O brilho do Sol Maior que a Música da Paraíba expõe com Maestro Chiquito

Quem é do ramo sabe a força de expressão a irradiar desta quarta-feira no Convento de São Francisco em diante com o retorno da Orquestra Metalúrgica tendo a regência competentíssima do Maestro Chiquito mantendo assim a tradição da Paraiba de ser um celeiro histórico de grandes regentes, músicos extraordinários e grupos musicais.

Se houvesse comparação e estilo poder-se-ia afirmar com todas as letras que Severino Araújo estaria feliz da vida por saber que o nivel da Orquestra Tabajara está resgatado diante de músicos tabajaras de excelente patamar de desempenho.

Como regente e lider deste grupo fenomenal, Maestro Chiquito é a expressão humana, viva, do quanto só a arte é capaz de produzir, porque somente o talento consegue superar todo o tipo de obstáculo comum à quem nasce pobre e herda a luta da negritude encolhida no quilombola da Serra de Santa Luzia.

Abusado, quase sempre devoto do frevo, ele até vadeia em outras vertentes da música instrumental tão rebuscada, é preciso admitir que Maestro Chiquito é inflexivel no tocante à qualidade dos arranjos e desempenho dos músicos nos vários naipes.

E se o assunto é Frevo aí nesta praia de renomes como Severino Araújo, Sivuca, Maestro Vilô, etc, essa gente só tira o chapéu para José Siqueira de outra fenomenal pairagem.

Trocando em miúdos, o SESC faz Gol de Placa ao resgatar a Orquestra Metalúrgica - cujo saldo do que representa se traduz na maior Comodities de exportação para o Mundo MADE IN PB.

Não é à toa que João Pessoa é a Capital brasileira de Orquestras Sinfônicas e a turma do Poder não sabe transformar isto em orgulho e dividendos.

Ave METALÚRGICA ! Ave Maestro Chiquito.

UMAS & OUTRAS

...Vem aí o Festival Internacional de Música Erudita de João Pessoa. A programação está supimpa, como diria o inesquecivel Julio Rafael.

... Gostei de ver a convocação de Leo Goldman e Wagner Tiso.

...Luciano Cartaxo e Mauricio Buriry acertaram em.cheio. É por ai.

ULTIMA

"Onde quer que vá/eu vejo a minha Torre" 


A crise na autonomia interpoderes, a nova conjuntura da Paraíba e riscos de desequilíbrio

 Há em curso no Estado da Paraíba uma série de decisões tomadas por Poderes constituidos, cujos efeitos refletem fortemente na Autonomia Inter-Poderes, uma vez ainda que a base de argumentação afeta diretamente a estabilidade institucional entre os mesmos Poderes e, pior, reflete diretamente na condição econômico-financeiro do Executivo ameaçando o futuro próximo.

 São muitas as decisões, embora a abordagem de agora se refira apenas ao sequestro de R$ 34 milhões pelo presidente do Tribunal de Justiça, douto desembargador Joás de Brito Filho, para pagamento de precatórios - instrumento importante, devido, cuja efetivação extrapola as condições reais do Executivo diante da dura realidade econômica.

 Aliás, como se trata de matéria constitucional, o ministro Luiz Fux já deu prazo para o presidente se pronunciar, da mesma forma o Ministério Público Federal porque se trata de sério problema de intromissão ignorando até a Politica real adotada pelo Governo do Estado de negociação para pagamento dos precatórios.

 Ora, se há ações de Governo negociando os débitos em meio à grave crise econômica, por que desestabilizar todo uma estrutura governamental e à quem interessa mais o Caos e desequilibrio financeiro?

AINDA A LOA

 A sociedade paraibana precisa conhecer mais transparente a realidade dos demais Poderes porque, pois além do Executivo se faz indispensável saber se o Judiciário, Legislativo, Ministério Público e Tribunal de Contas, estão cumprindo com suas obrigações com base na Lei de Responsabilidade Fiscal.

