Como a Nova Economia e Cultura de Eventos transformam Bananeiras e a fazem líder no Brejo

A cidade de Bananeiras bateu o recorde de si mesma. No dia de São João, sexta-feira, a quantidade de público presente à festa no Centro da Cidade foi quase o dobro da frequência do dia anterior geralmente formado por turistas. Com um detalhe: o registro policial beirando a zero.

Diante de um Estado que tem a fama por suas festas juninas, em especial Campina Grande com seu Maior São João do Mundo além de Santa Luzia e Patos, Bananeiras se consolidou pela qualidade da festa também pelo nível do público influenciado pela nova Economia da cidade advinda após a série de Condomínios de Luxo a partir dos anos 90 multiplicando outros negócios em torno deles.

CLIMA E GEOGRAFIA COMO MOTIVADORES

Bananeiras soube através de alguns empresários / investidores dar o grande Salto ao transformar o clima de Frio em meados do meio do ano, no inverno, e sua tipografia em ambiência adequada para construção de Condomínios no alto e baixo das Serras e de perfil económico dos novos habitantes. O município que vivia da agricultura e agropecuária viu sua economia se transformar com a nova tendência economia através dos condomínios.

Nos anos 90, o empresário Erli Amorim, já falecido, deu os primeiros insights projetando o primeiro Condomínio fechado no alto da Serra com acesso pela estrada do Campus universitário da UFPB.

Mas, quem se transformou em grande investidor de resultados na cidade no campo dos Condomínios foi o ex-auditor e professor universitário Alirio Trindade, ex-diretor do Campus da UFPB. Fez o primeiro deles, defronte sua antiga casa com vista maravilhosa para Bananeiras na saída para Solânea, atraindo empresários e profissionais liberais para este e outros condomínios de luxo, como não há igual no Brejo com um deles tendo até Campo de Golfe.

POLÍTICAS DE INCENTIVOS

O São João de Bananeiras ao longo da história sempre foi famoso, mas com tamanho acanhado se comparado com os dias de hoje.

Foi a Política de Incentivos adotada pela ex-prefeita Marta Ramalho quem deu o início a uma nova fase econômica na cidade, através de Condomínios, hotéis, pousadas e diversos restaurantes de comidas diferenciadas.

Veio a fase seguinte e o prefeito Douglas Lucena ampliou os Incentivos nos diversos segmentos, embora o setor imobiliário seja o mais forte no aquecimento da nova economia.

PERFIL DO SÃO JOÃO

Em plena época de super shows de artistas famosos, a partir de Wesley Safadão, a Prefeitura de Bananeiras opta por atrações musicais com perfil de artistas mais vinculados à música junina raiz, a exemplo de Nando Cordel, Amazon, etc, caracterizando a festa com um apelo mais tradicional.

Gerações de diversas idades se confraternizam no espaço da rua principal onde está o Pavilhão central, outros intermediários e muitas barracas.

CLIMA DE FAMÍLIA

Observadores consideram a presença maciça de pessoas em congraçamento familiar como um dos principais fatores para a transformação dos festejos juninos de Bananeiras em grandes negócios no campo do Turismo Cultural de Eventos.

Além deste aspecto, registre - se o aspecto da segurança com índices pequenos de ocorrência policial.

Veja registros do São João em Bananeiras:


 


Papel e desafios de Josival Pereira

Quando terça-feira chegar, o multimidia Josival Pereira estará assumindo o comando da SECOM da Prefeitura de João Pessoa numa fase extremamente cheia de restrições por força da Lei Eleitoral proibindo muitas ações, inclusive na Propaganda.

Josival Pereira chega na fase final do tempo permitido para que Luciano Cartaxo exponha suas ações e obras, mas a partir de 1o de Julho isto não será mais permitido, da mesma forma que a veiculação de propaganda e/ou contratos comerciais com os veículos de comunicação.

A QUESTÃO DA IMAGEM 

O prefeito chega ao final de Junho com a última pesquisa de opinião pública apresentando aprovação da sociedade, mesmo enfrentando forte Oposição do PSB e Cida Ramos, portanto o primeiro desafio de Josival é, no mínimo, manter os percentuais positivos sem dinheiro para propaganda.

