Ricardo e a nova composição dos governadores do Nordeste em novas lutas

FORTALEZA - É Fácil de atestar a performance econômica do Ceará. A postura do governador Camilo Santana, que rompeu com o senador Eunício de Oliveira para ficar com os irmãos Gomes e o PT, pode ser mensurada diante do novos acordos internacionais para encher o Estado de obras.

Em que pese o perfil de Camilo, o Fórum dos Governadores prova que há uma nova safra de Líderes políticos muito acima da média do Brasil, mesmo comparando aos do Sudeste e do Sul.

O CASO DE RICARDO

O governador da Paraíba é o Decano, único na reunião ostentando a condição de reeleito - logo com estrada bem sedimentada tanto no campo político quanto administrativo. Nos dois planos ele apresenta saldo positivo.

No debate desta quarta-feira entre os governadores sobre a conjuntura, ele era a cara da maturidade política e muito respeitado pelas análises de conjunturas, mas pela sutilliderança de mostrar aos Pares que não há mais tempo a perder.

Ele, a rigor, advoga a tese de que, se não há interesse do Governo Temer de por em prática acordos com amparo legal, e em favor dos estados, que se mobilize e exerça a unidade para resolver as demandas do Nordeste.

Ricardo é dos chefes do executivo quem exerce liderança no grupo pela coerência política e ideológica daí estar na pole position dos governadores progressistas e com coerência. Ele é PSB sem nunca fugir da linha corrente e progressista, diferente de Paulo Camara, arrependido de ter feito a opção por Temer lá atrás.

Com.todo respeito, como se.diz lá na Torre, o Mago é foda.

SINTESE

O governador paraibano cada vez mais se credencia para voos mais altos, embora tudo isso dependa.


O Aeroclube, a vitória da Elite e do Direito de quem pode: e a grande maioria para que serve?

Dezenas de Ricos de João Pessoa tomaram conta dos grandes restaurantes da cidade para comemorar efusivamente nesta terca-feira a vitória no Superior Tribunal de Justiça, por 4 votos a 0, pela retomada de toda a Área do Aeroclube da Paraíba, no bairro do Bessa, como propriedade de poucos aviadores e proprietários de avião da Capital paraibana.

O resultado é fruto da sabedoria de grande Banca de Direito, através do advogado Marcelo Weick - o mesmo que cassou Cássio - reforçando a tese da área ser o local ambiente de Escola Aeronáutica, presta serviço à Base Militar , afora a condição de propriedade em si de bem público.

Quem pode e contrata bom advogado invariavelmente convive com resultados favoráveis. A justiça é assim: ela, em qualquer nível, cede ao ótimo argumento jurídico.

Recentemente, a Justiça estadual - noutro plano - acompanhou nos Autos o atropelamento seguido de morte de um agente do Estado, em pleno trabalho a serviço da sociedade, ser morto e conviver com a (in)justiça até hoje favorecendo ao infrator em liberdade.

Atentem: o habeas corpus foi concedido de madrugada e pelo atual presidente do Tribunal de Justiça.

ALÉM DA PROPRIEDADE, A CAUSA SOCIAL

O fervor de poucos proprietários em não largar do capricho de usar seu avião perto de casa, não consegue enxergar e admitir que as Urbes crescem e adequar seu prazer ou necessidade a uma área a 20/30 minutos de Habitat não é nenhum prejuízo real à sua vida e sua rotina.

Que custaria se deslocar até uma área próxima da Praia do Sol, mais seguro, sem problemas?

Será preciso que tenhamos uma tragédia em torno dos edifícios localizados no Bessa para a Sanha de Rico insensível se tocar que há uma nova cidade em construção?

A FAMOSA VITORIA DE PIRRO

É verdade que muitos pouco sabem, mas é importante lembrar o significado da "Vitória de Pirro" para o entendimento e aplicação do caso em tela tomando em conta o presente e futuro da cidade.

Diz a lenda:

"Após a batalha de Ásculo, o rei Pirro, ao felicitar seus generais depois de verificar as enormes baixas sofridas por seu exército, teria dito que com mais uma vitória daquelas estaria acabado. Desde então, a expressão "vitória de Pirro" é usada para expressar uma conquista cujo esforço tenha sido penoso demais."

Em síntese, só a acomodação, a força de segmento e a falta completa de sensibilidade de convivência social pode explicar tamanha guerra para uso de poucos, quando poderia se transformar em grande Equipamento de bem coletivo para milhares ao invés de alguns.

