno de Luciano está selado.

ENCONTROS JÁ EM CURSO

Como o Portal WSCOM anunciou em primeira mão, Luciano Cartaxo vem conversando há dias com as cupulas do PMDB e PSDB sobre a estratégia comum de campanha, que será formalizada até o dia 5 de agosto.

Luciano Cartaxo foi visto pelo periscópio da WSCOM entrando na MIX Propaganda, ontem, às 16h45, para encontro com Ruy Carneiro depois deste ter se reunido com o deputado federal Manoel Júnior.

A TESE CONTRA TEMER

Manoel Júnior, fiel escudeiro do presidente interino Michel Temer, garante que a aliança tem também no fator nacional o incremento para sua consolidação na Paraíba.

É que PMDB, PSDB e PSD são Governo, enquanto Ricardo Coutinho é Oposição.

ÚLTIMA

“O cancão vai piar...”


Erialdo Pereira: lá se vai o Jornalismo Romântico

                                                                        Para Ana Lúcia, Luciano, Ismael e Janaina

Houve um tempo em João Pessoa que, no Restaurante La Veritá, invariavelmente depois das 21 horas por lá aportava a maioria dos Editores de Jornais e de TV para conversas sempre sobre os assuntos que no dia seguinte seriam consumidos pelo público leitor e telespectador.

Uma das vozes que fazia - nos ouvir com atenção era a do professor Erialdo Pereira. Foi quem primeiro vi sair da Redação do impresso frio, de O NORTE, para o comando do Jornalismo da Rede Paraiba de Televisão. Lembro que levou consigo a sabedoria cultural de Silvio Osias.

FORMAÇÃO E REALIDADE

Erialdo Pereira chegou de volta a João Pessoa depois de uma temporada no Jornal do Brasil exatamente quando João Pessoa começava a conviver com o curso de Comunicação Social da UFPB, no final dos anos 70. Chegou com a fama de quem passara pelo JB, à época, o melhor jornal brasileiro.

Lembro-me como se fora agora as muitas conversas em O NORTE - também à época o melhor jornal da Paraiba - ao lado de Frutuoso Chaves, editor e correspondente de O globo, Marconi Góis, Nonato Guedes - nosso Castelinho exemplar -, Lena Guimarães então correspondente do Estadão, mestres Agnaldo Almeida, Biu Ramos e Gonzaga Rodrigues, Barbosinha Good Life e tantos queridos colegas de Jornalismo.

Vivíamos tendo e adentrando ao "gramado" as novas gerações advindas do DAC da UFPB nas figuras de Carlos César, Peninha, Aninha Sá, Edson Verber, Adriano, Eliana, AVF, Socorro Andrade, Joana Belarmino, Silvana Sorrentino, Euflavio e por aí vai. Eu estava nesse agrupamento de Utópicos da vida jornalística na qual Erialdo Pereira era "Pule de 10".

Devo a ele a indicação e consolidação de convite para Chefiar a Redação de O NORTE, tempo em que articulamos a contratação de Chico César como repórter especial, mais por necessidade de Cesinha do que da Redação. A Cumplicidade falava alto.

SERENIDADE E REALISMO

Com Erialdo aprendi a máxima de Cláudio Abramo, segundo a qual, "não existe liberdade de imprensa, mas liberdade de empresa". Fiquei puto ao saber e conviver com isso, sobretudo nessa fase que ainda havia romantismo e lutas em torno do Jornalismo.

Ao longo do tempo, Erialdo enveredou pelo Jornalismo Eletrônico, se transformou no grande aliado de Eduardo Carlos e, enquanto pode, foi capaz e fiel ao grupo Paraiba.

DOENÇA E SUPERAÇÃO

Erialdo descansou nesta sexta-feira. Sofria muito com consequências de problemas renais agudos, que o afastaram da Rede Paraiba quando passou meses na UTI da Unimed João Pessoa.

Depois, como milagre, saiu do Coma e retomou a vida normal em Campina Grande ao lado de uma companheira Denise Sena, importante na sua vida.

Como Fenix, ressurgiu para o ensino e se formou em Direito para a alegria da família e dos amigos.

Em síntese, como se diz lá na Torre, lá se vai um Homem Bom, um jornalista advogado cuja.historia é com H maiúsculo. 