 Por isso, a ação legal da Procuradoria Geral ro Estado de interferir na LOA - base orçamentária de 2018 - não pode ignorar o dever - de - casa para reivindicar trato adequado do Duodécimo quando os Poderes estão extrapolando suas obrigações e não fazem cortes necessarios.

TEM POLÍTICA NO MEIO?

 É certo que não vamos pensar que, mesmo com base de argumentos legais, as várias ações estejam orquestradas para desestabilizar o Governo Ricardo Coutinho visando abrigar realidade e discurso politico da Oposição.

 O fato é que, com tantos problemas em nome da Autonomia entre os Poderes, ao que parece há intromissão indébita pelos valores economicos e politicos de conjuntura

 Afinal, à quem interessa desestabilizar o Governo? 


Quando a Sapiência na gestão Universitária Pública extrapola a cerca dos limites

Dois fatos expressivos marcaram os últimos dias da gestão da professora doutora Margareth Diniz à frente da UFPB. O mais atual acontece nesta terça-feira, em Brasilia, quando ela receberá da Câmara Federal a Comenda máxima de Reconhecimento às ações desenvolvidas em prol da educação de Terceiro Grau. Se bem que a outorga tenha a ver com toda gestão.

Só que a base do coroamento tem a ver com uma série de atitudes e politicas desenvolvidas na gestão, por exemplo, como o inovador Sistema de Acompanhamento por instrumentos digitais da estrutura do Ensino Universitário em nivel nunca existente desenvolvido pela UFPB.

O QUE É E QUAL SIGNIFICADO

Trata-se de Sistema inovador em todo conjunto universitário público do Brasil, de forma inédita, permitindo pela primeira vez um acompanhamento e avaliação precisos sobre a estrutura de Graduação devendo ser absorvida pelas Universidades Federais do Nordeste e se expandir por todo pais.

Isto chama-se alto desempenho numa fase de muitas restrições no Ensino Superior,  dai a distinção dela na conjuntura nacional, mesmo ela já sendo presidente da ANDIRFES Nordeste.

NA BASE, A EQUIPE

Chegar a este estágio só foi possivel porque uma equipe de professores liderados pela professora doutora Ariane Sá, Pró-Reitora de Graduação, chegou a este resultado de vanguarda numa área muito complexa e a exigir debates e formulações convincentes.

Esta é a síntese de um processo no qual a construção e resultado só é possivel com gente qualificada e afeita à inovação acima.do filtro ideológico em tempo de vacas magras. E se é assim, é a equipe liderada pela pró-reitora a referência a merecer também méritos da vanguarda especificas.

No frigir dos ovos, a Reitora dá demonstração de sintonia com a vanguarda na gestão. Simplesmente diferenciada.

VANGUARDA MUSICAL

O professor doutor Eli Eri, anuncia que o grupo IAMAKÁ apresenta-se no V Festival Internacional de Música de João Pessoa, na proxima quarta-feira, às 16h, na Igreja Batista, com um repertório de músicas medievais/renascentistas e músicas contemporâneas da Paraíba.

É para todo mundo  anotar na agenda!
  


Luciano avança na interiorização da imagem reforçando administração na Capital

Quem acompanha a cena politica do Estado, sobretudo nos últimos dias, percebe facilmente a estratégia politica do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, de focar sua ação em três eixos: manter o nivel da gestão, interiorizar a sua imagem e preservar esse último aspecto jogando sua administração na midia com campanhas publicitárias bem elaboradas.

No fim-de-semana, por exemplo, Luciano ocupou espaços politicos com visita particular à Guaraves - a indústria de beneficiamento de frangos e derivados sob a chancela do empresário Ivanildo, exemplo de matuto teimoso que deu certo e ganhou o mundo.

Sabido, sabendo que Guarabira se divide em Roberto Paulino e Zenóbio Toscano, Luciano entrou na cidade pelo caminho empreendedor. E isto denota sua capacidade de construir diferencial.

IMAGEM E GESTÃO

Está claro ainda que, sem ser afetado por crises na sua imagem, ele aposta forte nela revezando campanhas publicitárias bem elaboradas linkando seu perfil com gestão na Prefeitura em diversas áreas.