Este é o Brasil real. 


O desmantelo avalizado pelo STF amplia Fosso regional, mas o Nordeste resiste

A crise aguçada vivida pelo Brasil contemporâneo com efeitos reais no desmantelo político e da nossa economia - tudo sob amparo do Supremo Tribunal Federal, desatento e dormente - nos remete à reflexão sobre os ensinamentos tão atuais do Mestre Celso Furtado, segundo os quais, não haverá desenvolvimento no País sem redução das desigualdades regionais - algo que com o novo stableshment político atual faz o Nordeste voltar aos antigos patamares preocupantes.

Diferente dos indicadores registrados de 2003 em diante até 2014 - ano da reeleição de Dilma Rousseff interrompida pela Grande Trama - o Nordeste passou a conviver com o desaquecimento brutal de sua economia interrompendo o ciclo de grandes equipamentos nos diversos estados, vide estaleiros, refinarias , obras de infraestrutura, Universidades, escolas Técnicas no interior e, em especial, as políticas sociais inclusivas.

O NORDESTE COMO REFERÊNCIA

A história do Brasil é contada a partir de um fato relevante: nossa civilização se inicia exatamente no Nordeste em 1500 onde toda a força do primeiro Governo Geral em Salvador (BA) se estabelecera, cujas fases econômicas seguintes nunca mais deixaram de envolver o Nordeste como referência, mesmo de 1808 para cá com indicadores ruins para os olhos sociais e de desenvolvimento.

É isso mesmo. O Nordeste foi na fase primeira o motor brasileiro na fase da cana-de-açúcar com.Recife liderança o ranking, tanto que o primeiro transporte público férreo puxado à tração animal foi na Capital de Pernambuco.

Foi, contudo, com o ato da Família Real de não querer ficar em Salvador em 1808, quando fugia de Napoleão, optando por se transferir para o Rio de Janeiro, que o Nordeste pegou de ladeira abaixo no quesito de prosperidade comparativa ao Sul e Sudeste.

LEMBREMOS JUSCELINO E LULA

De 1808 em diante os ciclos de desenvolvimento passaram a ser o ouro ,o gado e o leite de Minas, a borracha do Norte (Acre), o café no século passado e mais recentemente o Centro-Oeste dominando com grãos, em especial a soja.

Depois de conviver com sucessivas crises de fome com as continuadas fases da Seca no semi-arido, onde está 74% do Nordeste daí o exodo para Rio, São Paulo e Brasília, a decadência econômica do Nordeste somente foi tratada de forma decente pelo Governo brasileira na fase de Juscelino Kubitscheck ao lado de Celso Furtado criando a Sudene e outras políticas de desenvolvimento.

Afora o Mineiro trovador, somente Luiz Inácio lula da Silva teve atitude expressiva, decisão política de Governo, dando novo patamar de investimentos no Nordeste dotando todos os 9 Estados de indicadores econômicos e sociais como há tempo não houvera crescendo muito acima da média nacional.

A VOLTA DO ATRASO E AS EXCELÊNCIAS

De 2014 em diante com o boicote da Oposição (PSDB) ao Governo impedindo-a de governar lá ali começava o desmonte das políticas de apoio ao desenvolvimento regional. Pior é que com o apoio de Lideranças tradicionais do Nordeste. Hoje é visível o desaquecimento das políticas federais nos 9 Estados.

"A sorte" coincidente com as gestões operosas de alguns governadores, o Nordeste continua enfrentando a crise com capacidade de gestão.

É o caso da Paraíba com Ricardo Coutinho conquistando superávit em tempo de crise e quebradeira do Rio e Mina fazendo muitas obras, o Piauí se eleva tendo Wellington Dias transformando um Estado que fora sinônimo de pobreza absoluta ( e não é mais) em ambiente de novos negócios, o Maranhão registra a melhor fase da sua Educação transformadora com Flávio Dino. Nunca se viu tanto investimento nessa área.

Há a Bahia revolucionando na saúde sob o comando de Rui Costa sem perder o foco baiano em matrizes econômicas, Pernambuco reage à crise com ações do Governo Paulo Câmara no interior e o Ceará mantendo com Camilo Santana a linha de vanguarda nos investimentos seguindo o impulso desde os Governos Ciro e Cid Gomes.

MERA COINCIDÊNCIA

Todos os governos do Nordeste com capacidade de superação têm o DNA de governadores progressistas, ou seja, de partidos socialistas focando o trabalho na redução das desigualdades - tudo dentro das teses de Celso Furtado.