ÚLTIMA

"O nome/ a obra imortaliza..."


Manoel Jr "bagunça" e PMDB pode fechar com Wilson Filho

O também filósofo Manoel Gaudêncio costuma lembrar que a dinâmica na política é algo invariável e sempre presente. A tese dele se aplica integralmente ao novo cenário do PMDB depois que o pré-candidato Manoel Júnior decidiu implodir a candidatura e passar a apoiar a reeleição de Luciano Cartaxo (PSD).

A ideia inicial era juntar todos os grandes partidos (PMDB, PSDB, PSD, entre outros) com Luciano, mas as crises entre os dois partidos em muitas cidades levam o PMDB a pensar outras alternativas, a principal delas de fazer com aliança com a pré-candidatura de Wilson Filho (PTB).

Aliás, o PTB surge como aliado primoroso nesta fase porque pode permitir uma aliança mais ampla envolvendo as principais cidades.

WILSON FILHO TOPA

Quem mais se manifesta a favor do acordo é o pré-candidato Wilson Filho que, como não existe espaço vazio, pode ser beneficiado com a conjuntura criando a hipótese real de aliança com o PMDB.

Ele já sinalizou ao senador Maranhão que, numa hipótese de segundo turno, deixará com o PMDB a decisão final.

AFINIDADE

O PMDB e o PTB da Paraíba trabalham na mesma perspectiva de política nacional de apoio a Michel Temer e até nisso facilitaria o acordo.

UMAS & OUTRAS

… Manoel Júnior foi para a reunião com Maranhão, mas não demorou nada alegando problema de saúde com sua sogra.

… Hugo Motta ficou de dar entrevista ao WSCOM amanhã. Deve trazer novidade.

… Ele foi visto hoje em São Paulo.

… A hipótese de vitória do empresário Rinaldo Cipriano em Joca Claudino tem feito a situação atual, envolvida em escândalos de desvios de recursos, a entrar em pânico.

… Nunca mais Rui Leitão foi visto, afora na Prefeitura e nos jogos do Belo.

ÚLTIMA

"Quem tem um/não tem nenhum..." 


Como fica Maranhão na perspectiva de 2018?

A sucessão de João Pessoa volta às atenções para a entrevista coletiva do deputado federal Manoel Júnior nesta sexta-feira quando deve anunciar seu posicionamento acerca de sua pré-candidatura. Nos bastidores têm – se como certa a sua desistência, entretanto no PMDB, formalmente, o senador José Maranhão ainda sonhe ou queira a manutenção da disputa pelo parlamentar peemedebista.

Embora pareça fácil entender a probabilidade de desistência de Manoel Junior, ou não – com diz o Mano Caetano, há que se levar em conta outros fatores em jogo em 2016, mas com repercussão em 2018 porque alguns movimentos de agora terão efeito na disputa para o Governo do Estado.

MARANHÃO, PRÉ-CANDIDATO

Neste emaranhado de interesses partidários e políticos, um desses fatores reside na clara intenção do senador José Maranhão de disputar o Governo em 2018.

É este fator de agora que também está sendo mensurado e inserido no contexto da definição do PMDB em João Pessoa e nas principais cidades do Estado.

Maranhão avalia os próximos passos do partido por este ângulo porque está consciente de que, numa hipótese do prefeito Luciano Cartaxo vir a ser reeleito, será o lider do PSD na Capital quem ascenderá em tese na disputa de 2018 e isto afeta a pretensão do senador.

IRA E PRAGMATISMO

Se dependesse de humor e vindita, o senador e o PMDB selariam um acordo fechado com o PSDB e o senador Cássio Cunha Lima para “dar o troco” em Ricardo Coutinho pelo que considera e diz nos bastidores – a desatenção do governador. RC rebate.

Este moido sentimental ainda hoje move o juizo de pemedebistas, mas a lógica e o pragmatismo indicam que é preciso estudar a melhor tática para 2018 já sabendo que RC não será candidato – algo que abre entendimentos no interesse do PMDB.

Trocando em miúdos, até o dia 5 de agosto – último dia das definições partidárias de 2016, muita coisa pode acontecer, inclusive nada.

UMAS & OUTRAS

...O PSDB está jogando forte na pré - candidatura do médico Emerson Panta, que passou a ser um dos nomes em evidência na disputa pela Prefeitura de Santa Rita.