Aliás, a ausência de recursos é outro desafio por que como vai conseguir divulgar bem o prefeito sem a vitamina tão cobrada pelo mercado de Midia?

EMBATE COM RICARDO

Na verdade o enfrentamento será com Cida Ramos, mas sem dúvidas Ricardo Coutinho é o grande eleitor contra Luciano Cartaxo e este podendo anunciar.

Além do mais tem a sabedoria de Cida adicionada de Nonato Bandeira e Luis Torres conspirando ações de todo o tipo para afetar a imagem do prefeito.

Em.sintese, Josival está diante de um grande desafio à vista. 


PSDB se aproxima de LC; PMDB dividido

As cúpulas dos diversos partidos tergiversam, não dizem as verdades direito e manobram para valorizar seus passes na conjuntura, mas cada vez mais a sucessão em João Pessoa mostra um futuro em construção para PMDB e PSDB.

Manoel Junior se esforça ao máximo para manter sua candidatura, mas perde consistência eleitoral por tudo que se sabe dos efeitos Eduardo Cunha. Mesmo assim ele insiste em manter um projeto de disputa majoritária que já lhe foi melhor.

Ele se irrita quando se trata de falar de outra alternativa como deixar a candidatura, mas no PMDB esta hipótese já existe. Há até quem avance mais ao dizer que ele opta por Luciano Cartaxo enquanto José Maranhão é favorável à candidata Cida Ramos - leia-se RC - de olho em 2018.

PSDB COM LUCIANO

Pelo tom das articulações internas dos Tucanos, a possibilidade de apoiar Luciano Cartaxo cada vez mais se acentua, embora a projeção de ter alguém do partido como Vice depende de muita coisa.

É que, queiram ou não, a disputa de 2018 está casada e todos têm interesse diversos, a partir do prefeito da Capital pensando numa fase pós reeleição, se acontecer.

Cássio mira na reeleição no Senado mas quer acertar bem feito um acordo com Luciano e Maranhão. Se bem que no caso do senador do PMDB tem a escolha, se fica com Cássio ou Ricardo.

É que Maranhão sonha voltar a disputar o Governo
 


Ronald Queiroz e as Teses Desenvolvimentistas com Celso Furtado

E eis que, no próximo dia 1o de Julho, lá no Auditório do SEBRAE (Av. Maranhão, Bairro dos Estados), o mundo intelectual, político e social do Estado está convocado a comparecer ao lançamento memorial do livro “Uma Ponte Sobre o Abismo” - coletânea de análises produzida pelo mestre Ronald Queiroz Fernandes, antes de se encantar pelos idos anos de 2006.

Amigo, ao mesmo tempo discípulo de Celso Furtado, Ronald Queiroz ao longo da vida dedicou grande parte de seu tempo para refletir, analisar e propor caminhos diante do sub-desenvolvimento imposto pela Elite brasileira ao Nordeste, sobretudo, e às camadas sociais periféricas dos grandes centros.

Aliás, lembro bem que a última vinda de Celso Furtado à Paraíba teve a organização de Ronald, mais a viuva Rosa, Sales Gaudêncio e Marcos Formiga.

CONTRIBUIÇÃO NA PARAIBA

Ronaldo Queiroz, de quem tive a honra e privilégio de conviver no Governo Mariz e no SEBRAE, além das lutas democráticas gerais, estava preparado para introduzir na Paraiba, sob a égide do governador Antonio Marques da Silva Mariz, o mais consistente plano de Desenvolvimento Sustentável no Estado construído a várias mãos de excelência, a exemplo de Mauro Nunes, Adalberto Barreto, Tânia Barcelar, Ademir Alves, etc.

A Paraiba não sabe até hoje o quanto teve de azar ao ver a morte precoce de Mariz, sem dúvidas nenhuma – ouso afirmar – o mais preparado Homem Público para dar destino futurista seguro ao nosso Estado como governador mas, como diz o “Poema Negro”, de Augusto dos Anjos – a “Carnivora assanhada” nos privou dessa oportunidade singular.