Sem denúncias que tenham respingado de fato na sua imagem, até porque sua oposição não lhe carimbou no imaginário coletivo qualquer grande nódoa, ele segue animado com a pré-candidatura até pelos dados de pesquisa existentes.

Este é o timing de Luciano Cartaxo.

UMAS & OUTRAS

...A presença do vereador Thiago Nobrega na comitiva de Luciano em Guarabira criou ciúmes em quem ficou na Capital.

...Há fogo amigo de montão.

... Quem é de perto, como o presidente da Câmara Municipal, Marcos Vinicius, garante que Luciano sai em abril para disputar Governo. É candidatissimo.

...Noutra wibe, o senador José Maranhão também segue com seu projeto de candidatura ao Governo.

...O PT anda no divã, sumido até.

...Mas nenhuma maldade consegue afetar o desempenho de Luiz Inácio na corrida sucessória. Já passou dos 45% de intenções e vai crescer mais ainda.

ÚLTIMA

"O olho que existe/ é o que vê..."


O penúltimo aniversário de Ricardo como Governador

 Sábado de novembro de 2017 para ficar na História de Jaguaribe. Simboliza o penúltimo ano de mandato do seu mais ilustre filho como governador do Estado, posto que ano que vem será tempo de despedida de um ciclo político marcante na recente fase histórica do Estado.

 O presente de hoje desejado em diante por Ricardo Coutinho só se consolida como vetor de galhardia e verdade se houver o reconhecimento da sociedade paraibana ofertando a eleição de João Azevedo como seu sucessor em 2019 em diante.

 Nada será mais desejado e transformado em presente legitimo do que este intento.

UM REFORMISTA SEM IGUAL

 Ricardo comemora nova idade seguro de que inexiste na fase política recente alguém com mais ações e atitudes reformistas no Estado mudando modelo de fazer a própria política rompendo com a elite parte dela superada e retrógrada.

 Danado é que, com seu estilo incomum, soube usar de todas as relações conservadoras para conquistar novos degraus sem se afastar do seu projeto de estilo pessoal focado no campo progressista, de Esquerda mesmo convivendo com todas as matizes ideológicas.

 Não há ninguém - e só Antonio Mariz seria páreo - com o viés socialista de resultados em favor de quem mais precisa irritando a elite econômica que lhe odeia mas se curva à sua capacidade de gestão sem igual, se comparado às três últimas décadas.

 É este o saldo deste Novembro de 2017 a ser comemorado como prévia de desafios e de lutas do jeito que ele gosta: diante de uma Oposição amuada, p da vida e ainda sem uma proposta de Governo como ele oferta ao seu pré-candidato João Azevedo.

 Em síntese, nada será maior presente do que ver seu sucessor adentrar à principal cadeira do Poder no Estado. Detalhe: de origem de Classe Média para baixo.

 Recomenda-se levar Ricardo a sério. PARABÉNS.
 


As regras das eleições de 2018 não geram mudanças bruscas na Paraiba

Há que se aguardar o desenrolar do processo eleitoral de 2018 na prática para se falar com maior propriedade sobre efeitos da opinião pública nas eleições, mesmo assim já é possivel admitir que as regras favorecem ao "status quo".

Alias, a assertiva aplica-se também à Paraiba porque os partidos e lideranças tradicionais são os que vão dar as cartas  até porque não há fenômeno eleitoral em curso para mudar a projeção do quadro.

Dentro desta eleição posta ainda serão as conhecidas caras politicas os responsáveis pelo cenário de disputa onde as estruturas tradicionais vão dar as cartas, logo os novos partidos serão sufocados.

COMO NA PRÁTICA

A dados de hoje serão PSB, partido do governador Ricardo Coutinho, PMDB de José Maranhão, PSDB de Cássio Cubha Lima, PT sem lider especifico, PSD de Romulo Gouveia/Luciano Cartaxo, DEM de Efraim Filho, PP de Acumulado Ribeiro , PDT de Damiao Feliciano,  PR de Wellington Roberto, etc quem vão comandar o processo e neste cenário as projeções de grandes mudanças representativas são quase nulas.