...Ruy Carneiro, presidente da legenda, é um dos maiores entusiastas.

...A família Maroja não engole a forma como o PTN tirou de campo a pre-candidatura do empresário Henrique Maroja.


As eleições em Santa Rita: o raio X do momento

Dois fatos registrados na terça-feira, 19, em Santa Rita mexeram fortemente na perspectiva de futuro na sucessão do prefeito Netinho, candidato à reeleição. O primeiro deles, de forte impacto, foi a decisão do PTN de não homologar a candidatura própria no municipio fulminando com a pretensão do empresário Henrique Maroja, alijado do processo.

O outro fato relevante se traduziu no anúncio de Carimbó como candidato a Vice na chapa do médico Emerson Panta (PSDB) fechando assim o firo de uma articulação popular para disputar a prefeitura pra valer.

EFEITOS NA PRÁTICA

No primeiro caso, do apeamento de Henrique Maroja do processo, ficou claro que o ex-pré-candidato não soube se vacinar contra o que foi vitima, a exclusão da disputa, pois poderia ter construído uma agremiação partidária mais consistente ao seu projeto. Ele estava crescendo.

Na boca miúda, diz-se que o PTN tomou essa decisão por manobra nos bastidores do diretoriano José Bernardino para, ao abrir mão da candidatura própria, favorecer o pré-candidato Zé Paulo, do PSB.

A alegação final do partido, contudo, do presidente deputado Janduhy Carneiro, é de Henrique não pontuava forte na disputa, algo que é contestado pelo empresário e ex-pré-candidato.

ENFRENTAMENTO MAIOR

Pelo que está posto em Santa Rita, as eleições terão maior confronto entre o lider das pesquisas atualmente, médico Emerson Panta, e o deputado estadual Zé Paulo – este último com apoio total do governador Ricardo Coutinho.

Não há como ignorar o papel do prefeito Netinho, que se mantém na disputa, mas os últimos fatos na correlação com os servidores municipais têm lhe tirado o sono.

UMAS & OUTRAS

...A Tabajara FM continua sendo a emissora que mais toca música de artistas paraibanos fora do Play List. Mesmo assim, com direito a jingles dos artistas rodando na progamação, a quantidade de execução reduziu em comparação a outros tempos.

...Maciel Melo se incorporou ao elenco especial de Marcelo Piancó e Cristovam Tadeu no show que os humoristas têm feito no Bessa Grill. Tem espetáculo à vista, em breve, com o cantador das canções de fino estilo musical dando um adorno ao que Piancó e Cristovam já tinham de primazia, o talento.

...Ainda repercute a ascensão do multimidia Walter Galvão na coordenação de comunicação da campanha de Cida Ramos.

...Já Josival Pereira age com afinco na estrutura de comunicação de Luciano Cartaxo.

...O professor e marqueteiro Marcus Alves se mantém sereno no bafafá sobre a pré-candidatura de Manoel Júnior a prefeito de João Pessoa apostando que tudo continua como sempre esteve, ou seja, ele será candidato.

ÚLTIMA

“Sou um cabloco sonhador/viu...”


As eleições e a força da Reputação

Tem gente ainda não levando a sério, mas a cada eleição que chega mais toma força no processo de decisão do eleitorado na sua avaliação a conduta e trajetória do candidato. O fator Ficha Limpa é, por vários fatores, o definidor da escolha em muitos casos.

Tese à parte, não há dúvidas de que este aspecto será definir tanto faz em São Paulo, onde haverá uma queda - de -braço forte entre um Petista (Haddad) e dois ex-petistas (Erundina e Marta Suplicy), como em João Pessoa, Campina Grande e adjacências.

A QUESTÃO ÉTICA NA CAPITAL

A exploração e desmentido em torno da denúncia de que o prefeito Luciano Cartaxo estaria se servindo do Poder para contratar laboratório de um Parente explica bem o que acabamos de conceituar.

Líder das pesquisas, Luciano Cartaxo terá seu maior teste na atual disputa se conseguir passar incólume sobre este componente Ético a afetar na Reputação.

A dados de hoje, ele enfrentou o caso de agora desmentido pelo Secretário Adalberto Fulgencio, mas sabe que enfrentou também a situação de denúncia da Lagoa.

