O que há por trás da notícia



Vivemos um tempo em que somos bombardeados a cada instante por uma avalanche de informações. Por conta disso, muitas vezes, sem tempo de procurarmos conhecer o inteiro conteúdo da matéria, nos deixamos ser influenciados apenas pelas manchetes. Tudo o que deseja a imprensa manipuladora que domina os veículos de comunicação em nosso país.

Raríssimas são as exceções em que ao lermos os jornais, escutarmos as emissoras de rádio ou assistirmos a televisão, sejamos brindados com a verdade integral dos fatos noticiados. Se prestarmos atenção, percebemos claramente as distorções informativas, as notícias sendo deformadas conforme os interesses mercadológicos e políticos dos proprietários das empresas de comunicação. Os fatos descritos com o objetivo de levar o receptor da informação a definir opiniões condicionadas ao que deseja o responsável pela elaboração da notícia. A realidade artificial substituindo a realidade verdadeira.

As pessoas que não se dão ao trabalho de garimpar as notícias, terminam sendo usadas como massa de manobra, e passam a repetir conceitos e ideias propagandeadas pela mídia instrumentalizada. Não conseguem pensar por si próprias. Raciocinam de acordo com o que recebem de informações, sem a preocupação em verificar a comprovação necessária dos fatos como são oferecidos. Tornam-se submissos à cultura política predominante na empresa detentora da veiculação da notícia, assumindo uma postura passiva e acrítica diante da realidade que teima em ignorar. Todos os temas de interesse social são tratados com o viés político.

Estamos, portanto, expostos ao perigo da manipulação de nossas consciências. As pautas jornalísticas são elaboradas de forma a influenciar na interpretação dos fatos, desprezando o interesse em atuarem a serviço da verdade. E não é fácil ficar imune ao poder de interferência na nossa capacidade de formar juízos de valor a respeito dos acontecimentos que nos são transmitidos por essa mídia manipuladora. Por trás da notícia tem muita coisa que propositadamente nos é negado o direito de conhecer.