O POEMA DE AUGUSTO

Permitam-se lembrar o trecho da abordagem profunda da poesia, cuja essência vitimou Mariz e, tempos depois, Ronalz Queiroz:

É a Morte — esta carnívora assanhada —
Serpente má de língua envenenada
Que tudo que acha no caminho, come...
— Faminta e atra mulher que, a 1 de janeiro,
Sai para assassinar o mundo inteiro,
E o mundo inteiro não lhe mata a fome!

LIVRO ' UMA PONTE SOBRE O ABISMO"

Como diz a apresentação, “a obra reúne diversos textos de autoria de Ronald de Queiroz Fernandes, muitos dos quais foram publicados em jornais, outros são palestras, estudos e até mesmo pronunciamentos lidos no ambiente de trabalho e no seio familiar. A publicação dessa coletânea foi um desejo dele, hoje concretizado graças à importante contribuição da família do autor e de seus amigos.

Os temas abordados envolvem a análise crítica de assuntos sociopolíticos e econômicos, em especial os relacionados à problemática nordestina – da qual o autor era profundo conhecedor –, a reflexão sobre aspectos relevantes da Administração Pública, a abordagem da fé e a homenagem a pessoas que marcaram sua vida.

Em sintese, vamos prestigiar este evento memorial sobre quem tanto fez e se dedicou à Paraiba e ao Brasil.

ULTIMA

“O nome/ a obra imortaliza”
 


O novo discurso na desconstrução de Luciano Cartaxo

Desde a inauguração do novo reordenamento da Lagoa (Parque Solon de Lucena), argumentos, discursos e ofensivas vêm sendo feitas para desqualificar a força de alguns projetos e emblemas da conjuntura de João Pessoa a exigir ação urgente do chefe do executivo, antes que pegue a imagem do desleixo.

A Lagoa, por exemplo, é um dos alvos principais. Nos ultimos dias as Redes Sociais andam tomadas de fotos da desconfiguração da pista destinada a pedestres com rapidez que a realidade reforça o tom critico em voga.

Há ainda os comentários em torno do novo Tunel construido. Aliás, anotem, pelo que dizem ainda vai dar o que falar.

Por razões diversas, não era para haver tamanha descaracterização daí o discurso de desconstrução da imagem do prefeito como a intuir que as obras têm falhas, mesmo com seus valores expressivos de recursos.

A BARREIRA DO CABO BRANCO, OUTRO PROBLEMA

Luciano Cartaxo vai conviver até o final da campanha com este fato a merecer atenção especial porque deixou de ser projeto para ser realidade de conflito entre ele e a Sudema com cada um responsabilizando o outro pelo problemão que já chegou no Jornal Nacional.

Luciano acusa a Sudema de protelar, não dar celeridade ao projeto enviado pela PMJP, mas esta responde categoricamente que o projeto encaminhado pela prefeitura está incompleto, portanto, sem condições de ser liberado.

Nas redes sociais circula nota do Blog do Gordinho informando que LC deletou projeto já aprovado pelo ex-prefeito Luciano Agra e apresentou outro com recursos financeiros 3 vezes mais.

Pelo sim, pelo não, este é outro problema que o prefeito precisa levar a sério.

SINTESE

Luciano Cartaxo precisa correr mesmo para impedir a desconstrução de sua imagem porque há um processo forte na direção contrária, todos em cima das ações e projetos desenvolvidos pelo prefeito.

A campanha começou.
 


Porque Temer beneficia Estados mais ricos

O anúncio formal do presidente interino Michel Temer de que estaria dando fôlego aos Estados brasileiros adiando o pagamento das dívidas para janeiro de 2017 é, de fato, uma realidade de impacto nas contas das diversas Federações, embora esteja claramente exposto que a regra pontuada beneficia muito mais os Estados considerados mais Ricos - São Paulo, Rio, Minas, etc, em detrimento do Nordeste, por exemplo.

Na prática, as medidas não contemplam à altura os Estados que ao longo dos ultimos anos fizeram seu dever de casa.

A conta é simples de entender: as dividas dos Estados estão formatadas com base em diferentes rubricas, portanto, se baseiam em valores diferenciados no aporte de recursos  feito anos passados .