Neste caso de reputação, a turma do PSD também andou atacando Cida Ramos por questão de salário acumulado, algo explicado posteriormente, como Contas da Secretaria atribuído a ela mas sendo de governo passado, etc - tudo isso contextualizado no campo da Reputação.

O debate à frente será maior com comparações de atitudes, Gestões e projetos para a cidade, entretanto, este componente ético será decisivo.

CASO DE MANOEL JUNIOR

De todos os pre-candidatos em João Pessoa o que aparentava ser o maior incomodo para Luciano Cartaxo seria o deputado federal Manoel Junior, do PMDB.

Eis que, no caminho dele havia uma Pedra chamada Eduardo Cunha, cuja relação próxima tirou o atilado parlamentar da disputa.

Tudo em nome da reputação.

ÚLTIMA

"Diga - me com quem andas/ e te direi quem és..." 


Afinal, qual é o projeto de Wilson Filho

Na mídia, nos cartazes eletrônicos há uma convocação expressa para Encontro decisivo do PTB visando definir os apoios, candidaturas e propósitos em torno da pré-candidatura do deputado federal Wilson Filho a prefeito de João Pessoa.

A esta altura do campeonato, ele, o partido e partidos aliados asseguram que o projeto de candidatura é pra valer e, nas projeções internas, reproduz a condição de que ele já passou Manoel Júnior e parte para cima de Cida Ramos.

QUE PROJETO É ESSE?

Wilson Filho não é pré-candidato na disputa de conceito ideológico, a partir dos ideais de Vargas na direção dos trabalhadores, nem se credenciará por esse prisma.

WF aposta todas as fichas no debate sobre projetos e soluções para João Pessoa por meio de um caminho complicado, que é Terceira Via, diante da polarização entre Luciano Cartaxo e Cida Ramos.

Ele insiste em advertir e chamar o PMDB para perto dele porque, no seu entendimento, somando forças com ele há possibilidade de crescimento eleitoral.

CONCLUSÃO

O PTB vai fechar questão com Wilson já antecipando que fará oposição a Cartaxo e não se coligará com ele.

Trocando em miúdos, com esse manequim.novo e de.pouca rejeição, ele parte para fase de formalização de um projeto ascendente na construção de uma imagem política na capital até então inexistente.

Isto chama - se, como se diz lá no bairro da Torre, em investir no futuro. 


Os desafios e gargalos de Cida na Comunicação

Logo cedo, via email, recebemos a farta agenda da pré-candidata Cida Ramos pelos bairros de João Pessoa durante este domingo. Ela já havia cumprido encontros no Bairro São José, Rangel e se preparava para ir no Cidade Verde, Água Fria, Mangabeira e José Américo. Poucos conseguem ter esse pique, diariamente.

Só que, na prática, ninguém fora da equipe sabe disso, ou seja, nem os veículos de comunicação nem a população - principal foco, de onde se deduz que a pré-campanha de Cida enfrenta problemas na área de Comunicação.

Nem preciso ir ao Velho guerreiro para lembrar a frase famosa de que “quem não se comunica, se trumbica”.

Este é um problema que Cida Ramos já detectou e tomou medidas urgentes para sanear chamando para perto e coordenação do setor o experiente multimídia Walter Galvão.

ÁREA FATAL

A pré-candidata sentiu na pele os efeitos dos roídos nas últimas duas semanas quando, mesmo estando em ação permanente, pouca reverberação se ouviu ou soube de sua trajetória, mesmo porque ela trabalha contra o tempo, posto que muitos desconhecem sua candidatura, diante de um concorrente que passou 3 anos e 6 meses sem adversário, no caso o prefeito Luciano Cartaxo.

A socialista não vai precisar apenas de um assessor de imprensa, um distribuidor de pauta e releases. Está a exigir do segmento da Comunicação atrelada à Propaganda para correr mais e expor sua imagem à altura da pretensão de seu agrupamento político para mostra-la mais capaz do que seus adversários no embate decisivo em outubro.

QUE PERFIL MOSTRAR

Além da comunicação e exposição de imagem, há que se estudar e imprimir um perfil adequado à carência ou expectativa do eleitorado porque não é só comunicar por comunicar.