Do contrário seria o caos, o que parcela da população sudestina deseja mas o Nordeste não aceita mais.

Imaginem, se não houvesse retrocesso bancado pelo STF!
 


PMDB: candidatura de Maranhão é forte mas não estanca Crise

O PMDB da Paraíba resolveu acatar encaminhamento partidário de lançar nesta segunda-feira numa pressa danada a candidatura do senador José Maranhão ao Governo, cuja estratégia pareceu marcação de território do ex-governador diante de tantos fatos gerados por pemedebistas em dissonância com Maranhão .

A rigor, mesmo sendo o maior Líder do partido, nome conhecido em todo Estado ele não tem mais a espontânea adesão de líderes partidários como o senador Raimundo Lira e o deputado federal Veneziano Vital.

Tem o apoio condicional do deputado federal Hugo Motta e, apenas só dos Paulino por outros fatores.

IMAGEM E CONJUNTURA

O senador é líder forte, incontestavelmente , mas na direção de futuro sua pre-candidatura tende a marcar posição mas dificilmente empolgada porque seu perfil já de liderança com muito tempo. a estrada não empolgará. É difícil dizer isso a ele mas é verdade.

O manequim do futuro governador tende a ser nome mais novo, por isso Luciano Cartaxo cresce.

PROBLEMAS À VISTA

O PMDB vive a força de Maranhão, mas não se resolve e faz mais política assim na imposição.

Ficou visível o desconforto do senador Lira na entrada do diretório precisando puxar o braço de Maranhão para obter uma atenção que não é mais natural. É isso cria fosso, um troco mais na frente porque Lira também é vaidoso.

Aliás, Veneziano tem sido mais direto admitindo sair do partido o que reduz e enfraquece o PMDB.

CONCLUSÃO

A pre-candidatura de Maranhão não foi digerida bem até por pemedebistas como Manoel Júnior, preocupado com os efeitos disso na aliança construída.

Tem problemas de relacionamento a se resolver .


A Nova fase da Mídia Digital, o Mercado e a Inteligência Emocional

Em João Pessoa, em plena segunda-feira de Luto pela morte do Arcebispo Dom Marcelo Carvalheira, tomou vulto Nota divulgada pela AMIDI - Associação de Mídia Digital - reagindo de forma crítica à campanha do Jornal Correio da Paraíba buscando legitimar sua Credibilidade, mas desqualificando o Meio Jornalístico Digital. 

A reação era esperada porque o Mercado Digital envolvendo o segmento de Conteúdo Jornalístico não poderia ficar tipificado como ambiente de irresponsáveis ou de instigantes à desqualificação profissional porque, na verdade, a Mídia Digital é coisa séria, mercado sério e em ascensão .

A RAIZ DO PROBLEMA

Na ânsia de agradar ao Cliente, a agência Sala 10 exagerou na dose e quis tipificar - e tipificou - a Mídia Digital como abrigo de mentiras e irresponsabilidades no trato da informação. É grosseria desnecessária porque até o Jornal Correio tem sua versão Online, como ainda o Portal Correio, portanto, a agressão gratuita atingiu o próprio Correio.

REALIDADE DE MERCADO

É caminho sem volta a importância e liderança da Midia Digital aqui e em todo mundo, inclusive no bairro da Torre.

Cada vez mais a mídia tradicional precisa admitir e conviver com a nova plataforma que devora processos antigos porque esta é a tendência global.

O New York Times, jornal que inspirou a agressão da ANJ, já convive comercialmente com a venda virtual estando no patamar do impresso. É isto o que o Correio precisa fazer, e não partir para uma crise desnecessária.

AMIDI NO ZELO DA ETICA

Pelo que senti e ouvi do presidente Fábio Targino a luta é para regulamentar o setor com empresas cumprindo com suas obrigações e combatendo Fakes e os setores da WEB que desvirtua e cria lixo sem dúvidas.

Aliás, agindo assim a AMIDI está no mesmo grau de preocupação do Correio para evitar a informação desqualificada. Todos sabem disso é assim agirão com respeito ao papel de cada um. Nada de agressão gratuita. 


Luciano adota tática de agregar diante de Romero arisco

Fim-de-semana normal na base política, exceto para o Núcleo da aliança PSDB-PMDB-PSD onde os dois principais prefeitos do Estado - Luciano Cartaxo (João Pessoa) e Romero Rodrigues (Campina Grande) voltaram ao campo municipal em contatos típicos de pre-campanha ao Governo.