A decisão do Governo Federal, portanto, não beneficia no mesmo nível de atenuamento fiscal alguns Estados, como Piaui, Paraíba, Tocantins, etc, que estão com endividamento bem abaixo de referências maiores, a exemplo do Rio de Janeiro – mais beneficiado pela última medida do presidente interino para socorrê-lo.

DE OLHO NOS GRANDES CENTROS

A estratégia de Temer é buscar construir meios capazes de fazê-lo melhor na fita com os maiores estados, onde há proporcionalmente maior tamanho de eleitores, até porque ele joga com o dado de repercussão de sua imagem enquanto governante.

Sem tirar nem por, o presidente interino fez com o Rio algo que deverá também fazer com o Rio Grande do Sul, de seu partido, muito além das medidas anunciadas na segunda-feira durante o encontro com os governadores.

O CASO DA PARAIBA

Palavras do governador Ricardo Coutinho:


- Um estado como a Paraíba, que de uma forma brava vem cortando o que pode para garantir pagamentos, garantir obras, manter a economia funcionando, na renegociação da dívida foi muito pouco beneficiado e é preciso abrir novas portas nesse momento para que esses estados estejam presentes”, destacou.

Segundo Ricardo, a dívida é de cerca de R$ 10 milhões.

- Se aprovarem os aumentos que o Congresso está votando nesses dias, nós vamos ter a condição de talvez cobrir, com essa renegociação, o aumento dos outros poderes. Rio Grande do Norte e Ceará da mesma forma. Ou seja, aqueles estados que estavam sem sobra de caixa, porém um pouco mais equilibrados em função talvez da própria forma de gestão, foram minimamente contemplados, e os estados que têm os maiores problemas foram mais contemplados, cinco ou seis estados. Então eu creio que é preciso complementar isto”, argumentou.

E completou: “Quem fez o dever de casa sai mais penalizado.

ULTIMA

“O pau sempre quebra nas costas do mais fraco”
 


PSDB insiste em unir toda a Oposição

Faltando pouco tempo para a definição dos partidos e pré – candidaturas nas eleições municipais de 2016, o presidente estadual do PSDB, Ruy Carneiro, continua com a mesma fala e disposição dos tucanos de unir as Oposições já no primeiro turno.

Isto, conforme ele nos repassou, se aplica aos pre-candidatos Manoel Junior e Wilson Filho. O lance é que, no frigir dos ovos, ele quer mesmo é juntar forças em torno de Luciano Cartaxo, mas esta não é tarafa consensual nem tão fácil assim de fazer.

Na prática, os tucanos perderam a condição de estar na disputa pra valer e agora trabalham a aliança futura.

AS QUESTÕES DIFERENTES

Manoel Junior é pré-candidato para valer até o ultimo instante, conforme ele reverbera por onde anda, com apoio do senador José Maranhão.

O pemedebista sonha toda hora e instante com o apoio que Cássio, que levaria o PSDB a engrossar fileiras e dar força, embora não seja tão fácil existir.

WILSON NAO ABRE NEM PARA UM TREM

Pelo tom e decisão do deputado federal Wilson Filho sua candidatura é inegociavel e vai até o final do tempo possível.

Ele nos garantiu em demorada conversa que não existe a hipótese de desistencia, logo será candidato, inclusive de Oposição.

DEMAIS FORÇAS

No caso do prefeito, ele trabalha com varias frentes, até espera o PSDB, mesmo assim dispoe de alternativas internas, no seu grupo, ou fora dele tanto que namora do PR, de Welington Roberto.

PT E PSOL

Os dois partidos de Esquerda trabalham sem outra hipótese, que não seja dar evasao e publicidade aos projetos e estratégias do PT e PSOL, respectivamente, nas pessoas do Professor Charliton e de Victor Hugo.

Estes dois partidos agem para levar o processo para segundo turno.

CIDA BUSCANDO CRESCER

Na Oposição ao prefeito, Cida Ramos amplia seus contatos diarios nos diversos bairros da Capital e anda animada, segundo ela, com as manifestações de rua.


O "Homem Bomba" vai falar; Temer e Brasilia vivem maior tensão

Ainda não há convicção particular do deputado federal Eduardo Cunha sobre a possibilidade de Delação, entretanto, desde o sábado que ele conduz pessoalmente a convocação de parlamentares aliados dele para uma reunião de urgência nesta segunda-feira quando ele anunciará uma série de posições, entre as quais seu afastamento definitivo da presidência da Câmara Federal.