Nonato Bandeira, Luis Torres, Ricardo Coutinho sabem do que dizemos porque a forma e perfil a ser mostrado têm natureza fundamental porque exigem símbolos ligados à boa gestão, capacidade pessoal, articulação política, meio de se apresentar aliada do governador ainda tendo que fazer o embate direto com seu principal adversário.

PORQUE O AJUSTE

Na verdade, o descompasso era relativo porque Luis Torres anda superlotado de tarefas na Comunicação do Estado e a campanha passou a exigir um personagem exclusivo para ela. Só foi isso.

E Galvão chega com estatura de Personal Top of Comunication – a nova expressão da moda lá no bairro da Torre.

SEPARAÇÃO NA MIDIA

Os publicitários Max Leal e Rui Dantas já não estão mais juntos no mesmo projeto empresarial unindo Três Comunicação e Sin Propaganda.

Eles resolver separar as empresas rompendo o acordo anterior.

O Portal WSCOM trouxe detalhes em mais um furo.

ÚLTIMA

“O olho que existe/ é o que vê...”
 


Cabedelo: a disputa afunila com 5 candidaturas

Quarta cidade de maior arrecadação no Estado, a deslumbrante cidade de Cabedelo convive há anos com administrações desastrosas mantendo nível de baixa resolutividade de seus problemas, nem tão grandes assim, logo, a merecer reparos conceituais e de Gestão. 

A covardia e jogo alto do ex-prefeito Luceninha é o retrato 3 x 4 de um Esquema continuado a fazer Cabedelo uma cidade refém do azar e das más gestões.

Por esses e outros valores, a disputa de 2016 para a escolha do novo(a) gestor(a) passa por cinco nomes:
Eneida Regis, Leto, Fernando Sobrinho, Lucas Santino e Marcos Patrício.

LEITURA EM CIMA DE FATOS

O eleitorado cabedelense vai decidir o voto até outubro diante de duas situações de conceito: ou opta pelos velhos esquemas tradicionais da cidade ou tem a oportunidade de escolher por caras e propostas novas.

Eneida, esposa do ex-prefeito Zé Regis, será candidata porque seu marido não pode. Na linguagem popular é Ficha Suja, mas quer mandar através de sua companheira.

Outra opção dentro do espectro conservador de antigos Esquemas está o atual prefeito Leto, que ascendeu ao Poder pela "renuncia" do ex-prefeito Luceninha, que até hoje a cidade não engoliu.

Leto é candidato da super-estrutura e aposta que com ela poderá reverter os altos índices de rejeição ao seu governo passando da casa dos 56%. Ele anda convencido de que na véspera resolverá a parada com os velhos hábitos do retrocesso.

A dados de hoje, há quem jure que os dois estão na disputa maior. Ambos, contudo, enfrentam problemas para explicar porque mexem com a Ética, o bom uso do dinheiro público, e estes aspectos vão ser trazidos para o debate.

OPÇÕES À VISTA

Restam as candidaturas de Fernando Sobrinho, Lucas Santino e Marcos Patrício. Mesmo sendo um candidato de perfil limpo, o terceiro (Patrício) não atrai a expectativa de maior crescimento porque seu discurso é ideológico, PSOL e sem estrutura.

Restam os dois vereadores. No caso do presidente da Câmara, Lucas Santino, dir-se-ia que por ter a máquina legislativa o dirigente poderia ter maior cacife, mas não conseguiu até hoje transferir o Poder em voto.

Não por eliminação, mas por habilidade conjuntural, a novidade da disputa está no vereador Fernando Sobrinho ao conseguir diversos apoios importantes de setores da cidade, bem como de lideranças no nível de Estela Bezerra, Ricardo Barbosa e Trócolli Junior, além de tudo, o mais importante deles - o governador Ricardo Coutinho, principal eleitor hoje em Cabedelo.

SÍNTESE

A disputa hoje está entre Eneida e Leto, mas o contencioso negativo em torno deles abre espaços para que Fernando Sobrinho esteja na disputa com chances de crescer, já que é desconhecido por 40% da cidade, podendo entrar na reta final em condições de vitória, se souber expor seu programa de Governo e a campanha tiver a capacidade de mostrar quem são seus adversários.

ÚLTIMA

"Cada um dá o que tem"