Luciano foi a Capim de Mamanguape acompanhado do presidente do PSDB, Ruy Carneiro, fazer visita política ao prefeito Tucano sedimentando possibilidades de acordo.

Na prática, Luciano adota a praxis de construir o futuro de forma negociada e com o PSDB - onde seu principal líder, Cássio Cunha Lima se mantém pró disputa do Senado.

ROMERO DESARMONIZA

Noutra frente, Romero Rodrigues adota a tática mais pesada de até se confrontar com a cúpula do partido defendendo candidatura própria do PSDB ao Governo colocando seu nome à disposição.

Não se pode ignorar o crescimento do prefeito de Campina, até ameaçando se for preferido, como se deu em Mantinhas ao lado de prefeitos.

Em tese, se não for jogo de cena, a posição assumida por Romero cria embaraços a merecer ação do partido, mas não se vislumbra , absolutamente, rompimento à vista.

SINTESE

A dados de hoje o movimento dos dois prefeitos coloca Luciano em maior evidência com Romero se credenciando como Vice porque tudo isso satisfaz ainda ao PP tendo Enivaldo Ribeiro chances de assumir e em especial Manoel Júnior e o PMDB. 


Forças Armadas perdem comando do Atlântico Sul com desmonte do Itamaraty pós Temer

O Brasil está em contagem regressiva para conviver com um dos grandes fatos do mercado Naval o produzido com a abertura tríplice do Canal do Panamá permitindo o mais impactante reforço ao comércio marítimo com a Asia, sobretudo, encurtado em mais de 24 horas o comércio com o Brasil pelo Norte e Nordeste.

Isto implica em grande impacto nos negócios com os chineses, por exemplo, e todos os Países da Ásia através do Atlântico Sul.

A DIPLOMACIA E A GRANDE PERDA

Desde que Michel Temer assumiu o Poder , o Brasil entrou em declínio nas relações internacionais onde era líder e pontificava em diversas trativas comerciais e de influência , como havia com toda a África permitindo que as Forças Armadas brasileiras comandassem o Atlântico Sul.

É que por força de acordo bilateral com diversos países africanos, o Brasil dispunha do comando de todo Atlântico através das Forças Armadas.

Depois de José Serra e agora Aluízio Nunes, o Brasil abandonou as negociações frutíferas com os países africanos e os demais dos RICS.

Perdemos tudo em termos de avanços na Diplomacia e nos grandes negócios construídos por Lula e mantidos por Dilma Rousseff.

RESULTADO: VOLTAMOS À VELHA DEPENDÊNCIA

Com Temer e o PSDB , o Brasil voltou aos tempos de FHC quando na fase Clinton recebia ordens da Casa Branca para cumprir, a exemplo da ALCA - livre mercado imposto pelos EUA para a América Latina, mas que Lula não aceitou preferindo criar, como criou, o Mercosul.

Enfim, a diplomacia brasileira passou a ser um quintal luxuoso dá Casa Branca voltando aos tempos de uma Naçao sem soberania.

Neste e em outros casos, como Temer e PSDB imprimiram tanto retrocesso diplomático.

Perdemos o comando do Atlântico Sul. 


Lá se vai Um Emissário de Deus no abrigo dos Pobres

 Enquanto vida humana houver, sempre haverá necessidade de Evangelistas como Dom Marcelo Pinto Carvalheira - um sacerdote eterno da Igreja Católica - semeando liturgias extensivas ao Humanismo capaz de saber entender e praticar o Bem para todos, em particular aos que mais precisam - invariavelmente os Pobres.

 Dom Marcelo partiu neste sábado, 25, para a elevação divina deixando na Terra uma trajetória de Líder Religioso comprometido com as derivações de lutas e sofrimento em Jesus Cristo doutrinando a importância de servir mais e sempre em favor dos cristãos e cristãs sem discriminação, mas nem por isso deixando de defender a dura realidade dos Pobres.

 Enquanto vida teve este foi o caminho percorrido por Dom Marcelo, um Homem a serviço de Deus e, repito, dos Pobres.

UM ENCONTRO COM CÍCERO

 Nos muitos gestos de humildade e de elevação de sua vida dedicada aos Cristãos e mais pobres ainda hoje lembro do encantamento de Dom Marcelo com importante ato do ex-prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, quando do fechamento do Lixão do Roger - em 2003, uma chaga social enfim resolvida.

 Ainda perdura a imagem dele feliz com a entrega das casas dos catadores em dezembro de 1997.