A disputa por esse prisma será entre as estruturas do governador diante da Oposição e Maranhão querendo ser o Tercius da eleição.


Crise e violência no Brasil adiam assinatura de Acordo União Européia e Mercosul

A globalização como realidade inconstestável , nem por isso permite que haja livre comércio como advogam os politicos e mercado financeiro à Direita porque a proteção comercial de alguns Paises ainda é maior do que os acordos. Esta é a sintese de um cenário de obstáculos vivido por paises como o Brasil e Portugal - interessados no Acordo Comercial União Européia e Mercosul novamente adiado para 2018 visando sua consolidação.

Tratamos deste assunto, aparentemente distante de nossa realidade, mas não tanto porque respingará futuramente no Nordeste Brasileiro, logo pode alcançar a Paraiba velha de guerra.

CRISE E VIOLÊNCIA

As causas do adiamento desta feita foram a crise politica no Brasil, assim como na Argentina, da mesma forma que a resistência da França, Polônia e Irlanda por conta do interesse dos setores agricola e etanol desses paises contrários ao acordo.

Sobre o caso brasileiro, outros dois graves problemas suscitados na reunião de Lisboa, anteontem, foram a corrupção na elite politica brasileira e a violência, em especial no Rio de Janeiro tratada como gravissima.

ESTRATÉGIA DE PORTUGAL

Enquanto a diplomacia adia para dezembro de 2018 a fase para a assinatura do acordo, depois das eleições no Brasil e Argentina, Portugal avança buscando atrair a inteligência brasileira, através de startups e inovação de uma forma geral para ocupar o HUB do Beato- área imensa de 35 mil metros quadrados em local onde funcionaram galpões das Forças Armadas na zona Portuária histórica.

Portugal, Lisboa em particular, agem assim para se manterem crescendo acima da média da Europa.

O Nordeste e a Paraiba precisam entender o nivel de desenvolvimento e superação dos portugueses


Aruanda: o Cinema de vanguarda redimenciona a História com Elba e Ruy Guerra

Como se sabe em todos os arredores de João Pessoa e alhures, a agenda da terça-feira conduz consigo uma Coletiva de Imprensa para o cineasta, professor universitário e produtor Lúcio Vilar confirmar a presença de Rui Guerra na nova versão com altas chances de Elba Ramalho figurar entre as homenageadas.

Tomara que Elba venha, se retroalimente de cinema também porque como cantriz ela já atuou no teatro e no filme "Ópera do Malandro", algo primeiro que a fez próxima para sempre de Chico Buarque. Aliás, esta experiência da artista foi um marco na sua carreira.

Falta pouco e Elba certamente resolverá sua agenda para coroar mais uma versão medonha do Festival Aruanda, saldo primoroso da luta de Vilar, agora diante de Ruy Guerra, com 86 anos vai estar entre nós durante uma semana e quer muito dar um abraço na artista.

LUTA HERCÚLEA

A versão 2017 do Aruanda está no forno, entretanto somente a persistência indorminada de Lúcio Vilar com as consequentes ações proativas para superar as restrições vividas pelos cortes na cultura, em especial no áudio - visual.

O Portal WSCOM e a Revista NORDESTE reconhecem e apoiam a saga dificil transformada em troféu para quem faz essa arte soberana, à qual os paraibanos têm presença de muito valor.


Pra não dizer que não falei de Márcia Lucena, a mais forte Reformista além Conde

Houve um tempo em que Jacumã era símbolo de raiz étnica, gente feliz de origem indígena - os donos do Brasil, da Paraiba na direção do Litoral Sul, depois denominada de Conde. É este habitat de presente e muito futuro que, depois de muita história e penar, recebeu como desafio a convivência com uma nova revolucionária de missão, métodos e postura de nome Márcia Lucena.