Mas, a grande incógnita em suspense na Capital Federal, é sobre o que ele decidiu falar publicamente, depois do encontro com seus aliados, devendo assumir Oposição ao Governo Temer.

Alguns deputados confirmaram o convite para a reunião e disseram que Cunha se sente abandonado pelo conjunto dos apoiadores e integrantes da grande conspiração para afastar a presidenta Dilma Rousseff do Palácio do Planalto com a abertura e consolidação na Câmara Federal.

DELAÇÃO E OUTROS ALVOS

Cerebral, ou seja, longe de uso da emoção, Eduardo Cunha está construindo sua própria posição diante dos inúmeros processos nos quais tem sido acusado criminalmente de desvios de recursos públicos, portanto, há um sentimento entre aliados de que ele não cairá sozinho.

Cresce a hipótese dele criar as maiores dificuldades para Temer inviabilizando seu governo interino, da mesma forma há alta tensão sobre a possibilidade dele envolver ministros do Supremo Tribunal Federal.

Até os primeiros momentos do domingo, ele partilhava com aliados de uma posição ainda não fechada sobre Delação.

TEMER, PMDB E PSDB EM PÂNICO

A posição de abandonado tem levado Cunha ao ápice de uma estratégia pessoal de buscar amenizar toda a carga e responsabilidade atirada contra ele, não só das tramas e estratégias de grandes negócios via emendas, etc, como do seu papel fundamental pelo Impeachment, por isso não admite viver a solidão imposta a ele, até por saber e admitir que medidas mais rigorosas, entre elas a sua prisão e de familiares, podem estar em curso.

É em face deste sentimento que o presidente interino Michel Temer, todas as cúpulas do PMDB e PSDB estão sem dormir porque pode afundar todo o esquema.

Como se diz lá no bairro da Torre, “cada um colhe o que planta”.

Em síntese, toda a Conspiração considerada também como Golpe, está com seus dias contados de revelações - as mais escabrosas possíveis atingido a jovem Democracia brasileira sem a necessidade dos horrores de agora porque o Poder precisa ser emanado da sociedade, do Povo, e não da forma construída.


 


Bananeiras: rivalidade não inibe favoritismo de Douglas

Em clássico de futebol, costuma-se dizer que não existe favoritismo como regra. Um Fla – Flu, por exemplo, um Íbis contra o Santos de Tereré, em tese, o trunfo é pau e tudo pode acontecer. Se bem que, nos últimos tempos a fraqueza dos times do Rio já dá para prever quem vai bem ou mal e tem chances de vencer ou não. Que o diga o ex-eterno Vice Vasco.

Guardadas as proporções, mutatis mutandi – como dizem os letrados do bairro da Torre, a disputa eleitoral de 2016 manterá a mesma cantiga de grilo, ou seja, a rivalidade comendo no centro porque em lugar do tamanho de Bananeiras, mesmo com os ventos europeus soprados com o aquecimento da nova economia do lugar, nada disso é mais forte do que a rivalidade entre grupos politicos.

QUEM É QUEM

A primeira conclusão a que se chega é de que a cidade tem renovado para melhor os seus quadros políticos. O atual prefeito Douglas Lucena tem se credenciado muito porque, mesmo jovem, tem conseguido imprimir um nível e ritmo de gestão a impressionar qualquer observador local.

Na disputa contra ele, ou seja, na vice-prefeitura se desenvolve um outro jovem político de nome Mateus Bezerra, neto e filho de Politicos antigos do pedaço.
Embora não tenha exercido para valer a condição gestora da cidade, ele dá sinais de que um dia, não se sabe quando – mas não agora – ele tem tudo para sentar na cadeira da Prefeitura.

UMA COISA É UMA COISA, OUTRA COISA É OUTRA COISA

Repetindo a babaquice dos desocupados do Mercado da Torre, não dá para misturar neste momento a condição de juventude com a dureza de comandar uma estrutura do tamanho da Prefeitura de Bananeiras.