SÍNTESE

 Dom Marcelo segue em novo ciclo divino mantendo-se ao lado de Líderes memoráveis como Dom Hélder Câmara, Padre Ibiapina, Frei Damião e todos que lutaram por um mundo mais justo e assim tratando melhor os que mais precisam.

ÚLTIMA

 "O nome/a obra imortaliza"
 


Gervásio convive com desconforto e queimação no Girassol

De repente, não mais do que de repente, como diria o Poeta Vinicius de Morais, eis que o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Gervásio Maia, entrou em processo típico de queimação a ver vazada a informação verdadeira de que estava chamando para perto de sua gestão um inimigo do Governo.

O caso em tela atende pelo nome do renomado advogado José Edisio Souto, agora na assessoria jurídica da Assembleia, entretanto tratado na corte e em torno dela como advogado de ações contra o governador no Tribunal Regional Eleitoral.

A rigor, José Edisio acumulou fama pela qualidade dos serviços advocatícios - causa para sua nomeação, mesmo assim não é este o entendimento do mundo Girassol.

MAIS QUE QUEIMAÇÃO

Pelo perfil de Gervásio, certamente ele manterá a nomeação até pelo seu temperamento e estilo, o que na prática afetará sua condição de favorito para ser o candidato ao Governo pelo PSB, ou seja, a rebeldia lhe custará tamanho preço.

Se bem que, há outras queixas dentro do seu ambiente de Poder porque o apetite dos seus Pares reclama de melhor tratamento porque, como se diz lá na Torre, vontade de benefícios é igual a unha, você corta e ela volta rápido.

Só que a barra não anda boa, mas os apetitosos não querem saber disso.

UMAS & OUTRAS

...O prefeito Luciano Cartaxo anda dialogando com prefeitos do Interior muito mais do que se pensa.

...O Tribunal de Contas do Estado age bem ao adotar meios de instruir os prefeitos para evitar erros crassos que resultam em punições. As atividades de ontem denotam isso. Este é o caminho.

...O Procurador dá República, Eithel de Brito Pereira, continua muito forte em Brasília. Suas ações eficazes têm sido sentidas nos diversos quadrantes até tabajaras.

...O ambiente entre lideranças da OAB na Paraíba é de vaca desconhecer bezerro.

...Tudo porque seguindo a influência do Secretário Geral, Assis Almeida, o presidente Paulo Maia revogou seu primeiro ato ao tomar posse de fim da reeleição.

...Em síntese, ele gostou do status e será candidato à reeleição contra muitos que o apoiaram, a partir do Vice -presidente, Raoni Vita.

...Volta e meia o nome dá desembargadora Fátima Bezerra Cavalcanti emerge sendo lembrado para o STJ.

...A Paraíba não tem jeito. Tem um dos dois únicos Datacenter do Nordeste, o outro está em Fortaleza, mas procura outras praças.

...O HostDIME está instalado no Bairro dos Estados atendendo clientes como Google, Facebook, etc daí a oportunidade de que seja acionado pelo mercado local.

...Prestem a atenção: o DataCenter pessoense cresceu tanto que está em 18 Países.

...O prefeito de Campina, Romero Rodrigues, resolveu agendar visita ao presidente da Câmara de João Pessoa, Marcos Vinicius. A pergunta é: qual é mesmo a pauta?

ÚLTIMA

"...O olho que existe/ é o que vê..."
 


A desistência de Cássio fomenta chapa entre Luciano e Romero para 2018

A decisão do senador Cássio Cunha Lima de formalizar seu afastamento da disputa para o Governo da Paraíba era tudo o que os prefeitos de João Pessoa e Campina Grande queriam na ambição de disputar a cadeira do Palácio de Redenção.

Cassio se propôs a disputar a reeleição e assim estar disponível a construir consenso na escolha do candidato ao Governo criando pontes e harmonia entre Luciano e Romero.

QUEM MAIS CRESCE

Embora Romero tenha se insinuado e percorrido lugares, a cena atual se apresenta mais favorável a Luciano pela performance administrativa e ser um maior tambor pelo papel de João Pessoa.

Os últimos encontros de Cartaxo com prefeitos do interior tiveram maior ressonância e assim ele vai se credenciando.

Sem tirar nem pôr, o que parece estar em curso é uma dobradinha entre os dois projetos com Luciano na cabeça.

Resta saber como o senador José Maranhão, também interessado, se pronunciará sobre a estratégia.