A conheço por consequência de uma condição  primeira de ser aluno de seus pais, professores Iracema e Iveraldo Lucena - meu reitor preferido. Depois, nos tornamos amigos por afinidades culturais e ideológicas ao lado de seu imenso e singular companheiro, ator, diretor, animador cultural Nanego Lira.

DE VOLTA AO TEMPO

O Conde é dos municipios paraibanos o que reproduz a matriz étnica profunda porque abriga indios, negros, brancos e misturados convivendo com desenvolvimento econômico diferenciado precisando preservar raizes.

É este cenário complexo que faz da prefeita Márcia Lucena uma gestora adequada a ser a condutora ideal de um novo tempo para todas as tendências étnicas e, sobretudo, das gerações seguintes que resolveram povoar e fazer do Conde o berço de bem viver.

ANTES DE TUDO

Vamos, antes de tudo, reconhecer a história. Foi Almir Régis quem primeiro ousou investir no Conde usando terras do antepassado para reinar como homem forte e poderoso.

Atraiu para perto de si Aluizio Régis, antes casado com a filha Tatiana, depois prefeita, até outro ciclo, a separação, levando ele a ser prefeito e lider politico responsável pela fama de Tambaba sem ser puteiro por introduzir cultura de Nudismo. Ele tem méritos. Saulo Barreto tem a ver com isso.

O tempo passou e com ele Aluizio não evoluiu, não soube elaborar nova forma de agir politico e virou personagem do tipo coronel atrasado no método de atacar sua adversária, como se deu recentemente, agredindo inaceitavelmente a figura ética e capaz de Márcia.

E AGORA?

A prefeita revoluciona na forma de ser e agir tendo sob seu abrigo e guarda-chuva a figura aliada e leal do governador Ricardo Coutinho, outro grande reformador da politica, mesmo odiado por uns e amado por muitos. E precisa (como vai) avançar.

Márcia Lucena, portanto, por tantos projetos em meio aos desafios de elevar a cidadania e a evolução economica do Conde não pode temer nem retardar a forte missão de fazer do municipio o novo exemplo de modernidade e exemplo de preservação étnico - cultural do Litoral Sul, uma referencia de desenvolvimento regional.

Chega de atraso! O Conde não sobrevive mais sem a educadora de resultados extraordinários.

Viva a filha de Iracema e Iveraldo (Humanista) Lucena!!!


As disputas locais impedem Acordão nas médias e pequenas cidades; Governo tem força

Embora existam movimentos e até comemorações por parte de algumas lideranças de Oposição quanto a um Acordo para 2018, ainda é muito cedo de celebrar algo que tem muitas dificuldades pela realidade existente entre pequenas e médias cidades em muitos casos tornando quase impossível qualquer pacto. Ainda mais não há como esconder que o Governo tem mais força nos micro municipios.

Para objetivar a análise tomemos em conta dois cenários típicos a comprovar está realidade de dificuldades. Patos, por exemplo, é impossível juntar o deputado estadual Nabor Wanderley e Dinaldo Wanderley.

O mesmo pode se dizer do caso de Araruna onde é zero a possibilidade do atual prefeito fazer qualquer acordo com Dona Wilma Maranhão.

Nos dois casos, não há possibilidade de se comemorar algo que inexiste, ou seja, PMDB e PSDB não têm como conviver em paz ou acordo porque a sobrevivência das lideranças se dá exatamente por conta do conflito histórico.

Trocando em miúdos, a conjuntura de conflito entre os partidos e lideranças tradicionais atrapalha a hipótese de se ter uma Unidade ampla como comemorado dias atrás.

FATOR GOVERNO

Na Paraiba e em outros Estados, não se pode ignorar a influência circunstancial do Governo nos municípios menores. Aliás até mesmo nas médias cidades.

Adicione - se a este fato histórico, a ação do Governo Ricardo Coutinho de forma ampliada em todas as regiões - algo que cacifa expressivamente o seu Pré-candidato João Azevedo.

Tenho dito. Voltaremos ao tema.