Douglas Lucena ao longo dos 3 anos e meses imprimiu uma base de gestão com resultados nos diversos segmentos da sociedade bananeirense registrando obras e serviços indiscutivelmente à altura da expectativa da população.

É este componente que o faz esperançoso de ser reeleito, embora saiba que não pode cochilar porque Mateus Bezerra é figura a merecer respeito.

BRIGA É REALIDADE ANTIGA

O Brejo já foi comandado pelos Lucena (avós, bisavós de Douglas), como pelos Bezerra (vide Clóvis, Mozar, bisavós de Douglas). Isto vem desde os tempos em que o vento fazia curva na História. A fase anterior pega a briga sem fim entre PSD e UDN, depois Arena e MDB, mais proximamente PDS, PMDB até chegar na pluralidade inserindo o PSB com Marta e Ramalho Leite no boi de fogo.

Aliás, lá atrás Ramalho se insurgiu contra os Bezerra, de quem fora aliado, para se afirmar na politica como liderança regional chegando a ser deputado estadual com expressividade. Ele, ao lado de Edivaldo Mota, Waldir dos Santos Lima, etc, já pregaram muita zoada neste Estado.

Mas, neste contexto, os Bezerra sempre tiveram representação, vide Afrânio Bezerra.

SINTESE

A rivalidade em Bananeiras projeta disputa acirrada, mesmo sem ocultar o favoritismo real de Douglas Lucena.

Tenho dito.

ÚLTIMA

“Em terra de cego quem tem um olho é rei...”
 


Afinal, qual é a de Wilson Filho

Junho se passando já se projetando para a fase de definições concretas das candidaturas aos diversos cargos eletivos em 2016, entre eles de prefeito, com o deputado federal Wilson Filho, do PTB, não arredando pé, sem dar marcha à ré na anunciada e propalada pré -candidatura à Prefeitura de João Pessoa.

Se isto é verdade, como o é, há mais do que intenção ou propósito nesta ação do parlamentar. Isto significa dizer que, chova ou faça sol, existe um processo em curso no qual sua candidatura é mesmo pra valer. Como se diz lá na Torre, está mesmo decidido a mexer com fogo.

A ESSÊNCIA EM CURSO

É preciso dimensionar até onde vai a ousadia do jovem parlamentar de tratar e encarar tantos problemas comuns numa sociedade como de João Pessoa.

Ao assumir o enfrentamento, ele certamente estará preparado para dizer e ouvir tudo o que a população almeja, mesmo sabendo que enfrentará duas estruturas e candidaturas postas, como a do prefeito Luciano Cartaxo e da professora Cida Ramos.

Não é fácil. Mesmo assim, ele surfa na onda do desgaste da classe política ainda tendo que conviver com os efeitos de seu voto no processo de Impeachment da presidenta Dilma Russeff.

Mas, a base de tudo está mesmo no Projeto de Governo que ele está colocando em discussão com a sociedade, algo que tem levado – o a se apresentar estimulado e já dizendo estar na disputa do segundo lugar.

ÚLTIMA FALA

Aliás, ele avaliou em conversa com a reportagem do Portal WSCOM que as projeções dos números de pesquisas apontam para a disputa do segundo lugar, portanto, questiona números de recente pesquisa.

“Nossos números diferem do que foi colocado recentemente no ar”, frisou.

Ele revelou ainda que até o final do mês estará anunciando seis partidos na base de apoio à sua candidatura. “Estão já assegurados mas, infelizmente, não vou anunciar agora, mas somente no final do mês, para impedir que estruturas politicas queiram conturbar”.

Na sua opinião, há uma realidade e tendência da opinião pública de buscar o novo ou construir nova opção diante do desgaste da classe politica.

- Estamos crescendo e já disputando o segundo lugar exatamente por isso e em face de nossas propostas discutidas nos diversos bairros – frisou.

Para ele, “a situação real da disputa em João Pessoa aponta que em hipótese de segundo turno o candidato de Oposição vencerá”.

SINTESE

No mínimo, ele está se preparando para ser candidato diferenciado capaz de, não logrando êxito no primeiro turno, ser elemento importante no segundo turno e dar visibilidade ao PTB em nivel do que não tem no primeiro colégio eleitoral.

ULTIMA

“Todo menino é um rei/ eu também já fui rei..."